Início » Mobile » Moto G5 Plus: fator de desequilíbrio

Moto G5 Plus: fator de desequilíbrio

Smartphone da Lenovo tem câmera impecável e acerta em quase tudo, mas pecou no hardware

Por
10/04/2017 às 10h24
8.4

Prós

  • Bateria de boa duração
  • Câmera acima da média da categoria
  • Conexões de sobra: NFC, TV digital e dois chips

Contras

  • Faltou uma versão com mais RAM
  • Lenovo precisa dar um jeito nessas bordas

Nem parece, mas o Moto G já chegou à quinta geração. Entre a primeira, que revolucionou o segmento de smartphones intermediários, e a atual, que subiu de nível para brigar com os celulares mais caros, muita coisa mudou. Por R$ 1.499, o Moto G5 Plus quer conquistar os usuários pela câmera e pelo design mais sofisticado. Será que ele consegue?

Com processador Snapdragon 625 e 2 GB de RAM, ele logo foi criticado no lançamento pelo hardware abaixo da média. Essa escolha da Lenovo interferiu no desempenho? A câmera é realmente a “mais avançada de sua categoria”, como promete a fabricante? E como ficou o leitor de impressões digitais com suporte a gestos? Eu conto tudo nos próximos minutos.

Review em vídeo

Design e tela

A Lenovo seguiu a tendência do mercado e melhorou o design no Moto G5 Plus, adotando um acabamento em metal e bordas chanfradas. É um belo avanço em relação ao Moto G4 Plus, um aparelho meio desengonçado e totalmente construído em plástico. A empresa também conseguiu dar um jeito no leitor de impressões digitais, tirando a moldura cromada que confundia o usuário ao se parecer, mas não se comportar, como um botão físico.

O sensor biométrico é um dos pontos mais bacanas do design: além de servir para desbloquear a tela, ele ganhou suporte a gestos. Basta ativar uma função no aplicativo Moto e pronto: volte à tela anterior deslizando para a esquerda, e abra a lista de aplicativos recentes deslizando para a direita. De quebra, isso faz a barra de botões virtuais do Android sumir, deixando mais espaço na tela para o que realmente importa.

A pegada está melhor que na geração anterior, mas não é tão boa quanto nos primeiros. As bordas grandes tornam o Moto G5 Plus mais largo do que deveria, o que dificulta a utilização com uma mão. Com tela de 5,2 polegadas, ele poderia ser bem mais compacto que 74 mm de largura — a LG conseguiu colocar 5,7 polegadas em 71,9 mm no G6, enquanto o Galaxy S8+ veio com 6,2 polegadas em 73,4 mm. Também desagrada o calombo na traseira, que não existe no G5 normal e faz o celular sambar na mesa.

Outro ponto a ser levantado é a insistência no conector Micro USB. Segundo a Lenovo, o comprador de Moto G ainda tem um “ecossistema” de cabos e acessórios baseados no padrão antigo, mas a verdade é que as outras fabricantes já estão apostando fortemente em USB-C mesmo em intermediários mais básicos, caso da Asus e Samsung. Em um período de transição que começou há bastante tempo, me parece mais lógico migrar para o padrão novo (e fornecer um adaptador) do que atrasar a evolução.

A tela IPS LCD de 5,2 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels continua no padrão do Moto G, entregando boa definição, cores equilibradas (no modo de cor Padrão) e brilho forte, dentro do que esperamos para a categoria. Mas eu confesso que senti falta de um contraste melhor — o que poderia ser resolvido com a adoção de um painel AMOLED, cada vez mais comum na categoria.

Software

Pouca coisa mudou no software da Lenovo, mas a empresa claramente tem feito mais concessões com relação à proposta de “Android puro”: o Moto G5 Plus vem com um widget personalizado de previsão do tempo na tela inicial, um estranho degradê no Moto Tela, além de um aplicativo de papéis de parede. A regra, no entanto, continua sendo a de interferir pouco no sistema operacional do Google.

