Início » Gadgets » Sony WH-1000XM3: só dá para ouvir a música

Sony WH-1000XM3: só dá para ouvir a música

Fone de ouvido da Sony tem cancelamento ativo de ruído, bateria com carregamento rápido e excelente qualidade de som

Por
16/11/2018 às 16h24
Sony WH-1000XM3

Não faz nem seis meses que testei o Sony WH-1000XM2, um fone de ouvido com cancelamento ativo de ruído que me agradou bastante, tanto pela qualidade de som quanto pela eficiência em reduzir o barulho externo. Agora, a Sony traz ao mercado brasileiro o WH-1000XM3, que chega com alguns refinamentos em relação à geração anterior.

Entre as novidades, tem a conexão USB-C com recurso de carregamento rápido; mudanças nas espumas para deixar o headphone mais confortável; e um novo processador de áudio QN1 que promete reduzir ainda mais o ruído e melhorar a qualidade de som.

Será que o WH-1000XM3 atende às expectativas? Por R$ 1.699, ele é uma boa opção de headphone com cancelamento de ruído? Eu testei o fone de ouvido premium da Sony por um mês — em quase 50 horas de voo — e conto tudo nos próximos minutos.

Em vídeo

Design e conforto

Sony WH-1000XM3

O WH-1000XM3 tem quase o mesmo design do M2, trazendo pequenas mudanças visuais: a marca da Sony e outros detalhes ganharam um acabamento ouro rosé na versão preta; a parte externa das conchas perdeu a textura que imitava couro, ficando totalmente lisa; e a conexão Micro USB foi trocada pela nova porta USB-C (eu conto mais detalhes adiante).

A melhor mudança não é visual: as almofadas estão com uma densidade menor, o que deixou o headphone mais confortável para ser usado por várias horas seguidas. O M2 não chegava a incomodar, mas fazia mais pressão na cabeça que alguns concorrentes, como o Bose QuietComfort 35. O peso caiu de 275 para 255 gramas, o que também colabora com a maior sensação de conforto.

Sony WH-1000XM3

As laterais são dobráveis para que o headphone caiba em uma case compacta, que vem junto com o produto. E os controles são os mesmos do modelo anterior: você faz gestos para pausar, reproduzir ou avançar de música e controlar o volume; pode conectar o fio de 3,5 mm se não quiser usar o Bluetooth; e só precisa encostar a traseira do celular no fone de ouvido para fazer a conexão rápida por NFC.

Em resumo, é um fone que passa uma boa impressão quanto à qualidade de construção e pode ser usado em um voo longo sem esquentar demais as orelhas.

Software e funções

Sony WH-1000XM3

O aplicativo do WH-1000XM3 não mudou. Ele funciona tanto no Android quanto no iOS e permite ajustar a qualidade de som e o nível do cancelamento de ruído, bem como ativar certos efeitos de áudio, como surround e posição de som — dá para fazer com que o áudio pareça estar saindo na sua frente, na traseira ou nas laterais.

Existem alguns perfis pré-definidos: se você estiver aguardando no aeroporto, ele te deixa ouvir as vozes para você não perder alguma informação importante; se você já estiver dentro de um meio de transporte, o cancelamento de ruído fica no máximo possível. Também tem um perfil chamado “Correndo” — mas, assim como o M2, o M3 não é um fone que eu usaria para exercícios aeróbicos pelo risco de ele cair na rua.

Qualidade de som, cancelamento de ruído e bateria

Sony WH-1000XM3

O som do WH-1000XM3 é bastante encorpado. Os graves são muito bons, com bastante extensão, sem exagerar nos impactos — eles são um pouco mais presentes que no M2, que já era um headphone com bastante grave para o meu gosto.

O perfil de som do M3 me agrada mais que o do M2. A impressão é que o som ficou mais arejado, com boa separação instrumental e médios mais empolgantes, mas sem exagerar ao ponto de cansar os ouvidos. Lembra daquela sensação de que o M2 “roubava” a emoção de algumas vozes, principalmente femininas? Eu não senti isso com o M3.

O cancelamento ativo de ruído continua extremamente eficiente. Sendo bem sincero, embora a Sony diga que o novo processador tenha melhorado esse aspecto, eu não consegui notar nenhuma diferença relevante em relação ao modelo passado — e isso porque eu estava com os dois produtos, alternando entre eles. Isso, claro, não significa que o cancelamento é ruim: continua sendo o melhor que eu já experimentei.

Sony WH-1000XM3

Qualquer barulho de turbina de avião deixa de existir com o cancelamento de ruído ativado. E, falando em avião, quando a aeromoça quiser falar com você, é só colocar a mão sobre o lado direito do headphone que ele ativa o microfone e deixa as vozes passarem temporariamente. O Quick Attention é um dos recursos mais bacanas da linha premium da Sony e continua sendo bem útil, inclusive no trabalho, dentro de um escritório.

Para atender ligações no celular, o WH-1000XM3 é apenas satisfatório: a qualidade do áudio captada pelo microfone integrado é típica de um fone de ouvido Bluetooth, com resquícios de compressão que tiram a clareza da voz e por vezes dificultam a compreensão — talvez você tenha que repetir a frase para a pessoa do outro lado da linha. Além disso, o cancelamento de ruído fica longe de ser tão eficiente quanto ao reproduzir música.

Sony WH-1000XM3

Já a bateria merece destaque. Ela ainda promete a mesma autonomia de 30 horas no modo sem fio, com o cancelamento de ruído ativado, o que é suficiente para quase todo mundo. A mudança é que, com a conexão USB-C, o carregamento da bateria ficou mais rápido. Um ciclo completo leva cerca de três horas, mas uma carga de só 10 minutos já garante mais de uma hora de música, o que quebra o galho em algumas situações.

Vale a pena?

Sony WH-1000XM3

Sim. O WH-1000XM3 é um fone de ouvido bem caro, mas cumpre o que promete. Ele reduz drasticamente o ruído externo, deixando uma viagem longa menos cansativa — foi uma ótima companhia para as minhas quase 50 horas de voos para San Francisco e Seul. No trabalho, o WH-1000XM3 também é uma opção interessante para ouvir música sem incomodar e sem ser incomodado.

As mudanças são grandes em relação ao M2? Eu acho que não: o som me agrada mais; o cancelamento de ruído é bom, mas continua no mesmo nível; e o conforto, embora tenha melhorado bastante, não deve fazer ninguém migrar do M2 para o M3.

Para os novos usuários, a dica é ir direto para o M3, que só melhora o que já era muito bom. Cobrando R$ 1.699 no país, a Sony manteve a estratégia de lançar o produto com um preço similar ao praticado lá fora, onde ele custa US$ 350 ou € 380. Seja no Brasil ou no exterior, o WH-1000XM3 é uma ótima opção de headphone com cancelamento de ruído.