Início » Negócios » Amazon anuncia seu maior centro de distribuição no Brasil até agora

Amazon anuncia seu maior centro de distribuição no Brasil até agora

Amazon tem quatro armazéns na Grande São Paulo mais um centro de distribuição no Nordeste para agilizar entregas

Felipe Ventura Por

A Amazon anunciou nesta quinta-feira (3) que agora tem cinco centros de distribuição no Brasil: o mais novo deles fica em Cajamar (SP) e é o maior de todos, com área superior a 100 mil m². O armazém será usado para TVs, eletrônicos, brinquedos, produtos de limpeza, entre outros.

Amazon - caixa

Segundo a Amazon, o novo centro de distribuição (CD) ajudará a “fornecer um serviço de entrega rápida e conveniente aos clientes”. Ela oferece frete grátis em diversos produtos para quem paga o Amazon Prime; o Brasil é o país com o crescimento mais rápido dessa assinatura desde o lançamento.

Os funcionários ajudarão a receber, embalar e despachar itens de diferentes tipos; a empresa oferece cerca de 30 milhões de produtos em mais de 30 categorias pro venda direta e marketplace. Alex Szapiro, Country Manager da Amazon no Brasil, afirma em comunicado que o CD adota medidas para garantir a “segurança, distanciamento social e higienização”.

Amazon e Mercado Livre abrem armazéns no Nordeste

A pandemia da COVID-19 serviu como forte estímulo para o setor de e-commerce no Brasil: a Amazon teve um “crescimento extraordinário” no país, segundo Szapiro. Agora ela possui quatro armazéns na Grande São Paulo, localizados em Cajamar e em Barueri; eles concentram as entregas para Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Há também um centro de distribuição da Amazon em Cabo de Santo Agostinho, região metropolitana do Recife (PE), inaugurado em dezembro de 2019 para focar nas regiões Norte e Nordeste. O Mercado Livre, por sua vez, anunciou em julho um novo centro de distribuição em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (BA); este será seu terceiro armazém.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
18 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

JulioCampos (@juliocesar)

A Amazon precisa pressionar as transportadoras que prestam serviços pra ela. Faz quase 2 semanas que não entregam minhas compras. O problema é sempre o mesmo: Sai de SP para o sul de minas e em 2 dias chega na cidade vizinha. Daí fica parado lá até se esgotar o tempo limite da entrega e só no ultimo dia eles saem para realizar a entrega. Transportadora uma tal de Sequoia.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Ia ser lindo se a Amazon comprasse os correios. Imagina o quanto mais poderiam fazer. Fora a experiência de logística que eles tem.

Acho louvável o que a Amazon vem fazendo por
aqui, em meio a tanta dificuldade. E já vemos esforços positivos, de grandes players brasileiros em melhorar seus serviços, em razão da concorrência.

 • 令和 • Ward'z de Souza 🇯🇵🎌🦊🔥 - Risonho e Límpido (@Wardz_de_souzA)

Não tem.
Eles compartilham a da Kabum, além de ter contrato com JetLog, Tranfolha, Total Express Loggi e etc.

Minha dúvida se passaria no Cade é que outras varejista poderiam alegar que seriam prejudicadas. Entende?
E como basicamente todas elas usam o Correios (a contra gosto) poderia gerar algum tipo de entrave legal.

@ksio89

Eu invejo muito quem mora no estado de São Paulo, principalmente no interior. Frete barato ou grátis e rápido, um sonho, parece até outro país dentro do Bostil. Amazon não entrega aqui em menos de 10 dias. A última vez fiz uma compra no dia 22/07, a encomenda só foi enviada no dia 31/07, e ainda levou mais de semana até ser entregue. Mas como o frete é grátis, nem posso reclamar muito.

Pensei que a concorrência iria se mobilizar após a Amazon liberar o Prime no Brasil, mas não mudou quase nada para quem mora no Nordeste, frete continua caro e demorado, isso quando entrega aqui, olha que moro em capital. Basicamente eu só compro em três lojas no Brasil: Amazon, Mercado Livre e Magalu, o resto eu nem compro mais por causa do frete sem noção.

🤷‍♀️ (@xavier)

Sim, entendo e de fato, é um risco.
Eu não tenho muito conhecimento da área, mas num sei se haveria precedente legal para essa alegação. E também não sei se a Amazon restringiria o transporte apenas pra ela, já que pode fazer disso mais uma forma de ganhar muito dinheiro.

@ksio89

Prime da B2W praticamente morreu, muita gente reclama que há poucos itens disponíveis hoje e que não compensa mais. Americanas é a pior de todas, ela tem a indecência de cobrar retirada nas loja físicas, e em geral o valor é pouca coisa menor do que para receber em casa.

Mercado Livre não dá bem dizer subsídio, ele apenas exige que o vendedor ofereçam frete grátis, e somente a partir de 120 reais dependendo do nível, aí eles apenas reajustam o preço. Outros itens ela até subsidia, mas parcialmente.

A Magalu ainda é melhor nessa questão de retirar em loja, mesmo aqui em Fortaleza quase sempre há muitas lojas disponíveis para retirada grátis. Ao contrário das lojas online da Via Varejo, nunca há uma loja física da Casas Bahia ou Pontofrio disponível aqui para retirada, só tá lá de enfeite.