Início » Mobile » Xperia XA1 Plus: quando mais é menos

Xperia XA1 Plus: quando mais é menos

Novo intermediário da Sony traz bom conjunto de hardware, mas difere pouco dos outros XA1 e peca no custo-benefício

Por
29/11/2017 às 16h42
8.1

Prós

  • Bateria com autonomia decente
  • Finalmente um leitor de digitais na linha XA1

Contras

  • Design externo robusto, mas já cansado
  • Poderia já ter vindo com o Android 8.0

A Sony domina a arte de fazer smartphones intermediários com pinta de topo de linha. O mais recente membro dessa categoria no Brasil é o Xperia XA1 Plus, que foi lançado neste mês por R$ 2.099. Com esse preço, o modelo promete boa experiência nas fotos, leitor de digitais e bateria que não te deixa na mão. Será?

Os números são interessantes na primeira olhada. Temos aqui uma tela full HD de 5,5 polegadas, 4 GB de RAM, 32 GB de armazenamento interno para dados, câmera traseira de 23 megapixels e bateria de 3.430 mAh.

Como esse conjunto encara o dia a dia? Eu testei o Xperia XA1 Plus por duas semanas e conto as minhas impressões a partir de agora.

Em vídeo

Design

Se te mostrarem o Xperia XA1 Plus ao lado de um Xperia XZ1 ou um Xperia XZ Premium, por exemplo, provavelmente você vai precisar de alguns segundos para identificar qual é qual. A razão é simples: esses modelos seguem um padrão de design que, apesar de ter algum ar de sofisticação ou beleza, já está um pouco cansado. É como se estivéssemos segurando smartphones lançados dois ou três anos atrás.

A Sony promete mudanças no design, mas só para o ano que vem

A Sony promete mudanças no design, mas só para o ano que vem

Isso significa que, assim como os seus companheiros de linha, o Xperia XA1 Plus tem design que lembra um HD externo ou uma bateria portátil. Pelo menos o acabamento externo é bem bom. As laterais esquerda e direita são de metal enquanto a traseira (não removível) é feita de um plástico firme que garante boa pegada. Pena que o material é bastante suscetível a marcas de dedos — pelo menos no modelo preto, usado no teste.

Xperia XA1 Plus

A pegada é boa, mas isso não te isenta de tomar cuidado. O Xperia XA1 Plus pesa 190 gramas, ou seja, é um pouco mais pesado do que a média. Não é nada suficiente para te ajudar a praticar musculação, mas tive impressão de que esse pesinho extra pode fazer o aparelho escapar da mão mais facilmente.

Todo cuidado é pouco, como sempre. Isso vale inclusive para respingos d’água, chuva ou qualquer condição “molhada”: o modelo não tem certificado IP65/68 ou semelhantes.

O Xperia XA1 Plus tem porta USB-C, mas no padrão 2.0

O Xperia XA1 Plus tem porta USB-C, mas no padrão 2.0

É evidente que a Sony é um tanto resistente a mudanças. Um lado positivo disso, creio, é a tradição da empresa de incluir um botão físico para câmera no lado direito. Não é um recurso imprescindível, mas toda ajuda para tirar fotos é bem-vinda. Mais acima está o botão Liga / Desliga, que também é um leitor de digitais, e os controles de volume.

Xperia XA1 Plus

No lado esquerdo fica a gaveta para os dois SIM cards. Por um momento eu pensei que o dispositivo não suportava microSD, mas suporta sim: você precisa inserí-lo na ranhura que é revelada quando a gaveta é removida. Dá para usar cartões de até 256 GB.

Xperia XA1 Plus

Tela

A Sony não é de decepcionar na tela. Com o Xperia XA1 Plus não é diferente. Do tipo IPS LCD e com resolução de 1920×1080 pixels, o componente exibe cores vívidas, tem níveis de preto excelentes (para um painel LCD), proporciona visualização com pouca perda de tonalidades sob ângulos diferentes e o brilho máximo vai permitir, por exemplo, que você enxergue bem as informações do Google Maps quando estiver na rua em um dia de sol.

Eu só fiquei um pouquinho frustrado com o ajuste automático. Nas vezes que eu usei o aparelho em condições de sol forte, o aumento do brilho não foi suficiente. Tive que fazer o ajuste manualmente. Mas, em ambientes fechados, o sensor permitiu que o ajuste automático adequado fosse aplicado.

Xperia XA1 Plus

No fim das contas, a tela em si agrada bastante. O problema é o espaço ao redor. Eu sei que é repetitivo falar que o aproveitamento da área frontal do Xperia XA1 Plus deixa a desejar. Como a tela é grande (relembrando, ela tem 5,5 polegadas de tamanho), os espaços acima e abaixo dela acabam deixando o smartphone com uma aparência esticadona.

Não é nada muito diferente do que ocorre com outros aparelhos intermediários e com tela grande, porém. No quesito qualidade de imagem, que é o que mais interessa, o importante é saber que o Xperia XA1 Plus se sai bem.

Software

Você tem ou já brincou com um Xperia lançado nos últimos meses? Então a interface do XA1 Plus não vai ser novidade para você. Nada mudou. Os ícones arredondados, a organização dos menus, os efeitos suaves de transição e alguns bloatwares, como o AVG Protection e o What’s New, continuam lá, do mesmo jeito.

A parte positiva disso é que algumas ferramentas já clássicas, mas úteis, também marcam presença. É o caso do modo Stamina, que ajuda a poupar bateria nos momentos de aperto, e dos players de mídia.

Xperia XA1 Plus

Outro aspecto positivo é que a interface é estável e não tem grandes alterações funcionais. Porém, não posso esconder que senti uma pontada de decepção ao descobrir que o aparelho sai de fábrica com o Android 7.0 Nougat — o Xperia XZ1 também é recente e já vem com o Android 8.0 Oreo. De todo modo, a Sony promete uma atualização para os próximos meses.

Câmeras

As câmeras fotográficas da Sony estão entre as melhores do mundo. É por isso que eu fico desconcertado com o fato de a linha Xperia nunca ter se destacado quando o assunto é foto. O Xperia XA1 Plus não é exceção, mas isso não quer dizer que as imagens feitas com ele ficam ruins. Elas só não são excelentes.

O dispositivo tem o mesmo sensor traseiro de 23 megapixels (com lente de abertura f/2,0) presente no Xperia Z5, topo de linha da marca lançado em 2015.

Xperia XA1 Plus

Os resultados são decentes. Dá para perceber alguma perda de definição nos pontos mais próximos das bordas (problema recorrente na linha Xperia), mas discreta. Os níveis de cores são equilibrados, embora vez ou outra dê para notar que alguns pontos escuros ficam mais intensos do que deveriam por conta do excesso de saturação.

Ruídos aparecem, é claro, mas não em níveis exagerados. Até mesmo em ambientes fechados, mais propícios ao problema por conta da luminosidade reduzida, os ruídos são satisfatoriamente controlados. À noite, o pós-processamento pode suavizar a imagem demais para remover os ruídos, comprometendo a definição. Mesmo assim, a câmera consegue fazer fotos apresentáveis.

Foto registrada com o Xperia XA1 Plus
Com HDR

Com HDR

Foto registrada com o Xperia XA1 Plus
HDR

HDR

Foto registrada com o Xperia XA1 Plus
HDR

HDR

Foto registrada com o Xperia XA1 Plus
HDR

HDR

Foto registrada com o Xperia XA1 Plus
HDR

HDR

Foto registrada com o Xperia XA1 PlusFoto registrada com o Xperia XA1 PlusFoto registrada com o Xperia XA1 Plus

Se você quiser imagens com mais vivacidade vai ter que recorrer ao HDR, que pode ser ativado no modo manual. Dependendo das circunstâncias, as diferenças são gritantes, embora uma ou outra foto fique excessivamente saturada.

A câmera frontal, de 8 megapixels e abertura f/2,0, faz um trabalho apenas ok, permitindo selfies com boa definição e ruídos controlados. Eu ficaria feliz, porém, se o fundo não saísse tão estourado no modo automático. Ah, dependendo das circunstâncias, vale a pena desativar o efeito de pela macia nas configurações da câmera. Com ela, o seu rosto pode sair com pele macia até demais.

Selfie registrada com o Xperia XA1 Plus

Hardware e bateria

4 GB é uma quantidade muito boa de RAM. Os 32 GB de espaço para armazenamento de dados são o mínimo aceitável para os padrões atuais, então está ok. No que diz respeito às especificações, o que mais nos lembra que o Xperia XA1 Plus é um smartphone intermediário é o processador: um MediaTek Helio P20 com quatro núcleos Cortex-A53 de 2,3 GHz e quatro de 1,6 GHz acompanhado da GPU Mali-T880MP2.

É um bom conjunto. Não tive problemas com multitarefas, nenhum app fechou repentinamente e quase tudo rodou de modo estável. Aplicações exigentes foram executadas, mas dentro de certas limitações. Unkilled, por exemplo, teve uma ligeira queda na taxa de frames mesmo com configurações gráficas intermediárias.

Também notei ligeiros congelamentos ou alguma lentidão no carregamento de apps como Google Maps, Instagram e Twitter, mas nada capaz de desafiar a paciência. Fica claro que o conjunto de hardware do dispositivo é voltado às aplicações mais comuns, do dia a dia mesmo, como redes sociais, navegação web e fotos.

Pontuação no AnTuTu 6.2.7, Geekbench 4.1.1 e 3DMark

Pontuação no AnTuTu 6.2.7, Geekbench 4.1.1 e 3DMark

No dia a dia é importante ter bateria. Diferente do Xperia XA1 e do XA1 Ultra, com baterias de 2.300 mAh e 2.700 mAh, respectivamente, o XA1 Plus conta com 3.430 mAh. Essa diferença enorme faz… diferença. Você pode passar o dia inteiro com o aparelho longe da tomada e ainda vai ter bastante carga à noite.

Comecei os testes rodando o filme O Poderoso Chefão (2h57min) via Netflix e tela no brilho máximo. A carga da bateria caiu de 100% para 83%. Depois, ao longo dia, joguei Unkilled por meia hora, usei o Chrome por uma hora, ouvi música via streaming e alto-falante externo também por uma hora, fiquei no Instagram por cerca de 30 minutos e fiz uma chamada de 10 minutos. Por volta da meia-noite, a carga estava em 39%.

Na recarga, precisei de quase três horas para fazer a bateria ir de 10% para 100% usando o carregador que acompanha o smartphone — apesar de o Xperia XA1 Plus suportar recarga rápida, o carregador que acompanha o modelo não oferece esse recurso.

Avaliei, durante os testes de bateria, a saída de som externa, que fica ao lado da porta USB-C. O volume máximo é satisfatoriamente alto, mas pode ficar estridente em determinados momentos. Como sempre, a dica é usar bons fones de ouvido.

A Sony não tesourou a conexão para fones de ouvido no XA1 Plus

A Sony não tesourou a conexão para fones de ouvido no XA1 Plus

Devo dizer também que o leitor de impressões digitais — recurso ausente no XA1 e no XA1 Ultra — funciona bem, desbloqueando o aparelho rapidamente. Mas não basta só tocar nele. Se a tela estiver desligada, você precisa pressionar o Power antes e aí sim fazer a leitura.

Conclusão

Tecnicamente, o XA1 Plus é um smartphone honesto. Tem bom desempenho geral, a tela exibe imagens com cores fortes e ótimo nível de nitidez, os 32 GB estão dentro do mínimo aceitável para a categoria, a bateria não decepciona na autonomia e as câmeras não são as melhores do mercado, mas também não são as piores. O aparelho só tropeça em um detalhe: a relevância.

