Baterias de sódio podem ser a solução para recargas rápidas de verdade

Pesquisadores criaram uma bateria de íons de sódio para permitir recargas em segundos e armazenar mais energia do que baterias de lítio

Emerson Alecrim
Por
Baterias de sódio podem ser a solução para recargas rápidas de verdade (imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Baterias de sódio podem ser a solução para recargas rápidas de verdade (imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Resumo
  • Pesquisadores da Coreia do Sul estão desenvolvendo baterias de íons de sódio que podem ser recarregadas em segundos, usando sódio, um elemento muito mais abundante e barato que o lítio.
  • A pesquisa aponta para uma possível revolução no uso de baterias para dispositivos eletrônicos e veículos elétricos, embora as baterias de íons de lítio continuem dominantes no mercado por enquanto.
  • A equipe do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia (KAIST) inovou ao combinar o ânodo de sódio com um cátodo de material especial, permitindo capacidades de armazenamento comparáveis ou superiores às de íons de lítio e recargas muito mais rápidas.
  • A viabilidade comercial das baterias de sódio ainda depende de testes rigorosos de eficiência, confiabilidade e segurança.

A busca por baterias realmente eficientes levou pesquisadores da Coreia do Sul a trabalharem um projeto para permitir que elas sejam recarregadas em poucos segundos. Para isso, os cientistas apostam no uso de sódio (Na), elemento químico cerca de mil vezes mais abundante que o lítio (Li) das baterias atuais.

Baterias baseadas em íons de sódio já existem. Elas tendem a custar menos porque o sódio pode ser encontrado facilmente em todas as regiões do planeta, inclusive no oceano. É o contrário do lítio, cuja extração é feita predominantemente na Austrália e no Chile, com países como Argentina e Brasil fornecendo volumes complementares.

Mas, em linhas gerais, as baterias de íons de sódio atuais têm recarga mais lenta e capacidade de armazenamento de energia menor em relação às tradicionais baterias de íons de lítio. A pesquisa do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia (KAIST) tenta resolver essas limitações.

Otimizando as baterias de sódio

Para tanto, a equipe liderada pelo professor Jeung Ku Kang combinou o ânodo de uma bateria de sódio com um cátodo feito de uma material especial usado em capacitores de alto desempenho.

Essa abordagem híbrida permite que a bateria de íons de sódio alcance capacidades de armazenamento próximas ou até superiores em relação a uma unidade equivalente baseada em íons de lítio.

Além disso, os testes feitos em laboratório sugerem que baterias de íons de sódio podem lidar com milhares de ciclos de recarga, provavelmente em número maior do que as suportadas pelas baterias de lítio disponíveis hoje.

Mas a característica mais impressionante é o tempo de recarga. A pesquisa aponta que a densidade de potência da bateria de sódio é pelo menos 30 vezes superior na comparação com as baterias de lítio.

Isso significa que, se a bateria de um dispositivo atual leva uma hora para ser completamente recarregada, por exemplo, esse tempo poderá ser inferior a dois minutos com uma bateria de mesma capacidade com íons de sódio.

Bateria de íons de lítio em celular (imagem: Unsplash/Tyler Lastovich)
Bateria de íons de lítio em celular (imagem: Unsplash/Tyler Lastovich)

É só promessa ou há chance de se tornar real?

O grande problema das pesquisas envolvendo baterias é que, a exemplo do que acontece em muitas outras áreas, é frequente que um trabalho promissor não resulte em algo amplamente disponível no mercado.

Isso pode acontecer aqui. Isso porque, para ter relevância na indústria, a bateria desenvolvida pelos pesquisadores do KAIST terá que passar por testes e ajustes rigorosos de eficiência, confiabilidade, durabilidade, segurança, entre outros parâmetros.

Mas é possível manter alguma expectativa com relação a esta pesquisa porque ela otimiza um tipo de bateria que já existe, só não é viável (ainda) para uso em larga escala. Além disso, o fato de o sódio não ser um elemento de custo elevado torna a proposta ainda mais interessante para a indústria.

As baterias de íon de lítio não serão substituídas tão cedo. Mas a expectativa é a de, nos próximos anos, a pesquisa da equipe de Kang favoreça o uso de bateria de íons de sódio em dispositivos variados, que vão de celulares a carros elétricos.

Com informações: Interesting Engineering

Receba mais sobre Coreia do Sul na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados