Início » Telecomunicações » Provedores de IPTV pirata são alvo de extorsão por hackers

Provedores de IPTV pirata são alvo de extorsão por hackers

Serviço que oferece lista de IPTV pirata é invadido; hacker ameaça vazar dados de usuários e pede US$ 70 mil em bitcoin

Lucas Braga Por

As listas de IPTV pirata normalmente funcionam de forma discreta: é importante que os dados do mantenedor do provedor e dos clientes estejam seguros, uma vez que toda a operação é ilegal. No entanto, prestadores desse tipo de serviço estão sendo alvos de hackers que ameaçam extorsão para não vazar as informações ao público.

IPTV pirata era utilizado por 50 mil pessoas na Itália (Imagem: Mohamed Hassan/Pixabay)

Usuários de IPTV pirata correm risco de vazamento de dados após ataque hacker (Imagem: Mohamed Hassan/Pixabay)

Hacker pediu US$ 70 mil para não vazar dados de clientes

Normalmente os provedores de IPTV pirata são procurados pela polícia e outros órgãos oficiais, mas um grupo de hackers pediu 70 mil dólares em bitcoins para a lista PrimeStreams em 2019 pelo silêncio das informações. Estima-se que o invasor também atacou pelo menos outros 50 serviços de menor porte.

Moderadores de um fórum online sobre IPTV suspeitam que os ataques estão ligados à plataforma WHMCS Smarters, que vende softwares completos para criação de serviços de TV por assinatura via internet. No entanto, a companhia informou ao TorrentFreak que o hacker não está envolvido com a empresa.

O grande problema de ataques como esses é que não há como recorrer: por operar de forma ilegal, o provedor de IPTV não pode procurar a polícia; ao mesmo tempo, o pagamento do montante solicitado pelo invasor não garante que os dados dos clientes sejam preservados pelo hacker.

Vale lembrar que nem todo IPTV é ilegal e existem serviços legítimos disponíveis no Brasil, prestado inclusive por operadoras como Claro, DirecTV, Vivo e Oi. O mesmo vale para TV Box, uma vez que existem modelos certificados de grandes fabricantes como Xiaomi, Elsys e Roku.

Provedores de IPTV são alvos da Polícia no Brasil

No Brasil, provedores de IPTV são alvos de operações de órgãos oficiais. A Operação 404, deflagrada pelo Ministério da Justiça em conjunto com a Polícia Civil, bloqueou ou removeu mais de 300 serviços de TV pirata pela internet que atendiam cerca de 26 milhões de pessoas.

Fiscalizações da Receita e Anatel apreenderam 70 mil TV Box (Imagem: Divulgação/Receita Federal)

Fiscalizações da Receita e Anatel apreenderam 70 mil TV Box (Imagem: Divulgação/Receita Federal)

Outras operações também fecharam o cerco contra a pirataria: a Anatel e a Receita Federal fizeram diversas fiscalizações durante o ano de 2020 que resultaram no confisco de dispositivos ilegais e não-homologados. Apenas entre agosto e setembro mais de 70 mil TV Box foram apreendidas no Porto de Santos.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Sinceramente, é menos ilegal piratear o conteúdo via torrent do que assinar IPTV pirata, ao menos criminosos não estão ganhando com isso. Mesma caso daquelas chaves OEM ou VLK do Windows vendidas no Mercado Livre, mais digno instalar um KMSpico da vida do que financiar quem vende essas licenças.

O mesmo vale para TV Box, uma vez que existem modelos certificados de grandes fabricantes como Xiaomi, Elsys e Roku.

Pena que a Anatel e a Receita Federal não pensem assim.