Início / Testamos / Gadgets /

Review iPad Mini 6 (2021): quase um iPhone gigante

Equipado com o processador do iPhone 13, iPad Mini 6 (2021) encanta pela potência e ainda entrega suporte ao 5G e um novo design

Por
Nota Final 9.1
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Na apresentação dos novos iPhones 13 quem brilhou foi ele: o iPad Mini 6 (2021). O novo tablet da Maçã adota o design do iPad Pro e do iPad Air 2020, e, apesar de ser inferior, o modelo não deixou a potência de lado. A empresa foi bem generosa ao equipar ele com o A15 Bionic, o mesmo processador do iPhone 13, e ainda manteve a conexão USB-C e o Touch ID para desbloqueio e outras ações.

Custando até 9.399 no site oficial, o tablet tem tela de 8,3 polegadas com suporte à caneta Apple Pencil, é compatível com a rede 5G e traz som estéreo. Nas últimas semanas eu larguei o iPad Air 2 para usar o iPad Mini 6 como tablet principal e compartilho a minha jornada com ele ao longo deste review.

Análise do iPad Mini 6 (2021) em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O iPad Mini 6 foi fornecido pela Apple por empréstimo por tempo indeterminado. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design

A Apple foi certeira ao fazer com que o iPad Mini 6 adotasse a mesma linguagem visual do iPad Air e do Pro. Isso significa que a geração atual do Mini recebeu as belas laterais achatadas. A estratégia deu tão certo que o tablet fez mais sucesso que os novos iPhones em 2021 e recebeu muitos elogios no Twitter. Como todo produto Apple, o iPad Mini tem um acabamento refinado, com estrutura de alumínio, e passa uma boa impressão.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Analisando a usabilidade e a ergonomia, eu já estava acostumado a usar um iPad convencional no dia a dia, principalmente para assistir a séries e filmes. A tela grande propicia uma experiência mais envolvente, porém segurar um dispositivo de quase 10 polegadas por horas pode ser cansativo. Com o iPad Mini eu já consigo segurar melhor com as duas mãos e, pensando 297 gramas, ele não gera desconfortos.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Eu não gostei da localização dos botões e sempre me atrapalho na hora de acionar eles. Tanto o Touch ID como os de volume estão posicionados na parte superior do tablet e, na minha opinião, a Apple tinha que deixar ao menos os de volume na lateral direita, para facilitar o alcance. Eu penso que a empresa deve ter feito isso, pois a lateral é usada para fixar a caneta Apple Pencil, que é vendida separadamente, por isso a única solução seria colocar eles na lateral menor.

A Apple enviou o dispositivo na cor roxa, que é clarinha e bem agradável. Ele foi lançado em outras três cores: cinza-espacial, rosa e estelar. Todas elas são bonitas e as opções verde e azul, encontradas no iPad Air, não estão disponíveis para o modelo Mini, infelizmente.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Tela e som

A tela do iPad continua excelente. A geração testada avançou para 8,3 polegadas, contra 7,9 da versão anterior. Foi um belo salto e as bordas gigantescas no painel não existem mais. Isso, porém, não quer dizer que elas, agora, estão ligeiramente finas, mas tenho que admitir que a experiência de uso está melhor. A empresa segue oferecendo a tela Liquid Retina com resolução 2266 x 1488 pixels e 500 nits de brilho.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Essa configuração dá ao tablet excelente definição, ótimos contrastes e brilho forte. Eu gostei muito da qualidade do painel e, em algumas cenas de filmes e séries, a vivacidade promovida por ele me chamou a atenção. É muito bom ver essa qualidade, afinal uma das principais propostas de um tablet é favorecer o consumo de vídeos e outros conteúdos. Só faltou, mesmo, a taxa de atualização de 90 ou 120 Hz.