Os diferenciais permanecem no aplicativo Moto, onde é possível ativar os atalhos do sensor biométrico e configurar os vários gestos de movimento para ativar determinadas funções — agitar duas vezes para ligar a lanterna, fazer um movimento de acelerar uma moto para abrir a câmera, deixar a tela virada para baixo para silenciar notificações, e por aí vai.

Desta vez, a Lenovo decidiu colocar a TV digital na versão mais cara. O esquema é o mesmo das gerações anteriores: você precisa colocar uma antena na entrada de 3,5 mm (que pode ser o próprio fone de ouvido ou um simples “rabicho” incluso na caixa) e assiste aos canais em HD onde houver sinal forte. O aplicativo mostra a grade de programação dos canais e permite gravar os programas. É um recurso bacana para não depender da conexão móvel se você quiser assistir a um programa ao vivo na TV aberta.

A minha crítica continua sendo a falta de atenção nas atualizações de segurança. Estamos em abril, e o Moto G5 Plus ainda traz o patch de segurança de janeiro, o que é ruim principalmente para quem construiu uma imagem de liberar atualizações de forma rápida. Mesmo Asus e Samsung, que são frequentemente criticadas por demorarem para liberar novas versões do Android, tem sido mais competentes que a Lenovo para manter seus aparelhos seguros.

Câmera

Se eu dissesse em 2013 que o Moto G teria uma câmera realmente boa, você não acreditaria, mas isso é verdade no Moto G5 Plus. O sensor de 12 megapixels com foco por detecção de fase e a lente com abertura de f/1,7 de fato entregam bons resultados. As fotos são detalhadas, têm bom alcance dinâmico e não apresentam ruídos mesmo em condições mais difíceis.

Durante o dia, o Moto G5 Plus entrega fotos com cores equilibradas, sem exagerar na saturação, e um ótimo nível de detalhes. O filtro de sharpening não é agressivo e deixa as imagens com um aspecto natural. O pós-processamento da Lenovo também consegue ressaltar bonitos degradês no céu e bons verdes no solo.

Em ambientes internos ou à noite, é possível notar uma suavização maior para esconder os ruídos, mas a definição não é prejudicada e as cores não perdem saturação, como aconteceria em uma câmera mais barata. A velocidade do obturador continua rápida, provavelmente ajudado pela lente com abertura generosa, o que ajuda a evitar fotos tremidas.

As fotos da câmera frontal de 5 megapixels também não decepcionam, mas aqui temos resultados mais “normais”, dentro do que se espera de um intermediário premium. Por padrão, o software aplica um efeito de embelezamento de rosto, mas é possível desativá-lo para obter uma selfie com definição melhor.

O Moto G5 Plus tem uma câmera traseira que eu esperaria em um smartphone de 2 ou 3 mil reais, mas ela está presente em um aparelho de R$ 1.499, o que é um baita ponto positivo.

Hardware e bateria

Lembra quando o Moto G tinha câmera ruim e hardware bom? No Moto G5 Plus, a Lenovo inverteu essa equação, colocando uma câmera boa e um hardware, no mínimo, decepcionante. O processador octa-core Snapdragon 625 é o mesmo que equipa o Moto Z Play e outros intermediários premium, tendo se mostrado competente e econômico, mas os 2 GB de RAM definitivamente são um gargalo.

Na maior parte do tempo, o Moto G5 Plus entrega um bom desempenho, alternando rapidamente entre os aplicativos e abrindo jogos sem demorar. Mas, em determinados momentos do dia, eu senti os ícones da tela inicial recarregando, um aplicativo demorando para abrir e o Chrome apresentando travadinhas incômodas. E a culpada é claramente a RAM; a utilização de memória fica entre 80% e 95% durante todo o dia.

Do ponto de vista comercial, faz sentido que ele tenha apenas uma versão com 2 GB de RAM no Brasil, até porque o produto imediatamente superior é o Moto Z Play — e ele tem uma câmera inferior ao do caçula. A não ser que você faça muita questão dos módulos ou da bateria adicional, não faria mais sentido comprar um Moto Z Play se existisse um Moto G5 Plus com 3 ou 4 GB de RAM, como lá fora. Ainda assim, eu fico com uma pontinha de decepção ao ver que a vida útil do aparelho foi tão encurtada.

