Início » Brasil » Airbnb lança Trips no Brasil para ir além de aluguéis por temporada

Airbnb lança Trips no Brasil para ir além de aluguéis por temporada

Por
14 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O Airbnb é conhecido por oferecer quartos e apartamentos para locação, assemelhando-se a serviços de hotel, porém com preços mais convidativos. A empresa está apostando em outras áreas de turismo, e o Brasil faz parte desta expansão.

Esta semana, o Airbnb anunciou a chegada do Trips ao país. Trata-se de oferecer atividades como aulas, passeios, degustações e mais. Elas podem durar vários dias (imersões) ou algumas horas (experiências). O Trips chega ao Rio de Janeiro e a São Paulo em junho.

Mural com pôsteres de divulgação para as experiências que o Airbnb Trips oferece ao redor do mundo

Chris Lehane, executivo do Airbnb, contou algumas das experiências que fez no Rio: ele foi levado por um colunista do jornal O Globo por uma série de botecos para experimentar a comida; teve aulas de dança; lutou boxe na praia; e visitou o Cristo Redentor à noite.

Como isso funciona? O Trips possui exigências mais rígidas que um aluguel de quarto ou apartamento pelo Airbnb. Você pode se inscrever para ser um “experience host” em airbnb.com.br/experiences; a empresa então faz um encontro pessoal, verifica suas credenciais – para saber se você tem expertise e permissão para atuar na área – e testa a experiência antes de liberá-la no site.

É o “experience host” quem decide quanto vai cobrar pelo serviço; a comissão do Airbnb é de 20%. (No caso de aluguel, a comissão é de 3% e existe uma ferramenta que sugere preços para o anfitrião.) A pessoa que oferece Trips não precisa necessariamente alugar um local também – é algo independente.

O Trips foi lançado em novembro do ano passado, limitado a doze cidades, e agora está presente em dezenove locais. São cerca de 800 experiências ao redor do mundo, e 91% delas ganharam cinco estrelas dos usuários. O Airbnb planeja expandir o Trips para cinquenta cidades até o final do ano.

Há também uma iniciativa do Airbnb chamada “Places”, com livros turísticos e tours em áudio feitos por quem mora na cidade; encontros com pessoas com mesmos interesses que você; e a plataforma Resy para reservas em restaurante. Lehane diz que alguns desses recursos chegarão ao Brasil em junho.

O Trips e o Places são atividades menos controversas que o aluguel de quartos e casas, à medida que o Airbnb enfrenta questões regulatórias ao redor do mundo. No Brasil, tramita um projeto do Senado para modificar a Lei do Inquilinato e regulamentar serviços de aluguel por temporada; enquanto uma comissão na Câmara está elaborando sugestões para uma regulamentação geral da economia compartilhada no país.

O Airbnb tem 130 mil anfitriões no Brasil, e ajudou a hospedar um milhão de visitantes no país em 2016. A empresa foi parceira oficial de hospedagem para as Olimpíadas; o preço médio da locação foi de R$ 180 por dia durante o evento.

Felipe Ventura viajou para o Rio de Janeiro a convite do Airbnb.

Mais sobre:
  • smorais

    Achei interessante, mas mais interessante acho o trabalho do Garupa (garupa.org.br) faz um serviço parecido mas o foco é o turismo sustentável, o do airbnb é algo mais urbano.

  • CtbaBr

    Seria ótimo se surgisse um serviço assim para locações de imoveis em geral!
    Atualmente a locação de um imóvel é uma novela dramática, muita burocracia, muita exigência!

    Eu ainda não usei o Airbnb, mas já usei muito o TripAdvisor, simplifica muito a vida de quem gosta de planejar uma viagem, alem das opiniões de pessoas que usaram os hotéis e pousadas!

    • RickRatinho

      Em SP tem o quintoandar, até a plataforma é muito parecida com o Airbnb. Como sou do RJ, não sei se é bom.