Ele já tem suporte à caneta Apple Pencil de segunda geração. O acessório é muito elogiado pelo desempenho decente e pode ser acoplado ao iPad Mini para recarga. É um item interessante principalmente para você que pensa em desenhar no gadget. Para adquirir, a Apple pede exatamente R$ 1.599; ainda bem que o varejo não trabalha com esse preço.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Eu prefiro usar o iPad com um fone de ouvido conectado, mas, se quiser, os alto-falantes estão aqui e o melhor é que eles são estéreos. Há dois falantes em cada extremidade do aparelho e eles até são bons, criando uma imersão. Talvez, a empresa poderia elevar um pouco o volume, para gerar uma melhor experiência. Ainda assim, eu não tenho muito o que reclamar; a performance é generosa até no volume máximo. Já o conector para fones de ouvido não está disponível, o que me deixou bem decepcionado, porém, se tratando de Apple, eu nem fico surpreso.

Câmeras

O iPad tem uma câmera traseira e, certamente, você dará preferência às lentes do seu smartphone. A Apple atualizou o conjunto fotográfico este ano, fazendo com que o iPad Mini produza imagens com maior definição e mais brilho. Na minha visão, o resultado é apenas ok e não incrível como no iPhone 13 Mini. O tablet vem equipado com uma câmera de 12 megapixels de resolução com abertura f/1,8.

Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Observando a qualidade, é possível notar um ganho no brilho e as áreas claras tendem a ficar mais fortes, assim não há perda de detalhes. Eu ainda pude perceber que a nitidez está elevada, mas num tom que não me agrada, já que fica intensa demais, prejudicando pontos escurecidos. Definitivamente, não é uma câmera que eu usaria de forma recorrente, para publicar fotos nas redes sociais, por exemplo. Nas especificações, a Apple diz que ele pode gravar em 4K a até 60 fps.

Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera traseira do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A frontal, também de 12 megapixels, se mostra mais útil. Para as selfies, a qualidade é satisfatória, mas não é nada muito impressionante. Provavelmente, você deve contar com ela durante as videochamadas. Penso nisso, a Apple adicionou aqui a tecnologia Center Stage (ou palco central), que faz a câmera se mover de forma automática deixando você centralizado no vídeo. O recurso já estava disponível no iPad Pro e, durante o período em que fiquei com o iPad Mini, o palco central funcionou bem nas reuniões no Zoom.

iPad Mini 6 (2021) com palco central no Zoom (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) com palco central no Zoom (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Software, hardware e bateria

Já em software não há grandes alterações. O tablet da Maçã já veio com o iPadOS 15, inspirado na interface dos iPhones, o iOS. Isso quer dizer que usuários já imersos no ecossistema da marca notarão algumas semelhanças. Trata-se de um software muito bem resolvido, com fluidez, não há travamentos e ele está muito bem otimizado à tela de 8,3 polegadas. Talvez o único ponto negativo, também encontrado no iOS, é a personalização, que não existe dentro da Apple.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

No mais, a multitarefa é excelente. Eu consigo abrir duas janelas com apps diferentes, deixar uma tela flutuando e há o PiP (Picture-in-Picture), para você não perder um filme da Netflix enquanto dá uma espiada nas redes sociais. Para uma experiência mais próxima de um notebook, a Apple aprimorou bastante o seu tablet: eu, por exemplo, pude conectar um mouse e teclado ao iPad Mini por Bluetooth. Ainda é estranho, porque estamos falando de um sistema de tablet, mas é muito bom ter essa versatilidade. Além disso, a conexão USB-C está disponível para você conectar dongles.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Com relação ao hardware, este iPad analisado ganhou o A15 Bionic, mesmo processador do iPhone 13. O dispositivo continua poderoso, com performance decente em qualquer situação. A variante que passou pelas minhas mãos tem slot para chip de operadora, isso também quer dizer que você terá acesso à rede 5G, uma vez que o A15 Bionic é compatível. A versão só Wi-Fi também está disponível. Nós testamos o modelo de 256 GB de espaço e a empresa continua vendendo uma versão de 64 GB que é pouco para um dispositivo com este; iniciar com 128 GB seria o ideal.

