Início » Jogos » Cyberpunk 2077 teve demo “quase totalmente falsa” na E3 2018

Cyberpunk 2077 teve demo “quase totalmente falsa” na E3 2018

Cyberpunk 2077 continua sua problemática trajetória, agora com afirmações de que a demo da E3 de 2018 não era verdadeira

Felipe VinhaPor

Cyberpunk 2077 passou por mais problemas internos de desenvolvimento do que se imagina – ao menos é o que uma nova reportagem publicada no Bloomberg indica. O texto original de Jason Schreier, conhecido jornalista investigativo da indústria, chega a mencionar que a demonstração do jogo para a E3 de 2018 era “quase que totalmente falsa”.

cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077 tem problemas até com demo de evento (Imagem: Divulgação/CDPR)

Schreier comenta que conversou com mais de 20 funcionários e ex-funcionários da produtora CD Projek Red, que relataram ter vivido um caos durante a produção do game, com prazos irreais e impossíveis de serem alcançados.

O jornalista chega a mencionar que funcionários constantemente riam da situação e criavam memes com os prazos do jogo, que eram irreais, tamanha a dificuldade de criar um título tão complexo e gigantesco como Cyberpunk 2077.

Os relatos informam que a demonstração disponível na E3 2018, jogada a portas fechadas por jornalistas e influenciadores, foi quase que totalmente falsa, fabricada exclusivamente para o evento.

A demonstração foi jogada e noticiada por diversos sites internacionais na época, mas a CDPR lançou um trailer baseado em seu conteúdo, também na época, que pode ser visto abaixo:

Pouco tempo antes disso, em 2016, o game teve sua produção totalmente reiniciada – sendo que foi anunciado em 2012. Com isso, bastante conteúdo da ideia original teria sido cortado ou substituído ao longo do processo.

COVID atrapalhou

Apesar do mal planejamento e de problemas internos relatados por Schreier, muitos dos envolvidos também mencionaram a pandemia da COVID-19, que mudou o mundo entre fevereiro e março de 2020, por conta do isolamento social.

A reportagem revela que os programadores tiveram que continuar o trabalho no game de casa, sem acesso aos kits de desenvolvimento dos consoles, trabalhando com a versão de PC. Assim, a qualidade de testes e produção foi comprometida também por este fator.

Desculpas do estúdio

As revelações publicadas no Bloomberg foram apenas alguns dias depois do vídeo de desculpas lançado pela CDPR, com um de seus fundadores, Marcin Iwiński.

No vídeo, Marcin Iwiński diz que a culpa pelos problemas no game foram todas da direção do estúdio e não de seus programadores, assumindo o erro para si. O relatório de Jason Schreier só aumenta essa culpa, por conta das decisões envolvendo prazos e conteúdo divulgado do game para o público.

Cyberpunk 2077 deve ter ainda um grande patch de correção lançado neste mês, mas sem data prevista. O jogo continua fora do ar na PS Store e teve pedidos de reembolsos aceitos no Xbox e PS4.

Com informações: Bloomberg.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Maycon Cruz (@MikeCross)

Isso lembra a treta com WATCH_DOGS e todo a problematica sobre downgrades.
A indústria dos games está repleta de problemas polêmicos, mas essa anda sendo uma das mais predominantes, até porque não existe uma regra pra dizer se builds “proof-of-concept” são válidas ou não pra apresentar um game, ainda mais que hoje em dia consoles e PC usam tudo o mesmo devkit praticamente.

Igor Pamplona (@Igor_Pamplona)

“se as pessoas soubessem o que aconteceu , ficariam enojadas”

² (@centauro)

Oi?

Não parece que eles tiveram tempo pra isso não.

Igor Pamplona (@Igor_Pamplona)

Eles não tiveram foi é tempo pra serem honestos

Vinicius Andrade (@Toloko)

Por mim poderia ser comprada a preço de banana pela MS e ser marcada na história como epic fail maior que Watch Dogs e a Bugsoft.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Só não entendi que diferença faz o trailer ter sido baseado numa versão que foi refeita depois, se ele não mostra nada que não exista na versão final. Quando vi a notícia até fui rever o trailer e achei que veria algo diferente do jogo versão final, mas mostra exatamente o que o jogo é (menos os infinitos bugs, rs!)

