Início » Brasil » Carrefour se reúne com Anatel e Ancine sobre caixinha de TV pirata

Carrefour se reúne com Anatel e Ancine sobre caixinha de TV pirata

Loja do Carrefour vendia set-top box com "gatonet" que prometia desbloquear mais de 8 mil canais de TV paga

Por
21 semanas atrás

No início de maio, uma loja do Carrefour foi flagrada divulgando uma caixinha com Android que “desbloqueia mais de 8 mil canais” de TV paga. A rede varejista levou uma bronca da ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) sobre o “gatonet” e se reuniu com representantes da Anatel, Ancine e Polícia Federal para adotar medidas de combate à pirataria em unidades físicas e no marketplace online.

Segundo o UOL Tecnologia, um vendedor de um Carrefour no Tatuapé, zona leste de São Paulo, anunciou por microfone uma “TV box” R$ 600 que prometia liberar mais de 8 mil canais de TV paga sem precisar de assinatura, além de dar acesso a séries e filmes como Vingadores: Ultimato. Isso ocorreu em 4 de maio.

A set-top box se chama TX2 e não precisa ser necessariamente usada para pirataria: ela roda Android e permite fazer streaming de serviços como Netflix, Amazon Prime Video e YouTube Premium por meio de uma assinatura.

No entanto, o recurso de canais desbloqueados não só estava disponível na caixinha TX2, como o gatonet foi usado como um diferencial pelo vendedor no Carrefour. Em comunicado, a varejista diz que o dispositivo “tem como objetivo permitir a conexão a sites e aplicativos por uma televisão comum; a empresa repudia o uso indevido do equipamento fora desta finalidade original”.

A ABTA criticou a prática de “grandes lojas do varejo” em vender equipamentos piratas, e diz que a “guerra contra este ilícito” é uma “obrigação ética e moral de todas as empresas com a sociedade brasileira”.

Carrefour remove TV box de lojas e marketplace online

No último dia 22, o Carrefour realizou uma reunião com representantes da Anatel, Ancine e Polícia Federal para “adotar medidas para evitar a exposição, em suas lojas e no comércio eletrônico, de produtos não homologados e que promovam a pirataria de TV por assinatura”.

Segundo o Carrefour, a venda da set-top box era feita em um quiosque operado por um terceiro. A varejista diz que retirou todos os equipamentos piratas de suas lojas; e que vai repassar as orientações recebidas da Anatel e Ancine para seu fornecedores e grandes fabricantes.

A Ancine também pediu que o Carrefour retire os anúncios de aparelhos piratas do seu marketplace na internet. O Tecnoblog verificou que anúncios mencionando o termo “TV box” ainda aparecem na busca; porém, quando clicados, eles levam a uma página de erro.

Esta é a descrição que aparecia em um dos anúncios destacados acima (via cache do Google):

Agora, você se depara com uma mensagem de erro ao clicar no anúncio:

Os outros anúncios na categoria “Receptor e Transmissor de TV” no marketplace do Carrefour — sem o termo TV box — não mencionam nada sobre desbloqueio de canais. Em vez disso, essas set-top boxes prometem apenas “transformar sua TV comum numa smart TV” com acesso à Netflix, YouTube, Kodi e outros aplicativos do Android.

Claro, os desbloqueadores de canais continuam a ser vendidos na internet, como é possível ver no print abaixo do Mercado Livre; ou seja, o trabalho das agências fiscalizadoras deve continuar.