A autonomia do iPad Mini é boa, não ótima. A Apple promete bateria para o dia todo, mas não entra em detalhes. Usando de forma casual, sempre à noite, foi possível jogar Forza Horizon 5 via Xbox Game Pass por cerca de 1 hora, eu passei alguns minutos no Twitter e algumas horas na HBO Max. Com essas atividades, o tablet ficou ligado por uma semana.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Agora, no uso mais intenso, isso já muda. Em um dia, com 2 horas de Netflix, 1 hora de YouTube, 1 hora de reunião no Zoom e 30 minutos de Asphalt 9, a porcentagem saiu dos 100% e ficou 21% após essas atividades. O tablet estava conectado o tempo todo ao Wi-Fi de 5 GHz e com o brilho da tela no máximo, resultado bem mediano. Já o carregador de 20 watts enviado na caixa faz o aparelho sair dos 12% e atingir a sua carga total em 1h50min.

iPad Mini 6 (2021): vale a pena?

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Há dois anos eu venho usando um iPad de 9,7 polegadas e sempre tive a impressão de que nunca ia me adaptar ao modelo menor. Eu estava errado. O iPad Mini 6 foi o meu companheiro de teste por cerca de três meses e, em poucos dias, eu já estava acostumado com toda a proposta dele. A grande sacada (e diferencial) é que a Apple consegue entregar um tablet muito bem otimizado, capaz de executar qualquer tarefa sem nenhum deslize, algo que não vejo na concorrência. Sim, estou falando de Android.

iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPad Mini 6 (2021) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O iPad Mini é para você que procura um tablet pequeno para o cotidiano e até mesmo para quem deseja economizar, tendo em vista que o iPad Air atual sai por até R$ 10.299 no site oficial da Apple. O Mini não está muito longe disso, mas ainda temos o varejo online que, felizmente, não pratica esses valores tão absurdos.

É bom ver a Apple mais aberta nessa categoria, oferecendo USB-C, que favorece demais a usabilidade e a versatilidade, mas ainda não está no nível ideal. Eles têm o melhor tablet do mercado e, na minha visão, o Tim Cook pode explorar mais esse reconhecimento e deixar o iPadOS personalizável e com mais recursos fora do ecossistema da marca para, talvez, atrair os usuários de Android. O iPad Mini é um tablet poderoso que eu com certeza compraria.

Especificações técnicas

  • Tela: Liquid Retina IPS LCD de 8,3 polegadas, 2266 x 1488 pixels a 326 ppp;
  • Processador: Apple A15 Bionic;
  • Armazenamento: 64 GB ou 256 GB sem expansão por microSD;
  • Câmera traseira: 12 megapixels, f/1,8;
  • Câmera frontal: 12 megapixels, f/2,4 com ângulo de visão de 122°;
  • Bateria: 19,3 Wh;
  • Sistema operacional: iPadOS15;
  • Conectividade: USB-C, 5G, Wi-Fi 6, Bluetooth 5.0;
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, luminosidade, impressão digital na lateral e barômetro;
  • Outros: quatro alto-falantes estéreo, suporte para Apple Pencil de segunda geração;
  • Dimensões e peso: 195,4 x 134,8 x 6,3 mm; 293 gramas (Wi-Fi) e 297 gramas (Wi-Fi + Cellular 5G).

Review iPad Mini 6 (2021)

Prós

  • Mini adotou o belo design do iPad Air 2020 e do Pro
  • Tela excelente para filmes, séries, jogos e outras tarefas
  • USB-C é um grande acerto da Apple
  • Sistema sonoro é de qualidade
  • Tem suporte à caneta Apple Pencil
  • Processador poderoso e com suporte ao 5G

Contras

  • Faltou a entrada para fones de ouvido
  • Sistema iPadOS poderia ser personalizável
  • Versão de 64 GB? Por que isso, Apple?
Nota Final 9.1
Tela
9
Design
10
Câmera
8
Bateria
8
Software
9
Desempenho
10
Conectividade
10
Som
9