Pelo menos a bateria não decepciona. Todos os aparelhos com Snapdragon 625 se mostraram bem econômicos até agora, e o Moto G5 Plus segue a linha. Nos meus dias de teste, tirando o smartphone da tomada às 9h, e utilizando 2h de streaming de música no 4G e 1h30min de navegação no 4G, com brilho no automático, eu consegui chegar até o final do dia (por volta de 22h ou 23h) com níveis entre 35% e 45% de bateria.

É uma bateria que deverá ser suficiente para aguentar um dia inteiro para a maioria das pessoas. Se não aguentar, o carregador rápido de 15 watts faz um bom trabalho em enchê-la rapidamente, com uma carga completa demorando menos de duas horas.

Conclusão

Eu analisei todas as gerações do Moto G até agora, desde 2013. E a conclusão do review do Moto G5 Plus é bem diferente das outras: ele não é bom para quase todo mundo, nem possui um dos melhores custo-benefício da categoria. O smartphone da Lenovo tinha tudo para ser o melhor entre os intermediários, trazendo uma das melhores câmeras do mercado, um design que agrada e uma bateria que dura bem.

Mas ele tem um fator de desequilíbrio, que é o hardware. O processador é competente, mas os 2 GB de RAM são um limitador que já mostra sinais de cansaço com utilização mais intensa, apresentando pequenos engasgos no multitarefa (e nem estou falando de jogos). Praticamente todos os concorrentes da mesma faixa de preço têm 3 ou 4 GB de RAM, caso do Zenfone 3 ou Galaxy J7 Prime.

A verdade é que 2 GB de RAM é o novo 1 GB de RAM, e os aplicativos estão ficando cada vez mais pesados. Se o Moto G5 Plus já apresenta engasgos hoje, a situação daqui a um ou dois anos não será melhor. A Lenovo poderia, pelo menos, oferecer ao consumidor brasileiro uma versão com 3 ou 4 GB de RAM, ainda que ligeiramente mais cara, como acontece em outros países.

O Moto G5 Plus pode ser uma opção interessante para quem procura uma câmera boa para fotos e se satisfaz com um desempenho ok. Mas quem pretende ficar mais tempo com o mesmo smartphone deve pesquisar outras opções.

Como comprar com desconto?

testador-cupons-checando

Você pode utilizar a nova extensão do Tecnoblog para economizar alguns caraminguás na hora de trocar de aparelho. Ela tem um módulo Testador de Cupons que busca e aplica o maior desconto disponível na internet no seu carrinho de compras. É tudo automático, então qualquer um consegue utilizar, e é completamente grátis!

ta-caro

Outro recurso muito legal é histórico de preços. Quando você acessar a página de um smartphone, por ex, a gente já consegue te dizer se ele está com um preço legal. Esse recurso te ajuda a não cair em nenhuma "promoção", dessas que oferecem tudo pela "metade do dobro". Tenho certeza que vai ser muito útil em datas especiais, como na Black Friday.

Curtiu? Então clique aqui para instalar. ;)

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.000 mAh;
  • Câmera: 12 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, GPS, GLONASS, Bluetooth 4.2, USB 2.0, rádio FM, TV digital, NFC;
  • Dimensões: 150,2 x 74 x 9,7 mm;
  • GPU: Adreno 506;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 128 GB;
  • Memória interna: 32 GB;
  • Memória RAM: 2 GB;
  • Peso: 155 gramas;
  • Plataforma: Android 7.0 Nougat;
  • Processador: octa-core Snapdragon 625 de 2,0 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio, sensor de impressões digitais;
  • Tela: IPS LCD de 5,2 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels.

Notas Individuais

Design
8
Tela
8
Câmera
10
Desempenho
7
Software
8
Bateria
8
Conectividade
10
  • Willian Tetsuo Shiratori

    Eu acho que vou ter que pegar esse celular na mão pra comparar com outros celulares. Uso o LG G3, que também tem 2 GB de RAM, e só sinto falta de uma boa bateria -estou usando um replacement bem ruim. Só uso o celular pra Telegram e Reddit, não sei se ainda preciso de um celular de 3 GB de RAM.

    Higa, você sabe dizer se o GPS do Moto G5 é bom?

    • Felipe Silva

      A questão é por quanto tempo tu pretende ficar com o celular novo, hoje provavelmente 2GB de RAM vão te atender, mas em um a dois anos vai comprometer muito mais o desempenho do celular.

  • Gertrudes, a Lhama

    Acho que, entre os “intermediários premium”, hoje o Galaxy A5 2017 seja uma boa opção. O preço de lançamento é maior, mas já se encontra ele por menos de R$1500 em algumas lojas na internet. Se perde com a câmera em relação a esse Moto G, mas ganha em hardware e qualidade de construção.

    Mas hoje, se eu fosse comprar, estaria de olho no Xperia X, que está na faixa de 1800 na internet… Hardware bacana, bonito e gosto bastante do Android da Sony.

    • Allan Ferreira

      Eu ficaria com Moto Z Play, mais barato e tem umas promoções que você pega a snap da JBL e/ou de bateria. Concordo, acho que o A5 é uma boa opção.

    • Glauber Silva

      Concordo, estou esperando ele dar uma abaixada no preço pra comprar

    • Rafael

      na faixa dos 1.200,00, eu pesquisaria o Zenfone 3 Max 5,5″. E o Zenfone 3 Zoom tbm parece ser uma boa opção.

      • Michel Rafael

        Zenfone 3 Max é bem inferior e o Zoom custa mais de 2 conto !!! . Zoom disputa com o Z Play se for analisar a faixa de preço !!! .

        • Rafael

          A diferença no dia a dia deve ser pequena. O Zenfone 3 Zoom terá versão por 1.800,00.

  • Eita, a nota do G5 Plus ficou menor que a do G4 Plus.

  • Jonas S. Marques

    Acho que mais do que mais RAM, um módulo atualizado que fosse resolveria o problema.
    Pelo que vi em sites lá fora o Moto G 5 Plus ainda vem com módulos LP DDR3. Um módulo LP DDR4 já seria bem mais rápido na liberação de cache e outras coisinhas, 3 GB de RAM então seria supimpa.
    Mas, vida que segue né, esperar o Z Play desse ano pra ver como se sai.

  • Diogo Nóbrega

    Desde ano passado já vinha prevendo que os 2GB de RAM iriam ser o básico dos celulares de entrada, e o mínimo pra rodar o Android, e o resultado tá aí nesse review. Comprar celular com 2GB em 2017 é pedir pra sofrer com lentidão e travamentos.

  • Anayran Pinheiro

    Alguém me explica como um Z3 compact, com os 2GB de RAM consegue ter um desempenho ainda melhor que estes intermediários com a mesma quantia de RAM?
    Eu suspeito que tanto a resolução da tela quanto o processador que ainda sustentam o bicho com um bom desempenho (apesar de ainda ser um processador de 32-bit)

    • Guaip

      Processador série 8. E apesar de fora de produção, é o mesmo motivo que um i7 de 4 anos atrás ainda é superior a um i3 de última geração.

    • Gertrudes, a Lhama

      Realmente, meu antigo Z3c mesmo com 2gb tinha um multitarefas melhor do que o Redmi Note 3 com 3gb que peguei em seguida(mesmo usando Cyanogen nele).

      Ah, o Z3c <3 saudades da telinha "pequena" dele. Pena que o X Compact não veio pra cá(e mesmo se viesse eu não poderia comprar)

  • Carlin

    Parabéns pelo review, continuem fazendo mais uso do canal de vocês, falta qualidade em boa parte dos canais especializados, e QUALIDADE é uma coisa que sobre aqui no TECNOBLOG!!! 😀

  • Jr. Malafaia

    Valeu, Tecnoblog! Excelente review!
    Sigo vocês no canal do Telegram, e por ele cheguei aqui. Jamais abandonem o Telegram, ele é meu único mensageiro e fonte de notícias

  • joao carlos araujo santos

    Eu acho q a envio deveria se preocupar em arrumar os bugs de todas as versões do Motorola.
    É muito bug ridículo.
    Tirar o fone enquanto reproduz música o auto falante para de funcionar.
    Ligar o não perturbe atoa.
    Abrir aplicativo sozinho.
    Desativar a câmera frontal e falar q tá em uso.
    Fora mais uns 15.
    Troquei 4x de Motorola.
    3 G e um Z e um e todos dão a mesma coisa.