Começa pelo preço, um problema crônico da linha Xperia: o XA1 Plus não vale R$ 2.099. Já dá para encontrá-lo por cerca de R$ 1.800, mas ele ainda continua caro. Algo em torno de R$ 1.500 já deixa a situação mais confortável, só que nessa faixa também dá encontrar o Moto Z2 Play, por exemplo, que me parece ser bem mais negócio.

Xperia XA1 Plus

Outro aspecto que afeta a relevância é a bagunça de modelos. O XA1 Plus é muito parecido com o XA1 “normal” e o XA1 Ultra. O que muda entre eles é um detalhe ou outro, como tamanho de tela, presença de sensor de digitais e qualidade da câmera frontal. No resumo da ópera, o “Plus” no nome parece estar ali para dizer que o XA1 Plus é só isso mesmo, mais um Xperia.

Como comprar com desconto?

testador-cupons-checando

Você pode utilizar a nova extensão do Tecnoblog para economizar alguns caraminguás na hora de trocar de aparelho. Ela tem um módulo Testador de Cupons que busca e aplica o maior desconto disponível na internet no seu carrinho de compras. É tudo automático, então qualquer um consegue utilizar, e é completamente grátis!

ta-caro

Outro recurso muito legal é histórico de preços. Quando você acessar a página de um smartphone, por ex, a gente já consegue te dizer se ele está com um preço legal. Esse recurso te ajuda a não cair em nenhuma "promoção", dessas que oferecem tudo pela "metade do dobro". Tenho certeza que vai ser muito útil em datas especiais, como na Black Friday.

Curtiu? Então clique aqui para instalar. ;)

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.430 mAh;
  • Câmera: 23 megapixels (traseira) e 8 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, GPS, GLONASS, Bluetooth 4.2, USB-C 2.0, NFC, rádio FM;
  • Dimensões: 155 x 75 x 8,7 mm;
  • GPU: Mali-T880 MP2;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 256 GB;
  • Memória interna: 32 GB (23,5 GB livres);
  • Memória RAM: 4 GB;
  • Peso: 190 gramas;
  • Plataforma: Android 7.0 (Nougat);
  • Processador: octa-core MediaTek Helio P20 de 2,3 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, luminosidade, bússola, impressões digitais;
  • Tela: IPS LCD de 5,5 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels e Gorilla Glass.

Notas Individuais

Design
7
Tela
9
Software
8
Câmera
8
Desempenho
8
Bateria
9
Conectividade
8
  • Douglas Souza Luz

    Parece que a sony nunca mexeu profundamente no seu software de pós processamento da câmera. Eu olho essas fotos e vejo tons quase idênticos aos que eu via no meu Xperia SP lá em 2013, os verdes e azuis principalmente. Uma pena.

  • Ed. Blake

    SoC Mediatek
    155 x 75 x 8,7 mm;
    190g
    R$2099,00
    ….
    Acho que a SONY está ‘precificando’ seus telefones pelo peso e tamanho pois não há nenhum outro valor agregado que justifique.

    • Maxnoob

      Concordo

  • Rodolpho Camargo

    Estive pensando em comprar um Xperia pra mim no futuro. Alguém que tem pode me dizer como eles são em relação a desbloqueio de bootloader e instalação de roms alternativas? E a rom de fábrica dele comparada a uma LineageOS ou a uma ResurrectionRemix: deixa a desejar em questão de velocidade?

    • Felipe Chagas

      Caso prefira roms customizadas, passe longe de qualquer modelo com processador Mediatek.

    • Jonas S. Marques

      ROM nativa é ok, e no caso dessa aí tu não vai conseguir praticamente nenhuma outra ROM, é processador Mediatek…

    • Mateus B. Cassiano

      O desbloqueio do bootloader é bem tranquilo, basta solicitar a chave de desbloqueio no site de desenvolvedores da Sony que te enviam na mesma hora. Caso você compre o aparelho através de alguma operadora, elas tem a opção de bloquear permanentemente o bootloader, então é algo a a levar em conta também, se optar por um modelo vendido pelas operadoras.

