Início » Gadgets » Google mata recurso do Home Mini antes do lançamento

Google mata recurso do Home Mini antes do lançamento

Alto-falante estava gravando mais dados do que deveria

Paulo Higa Por

O Google se envolveu em uma polêmica depois que um jornalista descobriu que o Home Mini estava gravando (muito) mais dados do que deveria. A empresa se pronunciou rapidamente, dizendo se tratar de uma falha e liberando uma atualização de firmware para resolver o problema. Mas a decisão foi mais drástica: um recurso do alto-falante será permanentemente desativado.

O recurso falho permitia acionar o Google Assistente com um toque longo na parte superior do Home Mini. De acordo com o Google, um pequeno número de unidades apresentou um bug que fazia o alto-falante reconhecer toques inexistentes e, assim, o assistente pessoal entrava em atividade várias vezes ao longo do dia, gravando as conversas do ambiente e enviando as informações para a nuvem.

A correção distribuída pelo Google já havia desabilitado o painel tátil nas unidades afetadas, mas a empresa deu a entender que a remoção seria temporária. Na verdade, ela será aplicada a todo mundo: “Apesar de termos recebido apenas alguns relatos sobre o problema, queremos que as pessoas tenham paz de espírito enquanto utilizam o Home Mini. Tomamos a decisão de remover permanentemente toda a funcionalidade de toque na parte superior”, diz a empresa.

A documentação do Home Mini também foi atualizada. Um artigo de suporte que explica como controlar o Google Home por toque diz que, errrrr, você não pode tocar na parte superior do gadget. Agora, para chamar o Google Assistente, é preciso dizer “Ok Google”. Além disso, a única forma de controlar a reprodução de mídia, um alarme ou um timer será por meio de comandos de voz.

Parece uma falha de projeto de hardware, embora a empresa não admita isso publicamente. É um raro caso em que um recurso é removido antes do lançamento do produto: o Google Home Mini ainda não foi entregue aos consumidores (eles só receberão o alto-falante no dia 19 de outubro) e as unidades em atividade eram basicamente as que estavam sendo testadas por jornalistas de tecnologia.

Com informações: CNET, TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Maicon Bruisma
Escutei um podcast do Braincast ou Mupoca sobre esses assistentes te escutando sempre. A empresa diz que o aparelho só analisa os dados depois de ouvir o chamado (Ok Google, Alexa, etc), mas e as propagandas que a gente recebe? Eu também já tive essa experiência, meu Nexus atualizou pro Android 8, eu tava falando no WhatsApp sobre fones de ouvido e caixas de som, não deu 10 minutos e apareceu propagandas do mercado livre, gearbest e Banggood (tenho os 3 instalados no meu aparelho).
hamster

Mas tem, o Google registra e vende as informações para publicidade.

brunossn
Mas tem, o Google registra e vende as informações para publicidade.
Gertrudes, a Lhama Morta

Acho que quando se trata de um dispositivo feito pra te escutar e responder a qualquer momento, não existe algo realmente “seguro”. Visto a quantidade de vezes que a Google Assistente/Cortana/Siri se ativam sozinhas no próprio celular, por exemplo.

Acredito que privacidade é uma batalha perdida pra qualquer um que tenha dispositivos inteligentes hoje

Gertrudes, a Lhama
Acho que quando se trata de um dispositivo feito pra te escutar e responder a qualquer momento, não existe algo realmente “seguro”. Visto a quantidade de vezes que a Google Assistente/Cortana/Siri se ativam sozinhas no próprio celular, por exemplo. Acredito que privacidade é uma batalha perdida pra qualquer um que tenha dispositivos inteligentes hoje
Tiago Souza Cândido
"perigoso", como se houvesse alguém do outro lado ouvindo.
Renan
Eu não gosto de falar "Ok Google". Talvez soe natural para nativos em inglês, mas eu não consigo me acostumar. Seria melhor se fosse possível configurar uma alternativa de minha escolha.
ʞǝʌǝɥs

acho que seria um recurso bom, mas perigoso...por exemplo, crianças poderiam ativar ou desativar a gravação...seria interessante ter uma alternativa segura para esse recurso, porque, francamente, acho meio ridículo ficar conversando com esse botão hipertrofiado

Jose X.
acho que seria um recurso bom, mas perigoso...por exemplo, crianças poderiam ativar ou desativar a gravação...seria interessante ter uma alternativa segura para esse recurso, porque, francamente, acho meio ridículo ficar conversando com esse botão hipertrofiado