  • Fred

    Duas dúvidas:
    1- Será que nunca trarão as versões com 3 e 4gb de RAM e de 64GB de armazenamento para o Brasil?

    2- A câmera dele é melhor ou pior que a do Moto Z Play? Eu achava que era melhor, pela abertura, mas o texto me deixar confuso: “até porque o produto imediatamente superior é o Moto Z Play — e ele tem uma câmera inferior ao do caçula.”

    • Sobre as versões com 3 ou 4 GB de RAM, a Lenovo diz que “por enquanto” vai trazer só a versão com 2 GB.

      A câmera do Moto Z Play é pior, mas ainda é boa.

      • Fred

        É uma pena. Estou querendo muito um telefone com câmera excelente, porém só encontro aparelhos com tela de 5,5 que eu acho grande pra usar no bolso da calça (cogitei o iphone 7 plus e o Zenfone 3 Zoom). Eu queria mesmo um com tela 5,2 que considero o tamanho ideal para mim. Porém os 2/32GB matam o G5 plus completamente para mim. Se tivesse a versão 4/64 comprava certo. Caso tenha alguma sugestão de aparelho neste perfil que procuro eu agradeço!

        • Tom

          Galáxy s7

        • Gertrudes, a Lhama

          O Galaxy S7(flat) tem a melhor câmera do mercado (pelo menos até o S8 chegar), e tem tela de 5,1″. Ele tem a traseira curvada, o que deixa a pegada dele melhor também, sendo possível de usar ele com uma mão.

          • Fred

            Hoje parece ser a melhor opção mesmo. Pena ser limitado em 32gb. Ao menos tem suporte pra SD neh?

      • Carlos

        Bom momento pra se fazer um comparativo doméstico entre o K6 Plus e o Moto G5 Plus. Uma tem processador melhor e 2GB de RAM. A outra, 3GB de RAM, preço mais atraente, porém, com uma versão inferior de processador.

    • Bruno Sacchi

      Infelizmente a melhor opção continua sendo trazer de fora, até pq sai bem mais barato. Comprei o Moto G5 Plus de 64GB/4GB + 100 dólares em outros produtos pela Amazon e saiu apenas 130 reais mais caro do que somente o Moto G5 Plus doméstico.

      Claro, nem todo mundo conhece gente que viaja pro exterior, aí o jeito é pagar os impostos toscos BRs.

      • Fred

        O modelo comprado lá fora funciona tranquilo aqui em qualquer operadora? Você comprou na Amazon entregado nos EUA mesmo, ou mandou vir pra cá?

        • Bruno Sacchi

          É um modelo Unlocked que funciona em uma grande variedade de bandas telefônicas mundiais, incluindo os nossos brasileiros. Na página tem relato de gente falando que funciona na Venezuela, na Argentina e na República Dominicana, por exemplo.

          Mandei entregar num endereço americano (pode entregar em hotel também), mas tinha uma opção de envio internacional, só que aí fica sujeito a taxação na alfândega.

          O modelo é o Moto G5 Plus XT1687 64GB encontrado aqui: http://a.co/8xX82tY

  • jairo

    Excelente review , não , não compraria este G5.

  • Tom

    Se tivesse 3gb de RAM seria meu próximo smartphone, mas por causa da depenaçao estou tentando pelo zenfone 3.

  • Everton Besson

    Sentindo falta aqui da tradicional foto das canetas…. Moto G bom celular, mas prefiro o Moto Z play….

    • Marcos Costa Ganen

      Também, para os dois assuntos tratados pelo Everton

  • Leandro Santos

    Eu só saí do moto g2 pq ele tava no osso já, mas saí pro G4, pq g3 nem pensar. Agora g5 é tiro no pé. N vale a pena.

  • Tobias

    Nas fotos tem uma conta que parece ligeiramente impossível de fechar (entre kcal queimadas e kcal no lanchinho) . . .

