A maioria dos prédios com elevador usa o clássico design criado no século XIX: uma cabine segurada por cabos que se desloca verticalmente. A alemã ThyssenKrupp decidiu fazer um modelo completamente diferente: ele não usa cabos, e pode se mover para os lados também.

O ThyssenKrupp Multi vem sendo desenvolvido há três anos, e seu primeiro cliente é o prédio residencial East Side Tower, atualmente sendo construído em Berlim.

Em vez de cabos, o Multi usa levitação magnética, a mesma tecnologia presente em trens de alta velocidade. Cada cabine possui ímãs que interagem com uma bobina magnetizada ao longo dos trilhos, explica a Wired. O elevador liga e desliga estas bobinas para criar fortes campos magnéticos e se deslocar.

E como o Multi se move para os lados? Isso é possível graças aos trocadores, que fazem rotações de 90 graus e mudam a direção dos trilhos. A cabine, no entanto, tem rolamentos para sempre permanecer na mesma posição — ela não se move quando alterna entre movimentos na vertical e na horizontal.

Este elevador não se desloca tão rápido: ele varia entre 18 km/h e 25 km/h — contra os 73,8 km/h do recordista mundial, desenvolvido pela Mitsubishi Electric e instalado em Xangai.

Em vez de velocidade, o foco é aumentar o volume de passageiros transportados. Você pode ter várias cabines no mesmo poço de elevador; e quando uma cabine bloqueia outra, ela pode se mover para a esquerda ou para a direita e sair do caminho.

Talvez você esteja preocupado com a segurança, mas vale lembrar que a ThyssenKrupp já tem um elevador com mais de uma cabine por poço. O Twin possui um sistema de segurança com quatro estágios, para garantir que as cabines mantenham uma distância mínima entre si, e ativem o freio de emergência se necessário. O Multi segue as mesmas diretrizes.

A ThyssenKrupp segue testando o Multi em uma torre na Alemanha, e vem finalizando suas certificações de segurança. Se tudo der certo, esta pode ser uma versão real do Wonkavator, elevador usado por Willy Wonka em A Fantástica Fábrica de Chocolate; ou do Turbolift visto em Star Trek.

Com informações: Wired, ThyssenKrupp.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Adalio Siqueira
Tb. não sei exatamente rs, mas por ter cabos, sem energia eles travam, travando o elevador.. no caso de imas elétricos fazendo a sustentação... me da receio
Kang Otro ✓

Como funciona hoje?

Kang Otro ?
Como funciona hoje?
Adalio Siqueira
Mas e se acabar a energia? (eu sei) que já foi pensado, mas queria saber como funciona - só geradores?... - Enfim acho que eu não confio ainda....
JOSE HAROLDO SENA DE O. FILHO
A equipe de projetistas da ThyssenKrupp deve estar recheada de fans do Harry Porter. Na sede do Ministério da Magia há vários destes.
@Sckillfer

Finalmente juntaram o A+B dos elevadores+trens, acho que não fizeram isso antes por ser muito caro mesmo, já que maglev existe a tanto tempo.
Os elevadores da CPTM são da ThyssenKrupp, com a diferença que se locomovem a 100m/h e focam em transportar o mínimo de passageiros possível.

Sckillfer
Finalmente juntaram o A+B dos elevadores+trens, acho que não fizeram isso antes por ser muito caro mesmo, já que maglev existe a tanto tempo. Os elevadores da CPTM são da ThyssenKrupp, com a diferença que se locomovem a 100m/h e focam em transportar o mínimo de passageiros possível.
Daniel

Imagina o que é fazer a manutenção em um desses...

Daniel Silva
Imagina o que é fazer a manutenção em um desses...
3-6-9

Sistema complicado e provavelmente MUITO caro para instalar e manter.

Vai se tornar um produto de nicho.

868686
Sistema complicado e provavelmente MUITO caro para instalar e manter. Vai se tornar um produto de nicho.
Will

Creio que dê para deixar inativo sim, é só transportar para um lugar distante dos que são utilizados

Weller Santibanez
Creio que dê para deixar inativo sim, é só transportar para um lugar distante dos que são utilizados
Trovalds
Proposta revolucionária. Praticamente elimina uma variável importante nos projetos de edifícios que são os elevadores. Fiquei até curioso em saber se tem como deixar elevadores inativos em horários menos movimentados, tipo transporte coletivo rodoviário. Digamos, nos horários de pico se ativam 10 elevadores e fora deles se ativam menos. Quem depende de elevador em edifício comercial sabe bem a diferença entre chegar na hora e chegar atrasado a um compromisso ou ao trabalho por conta de fila pra elevador lotado.