      Em relação às custom ROMs, se o seu Xperia usar um SoC da Qualcomm, você está no paraíso, a Sony costuma disponibilizar o código fonte e os binários necessários pra portar ROMs antes mesmo das atualizações de sistema em alguns casos, também é a fabricante mais rápida a atualizar os seus aparelhos atualmente, seja com patches de segurança mensais ou pra novas versões do Android como o Oreo.

      No entanto, nos modelos com SoC Mediatek, o suporte não é tão bom. Você terá pelo menos uma grande atualização de sistema e eventualmente receberá patches de segurança, mas com uma frequência bem menor que os modelos com SoC da Qualcomm. A Sony também publica o código fonte do kernel para os SoCs da Mediatek, mas custom ROMs são praticamente inexistentes porque ainda assim desenvolver pra esses chips é complicado devido à falta de documentação por parte da Mediatek…

      • Fábio Moser

        Eu queria fazer Root no meu, mas nao sei nem por onde começar. Queria de um jeito seguro, pra remover apps que nao uso, e depois desfazer o root. É possível? Tem alguma dica, Mateus?

        • Fábio Moser

          Ops, tenho um Xperia XA.

          • grande_dino_2

            Sabe inglês?

            Se sim:

            https://forum.xda-developers.com/xperia-xa/how-to/f31xx-how-to-root-xperia-xa-noob-t3430170

          • Fábio Moser

            Sim, obrigado! =D

    • Lucas Henrique

      Só te digo uma coisa, o XZ PREMIUM é o Smartphone mais rápido já lançado até hoje.

  • Mais um telefone que eu acho lindo e “Ok” no desempenho da linha Xperia que eu não terei porque os preços são ridículos.

    Segue o barco.

  • Bruno Pinho

    Esse cara nunca dá um sorriso nas sefies…

    • Marcogro®

      Podia pedir pra umas gatinhas fazerem a Selfie… — Aí quer aparecer no Blog? Tira a roupa então uma selfie e tal…

  • Luiz Claudio Eudes Corrêa

    Só faltou dizer quais as bandas LTE o aparelho suporta

  • Git Gud

    Esta perda de definição da imagem eu achei muito notável, notei logo ao abrir em resolução 100%.
    Nunca vou entender esta sony.

  • Maxnoob

    Que decepção ao chegar na parte do processador

  • igual meu XZ1 compact: A pele macia te deixa com a pele um tanto esquisita..

  • Lucas Henrique

    XZ Premium, eu te quero.

  • Que telefone feio.
    Que telefone caro.

  • Rodrigo

    É interessante como o mercado de smartphones está bem saturado. São várias empresas que lançam exatamente a mesma coisa, todo ano, com pequenas mudanças que na realidade não fazem a menor diferença. A única diferença perceptível é o preço. Mas na prática é a mesma coisa.

  • Realmente, o preço acaba com o negócio.

    De qualquer forma, parabéns para a Sony por incluir o suporte nativo a Radio FM, algo cada vez mais raro hoje em dia,

  • betacaroteno

    Design cansado como ponto contra? Tá “serto”!

  • Carlin

    Sony sendo Sony, só mais um Xperia no mercado!

  • Guilherme Araujo

    “Fica claro que o conjunto de hardware do dispositivo é voltado às aplicações mais comuns, do dia a dia mesmo, como redes sociais, navegação web e fotos.”

    É que por esse preço, esse celular não deveria ser para o “dia a dia”.
    A Sony não aprende.

  • J.

    Achei estranho. Foi o review (crítica) mais negativo que vi. Comprei o meu em HK e assim como eu, muitas pessoas estavam adquirindo o aparelho. É engraçado pensar que quando querem sugerir um telefone mais em conta e “melhor”, sugerem um motorola. Eu, que trabalho com conserto de aparelhos, bem sei que motorola são os aparelhos que mais estragam e que precisam de conserto. É a marca que mais conserto. Bom, não achei muito realista, achei muito pessimista esse review. Quem tem ou já teve um aparelho da Sony sabe da qualidade dos mesmos e da durabilidade. Nunca precisei consertar os meus ou me deram problema.
    Abraços