Júlio Tenório (@JulioTenorio)

Hoje olhando pra trás esse trailer da E3 passa a vibe de outro jogo, até aí o que imaginava era realmente 3 caminhos diferentes, eu estava até animado em ser corp, mas depois de ver que não faz diferença, vai ser pobre do mesmo jeito, o que mais faz sentido é o V ser streetkid. E falta metrô, não há nada fora da terra como mostra no trailer (no jogo só é possível saber que existe algo por causa dos textos e notícias no rádio), TraumaTeam tem zero importância, táxi não existe, o pessoal sendo fritado por hacking não existe (tem os hacks no jogo, mas são muito simples) eu esperava mais nessa parte, missões que realmente usassem o cyber espaço.

E ninguém que aparece no trailer tem importância pra história, tu simplesmente tem que aceitar certas coisas no jogo, pq claramente foi cortado.

Mesmo com tantas coisas faltando e os bugs, embora no PC foram poucos, tá na minha lista dos melhores jogos. Personagens são bem cativantes e com histórias profundas, embora os cortes fez com que muitos não tenham a devida importância. Depois de fazer melhorias no corpo e nas armas o combate é bem divertido. Foram ótimas horas que tive com o jogo, zerar novamente só com atualizações, se colocarem parte do conteúdo que falta vai ser ótimo pois tem muito pontencial, mas foi jogado fora.

Orley Tadeu de Lima (@orley_sc)

O pessoal sendo fritado por hacking existe, sim. Eu joguei com uma build de hacking e, embora eu achasse que teria muito mais opção de hacks, ela é plenamente viável. Inclusive para, literalmente, fritar as pessoas usando os danos elétricos e de fogo…

E de fato, apesar dos pesares, também achei um ótimo jogo.

Júlio Tenório (@JulioTenorio)

Não sei em que nível chega o dano do hacking, pois desisti de continuar com uma build hacker no nível 8 (acho) o dano era baixo, a IA pra stealth achei ruim, diversas vezes cegar os inimigos não adiantava de nada, mesmo mostrando que tava cego ele conseguia ver. Esqueci de mencionar que era fritar a distância, o hacking é só em combate próximo, esperava o uso do cyber espaço, que é a primeira coisa que vem na minha cabeça quando penso no gênero cyberpunk. Terminei fazendo uma build de força e engenharia, e ficou mais fácil fazer missões em stealth. Enfim, expectativas que criei com o trailer de 2018.

Orley Tadeu de Lima (@orley_sc)

Ahh. Fica bem bom o dano. E os hacks épicos tem uma mecânica que o dano vai se espalhando, eu achei isso bem legal até, mas de fato… a inexistência do cyberespaço foi difícil de engolir. Igual àqueles hacks de mineração de dinheiro que tb são umas coisas ridículas.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Eu nao acho q é pra tanto. Esse jornalista Jason S. é muito sensacionalista. Qual trailer nao vende alguns gatos por lebre? Agora falar q no tem nada a ver com o jogo? E desde quando trailer tem obrigacao de mostrar personagens relevantes?

O jogo tem uma infinidade de problemas. Mas esse ponto especifico do trailer q o jornalista afirmou pra mim é muito exagero.

² (@centauro)

Só ver a resposta do CEO do CDPR à reportagem.

O CEO me parece ter razão em vários contra-pontos.

Júlio Tenório (@JulioTenorio)

Não há problema algum com o pessoal de marketing vender o peixe, mas quando tu vende o que não existe é um problema. Não foi só nesse trailer, o material de divulgação foi usado várias vezes o Jackie e o Dex, ambos importantes na história.

Spoiler alert

No jogo acabaram com esses personagens, Dex só tem a função de passar a Quest pra o Jackie morrer e o jogo te enfiar que o cara que tu acabou de conhecer é o melhor amigo teu. Vários outros personagens tiveram melhor interação com o V, simplesmente não aceito esse início do jogo, é mal feito e tem furos no roteiro.

Até concordaria que é normal tirar funções, muitas vezes não fica algo bom. Mas o jogo falta o básico e o prometido. Depois de ter zerado eu tô mais crítico com o jogo, olhando pra trás agora parece que o jogo fica pior conforme vou digerindo.

Igor Pamplona (@Igor_Pamplona)

olha, eu li mas não achei “vários” contra-pontos.

pra mim ainda a apresentação é falsa, mesmo que a perseguição de carros ficou “quase que da mesma forma” ainda tem uma lista gigante de promessas que a CDPR não cumpriu. Mudanças são comuns de fato, adaptar features ok, mas droparam mais de 90% do que prometeram.

Isso não se chama reavaliar e contornar obstáculos, se chama mentir.