  • Vinicius Lira

    Só queria deixar meus dois centavos na discussão: Saí de um LG G4 com 3GB de RAM pro G5 Plus e não tô sentindo esses engasgos todos que o Higa falou. Sobre a câmera, foi uma decepção porque a do LG G4 é a melhor que eu já vi em celular até hoje. A falta de OIS na câmera do G5 Plus prejudica demais, mas tô amando o hardware e a bateria mesmo assim.

  • Anderson Mansera

    Oi Higa, parabéns pelo review!
    Tive impressões distintas em meus testes, especialmente com a câmera em ambientes escuros: o foco fica muito comprometido sem uma boa iluminação, e às vezes simplesmente não funciona como deveria. Creio que o Bruno Salutes teve esta mesma experiência.
    Outra coisa: você não achou a tela do G5 plus meio rosada?

  • Ronaldo Correia

    Até que enfim um review mostrando para a moto/lenovo que esses 2 gb de ram não pegaram bem. Se tivesse 3, seria imbatível!

    • Marcos Tony Lehmann

      Exatamente. Outros sites ficam querendo agradar a empresa minimizando o problema da RAM, elogiando câmera, bateria…

      • Michel Rafael

        Tem que ver que ele é um celular de Entrada e pouca gente precisa de multitarefas agressivos . O intermediário da Lenovo de verdade é o Z Play, quem curte mais RAM ( e precisa da mesma ) só esperar pelo Z Play 2017 simples assim. Muito mimimi para um aparelho de entrada !!! .

        • Se você considera R$ 1.499 um celular de entrada, temos que rever uns conceitos.

          • Michel Rafael

            Infelizmente estamos no Brasil . Celular de entrada vai ser tudo mais de mil reais . Visto que os tops já se encontram por 4/4.500 . Falo que o Moto G 5 Plus é entrada porque não existe outra linha mais baixa pelo que li em fóruns internacionais nada de 5 Play / Moto E 2017 etc . Ai vai do ponto de vista alguns acham o G entrada e o G Plus intermediário , eu já acho o Z Play intermediário faixa de 2 mil reais e o Z o top de linha !!! .

          • Michel Rafael

            Mas parabéns Paulo Higa gosto dos seus reviews acho um dos melhores apenas dei meu ponto de vista . Forte Abraço !!! .

  • Jhoni Beneti

    São reviews consistentes como este do Tecnoblog que mostram para as marcas quando elas deram uma bola fora no mercado. Essa limitação de ram é muita chinelagem da Motorola. Se todos os portais fossem sinceros quanto ao G5, certamente alguém tomaria alguma providência pra consertar antes que a concorrência acabe com o mercado dele.

  • cachalef

    web view sistema não funciona no moto g5 plus, por isso app de bancos não funciona.

    • Renan Rufino

      Como que é ?

  • Nyrium Elenilson Farias

    De alguma forma, nas análises, eu sinto que as câmeras dos moto g5 e g5 + são bem melhores que as do zenfone 3 zoom, sendo que em relação ao design daqueles, este último é bem mais bonito. Alem disso a bateria dá um show de duração. Mas não fui muito com a cara dele, do zenfone 3 zoom, nem do moto g.

  • Michel Rafael

    Desempenho 7 ? kkkkkkkk . Só por causa dos 2 gigas de RAM tenho um Zenfone 3 com 3 gigas e a velocidade é a mesma , vou além esse Android puro é mais otimizado que o mesmo . A não ser se o cara gosta de abrir 50 programas juntos ou 3 jogos ao mesmo tempo . Por 1.300 ou abaixo disso é páreo duro . Outros com a mesma qualidade de camera só por mais de 2 conto kkkkkkkk . Pelo menos no mercado nacional .

  • thiago_mnezes

    Gente,o G5 Plus só tem 2 GB de RAM,pq se tivesse mais,seria concorrente da linha Z.

  • Igor

    Esse 1GB a mais de RAM faz tanta diferença msm? Na faixa dos 1100, tem o J7 prime com 3GB de RAM mas sem sensor de luz.