Início » Finanças » PIX permitirá saque de dinheiro em lojas no 1º semestre de 2021

PIX permitirá saque de dinheiro em lojas no 1º semestre de 2021

Além de confirmar saque de dinheiro em lojas, Banco Central anunciou que PIX permitirá pagamento de conta de luz

Emerson Alecrim Por

Já sabemos que o PIX, sistema de pagamentos instantâneos que começa a funcionar no Brasil em 16 de novembro, vai permitir saque de dinheiro em lojas. Só não estava claro quando. Agora temos uma noção: os saques no varejo serão liberados em algum momento do primeiro semestre de 2021.

Pix / Banco Central

É o que informa João Manoel de Pinho Mello, diretor de organização do sistema financeiro e resolução do Banco Central. O executivo explica que a opção virá para “diminuir o custo de manejo de dinheiro no varejo e poder oferecer a possibilidade de um serviço, de uma conveniência, para o consumidor”.

Não será um procedimento complexo. Bastará ao cliente se dirigir ao caixa de uma loja ou supermercado, por exemplo, e informar que quer fazer um saque de determinado valor via PIX. O atendente escolherá a opção correspondente na maquininha de cartão que, na sequência, exibirá um QR Code.

O consumidor terá então que ler o código com o seu celular para confirmar a operação. Por fim, bastará ao atendente entregar o valor pedido para o saque.

É como se o cliente estivesse fazendo uma compra. Para ele, a vantagem é a conveniência. O saque no varejo poderá ser uma opção para quando não houver caixa eletrônico por perto. Para o varejista também haverá vantagens: além de atrair clientes para a loja, os saques poderão ser tarifados, embora não esteja claro em quanto.

PIX - Banco Central

PIX vai aceitar pagamento de conta de luz

Saques são interessantes, mas o PIX terá como principal atrativo permitir transferências de dinheiro e pagamentos 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados. Até contas de energia poderão ser pagas por meio da plataforma.

Isso será possível graças a um acordo de cooperação técnica fechado entre o Banco Central e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Além de beneficiar o consumidor, que poderá pagar a conta de luz em qualquer horário e dia da semana, o PIX permitirá que as distribuidoras de energia recebam os pagamentos mais rapidamente.

O Banco Central prevê também que o PIX acelerará o religamento da energia nos casos de pagamentos de contas em atraso.

A instituição esclarece ainda que a Aneel fará a interlocução com as distribuidoras e o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que a opção de pagamento de contas de luz pelo PIX possa ser oferecida por todas as distribuidoras.

Com informações: Época Negócios.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

 • 令和 • Ward'z de Souza 🇯🇵🎌🦊🔥 - Risonho e Límpido (@Wardz_de_souzA)

Como falei outrora, se os outros setores do país tivessem 10% da eficiência que tem o setor financeiro, nós não estaríamos nessa situação patética hoje…

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Tudo exige profundas mudanças nos softwares, no modelo de gestão e principalmente muitos testes, por isso a ideia de se colocar prazos claros para a liberação de determinadas funções.
Pode ser que tudo ocorra absurdamente bem no uso do pix nos próximos meses e até possam adiantar as outras funções, mas eu não contaria com isso.

Claudio Roberto Cussuol (@Cussuol)

Eu andei estudando o sistema do PIX e fiquei otimista com um detalhe e pessimista com outro.

Primeiro a notícia boa:
O Banco Central adotou um padrão internacional, já consolidado, para o QRCode. No caso o EMVCo que já é utilizado pela Visa, Mastercard, etc… no mundo inteiro.
Historicamente, tudo que foi feito até hoje nos sistemas bancários brasileiros, eles inventam um “padrão novo”, ou seja, não tem padrão. Vide nossos confusos sistemas de boletos e convênios de cobrança.

A notícia ruim:
A geração do QRCode poderá ser offline, eu gero com meus dados envio pra voce, voce paga, o dinheiro cai na minha conta. Isso é muito bom.
Mas, foi justamente por isso que os “boletos não registrados” acabaram em 2017. Golpe.
Os golpistas interceptavam um boleto entre o emitente e o pagador e alteravam o código de barras, por exemplo, com virus.
O qrcode do pix vai abrir essa possibilidade novamente.
Por outro lado, no momento do pagamento, obrigatoriamente estaremos online, e a especificação do processo prevê que os dados do recebedor sejam exibidos para quem está pagando.