Início » Negócios » Apple tem receita recorde no 3º tri puxada por iPhone; serviços crescem 33%

Apple tem receita recorde no 3º tri puxada por iPhone; serviços crescem 33%

Puxada pelo bom desempenho do iPhone 12, categoria de smartphones cresce 52% e leva Apple a recorde de US$ 81,4 bilhões em faturamento

Pedro Knoth Por

Impulsionada por uma receita bruta de US$ 39,27 bilhões em vendas do iPhone, a Apple atingiu um faturamento recorde de US$ 81,4 bilhões ao fechar o terceiro trimestre fiscal, em junho — 36,3% superior quando comparado ao mesmo período de 2020, quando a companhia teve receita de US$ 59,7 bilhões. Mac e iPad tiveram também tiveram desempenhos históricos, alavancados pela demanda do home office com a pandemia de COVID-19.

Apple divulgou recorde de receita em seu balanço do 3º trimestre de 2021 (Imagem: Zhiyue Xu/ Divulgação)

Apple divulgou recorde de receita em seu balanço do 3º trimestre de 2021 (Imagem: Zhiyue Xu/ Divulgação)

iPhone tem alta de 52% em vendas em relação a 2020

As vendas de iPhones ainda carregam o resultado da empresa, o que a Apple demonstrou em seu balanço do 3º trimestre de 2021. O lucro bruto de vendas do dispositivo — o primeiro da linha a ter conexão 5G — teve uma alta de 52% na comparação anual. “Nossos resultados são muito fortes para o iPhone em todas as partes do mundo. Estamos confiantes no futuro dele”, disse o CEO da companhia, Tim Cook, na conferência de resultados nesta terça-feira (27).

Segundo Cook, a alta satisfação entre os usuários de iPhone 12, que chega a ser 97% nos EUA, ajudou o smartphone a formar uma “base leal de consumidores”. Mesmo assim, o presidente da Apple lamenta a penetração “muito baixa” do 5G ao redor do mundo.

iPad tem melhor receita em 10 anos; Mac bate recorde

O iPad teve seu melhor desempenho trimestral em uma década. O faturamento bruto sobre vendas do gadget foi de US$ 7,4 bilhões até o final de junho — uma alta de 12% em relação ao mesmo período de 2020, quando a Apple teve receita de US$ 6,6 bilhões com o aparelho.

O Mac teve aumento nas vendas, que atingiram um recorde em faturamento para o mês de junho, segundo a Apple. Compras do notebook aumentaram 16% em relação ao terceiro trimestre de 2020 — foram de US$ 7,1 bilhões a US$ 8,8 bilhões.

Tim Cook mencionou que o Mac teve seu melhor desempenho histórico em 12 meses. Cerca de metade dos compradores da linha de computadores da Apple nunca usou o produto antes, o que pode explicar a boa performance em vendas. Vale ressaltar que a companhia lançou recentemente modelos coloridos do iMac com o chip M1.

MacBook Pro (2020) com Apple M1 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

MacBook Pro (2020) com Apple M1 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Serviços da Apple ultrapassam 700 milhões de assinaturas

A quarentena e o trabalho remoto não só impulsionaram a venda de iPads e Macs: o setor de Serviços da Apple, que correspondeu a 25% da receita da companhia no segundo trimestre fiscal de 2021, e inclui a App Store, bateu recorde de faturamento. Foram US$ 17,5 bilhões até o final de julho, frente a US$ 13,3 bilhões em relação ao mesmo período de 2020 — alta de 33%.

Na conferência de resultados, Luca Maestri, diretor financeiro da Apple, ressaltou que os Serviços da Apple, que também incluem o Apple TV+, ultrapassam 700 milhões de inscrições, uma quantidade 4 vezes maior do que a companhia tinha há 4 anos.

75% dos usuários do Apple Watch o usaram pela 1ª vez

O trimestre marcante da Apple termina com uma performance recorde na venda de gadgets da categoria de Weareables, Home e Accessories, que inclui o Apple Watch. A receita bruta no setor foi de US$ 8,8 bilhões; aumento de 36% em relação ao ano passado, quando a empresa faturou US$ 6,45.

Luca Maestri ressaltou que cerca de 75% dos usuários do Apple Watch compraram o produto pela primeira vez. Quando se trata do desempenho do aparelho na China — segundo maior mercado da empresa no mundo — essa porcentagem chega a 85%.

Apple gerou US$ 21 bi de caixa e deu retorno de US$ 29 bi

Tim Cook destacou que a Apple vai investir o dobro em inovação tecnológica e pretende continuar a conectar pessoas “em um momento em que a conexão nunca foi tão importante”. O CEO da companhia continuou:

“Vamos dar continuidade ao nosso empenho de difundir tudo que fazemos com valores que nos definem — inspirando uma nova geração de desenvolvedores a aprenderem a programar; nos aproximando de nossas metas ambientais até 2030; e construindo um futuro mais igualitário.”

Luca Maestri, CFO da Apple, afirma que a empresa conseguiu gerar US$ 21 bilhões em fluxo de caixa no trimestre, com retorno de US$ 29 bilhões para acionistas da companhia. Para fechar a apresentação, ele ressaltou:

“Nosso recorde de performance operacional em junho inclui novos recordes de receitas em cada um de nossos segmentos geográficos, com crescimento em dígitos duplos em cada categoria de produtos, e uma nova alta histórica de dispositivos ativos.”

Com informações: AppleInsider

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
11 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

J. Alves (@alves)

Ainda tô esperando que aconteça a previsão dos “especialistas” que juraram que ninguém mais ia querer comprar iPhone porque a Apple parou de mandar o carregador junto.

Luis Carllos (@XxxStrangeManxxX)

O marketing da Apple vende, Apple é empresa de marketing como Google e Facebook são empresas de anúncios.

iPhone ainda é a galinha dos ovos de ouros da Apple.

J. Alves (@alves)

Também, mas marketing não faz milagre. Não adianta falar isso por birra ou por ser hater da empresa, tem que reconhecer que o produto é bom, por isso as pessoas continuam comprando cada vez mais.

Daniel R. Pinheiro (@DiFF7Skyns)

As pessoas continuam comprando, não única e necessariamente pq é bom, mas por causa do ecossistema. Os usuários se acostumaram com o ecossistema, e isso vem desde o iPhone original, em 2007. Um usuário fidelizado, que está acostumado com iOS e a integração com Macbook’s e Apple Watches jamais trocaria por outro produto, não pq este é inferior, mas por causa do ecossistema.

Difícil ver um usuário de iPhone, que o compra há 5-10 anos, mudar pra Android, mesmo que ele saiba que há muita coisa lá que seria muito mais útil que no iOS. O que o mantém na Apple? O costume com o sistema. Saia na rua perguntando o motivo das pessoas continuarem no iOS: nos EUA basicamente é o iMessage, aqui no Brasil é a mantra ultrapassada de que a “câmera é a melhor”, ou que “não trava”, sendo que o aparelho antigo era um Moto G ( ) e por aí vai…

A Apple deixou de estar à frente da concorrência em qualidade e inovação há anos. Microsoft, Google, Amazon e até Samsung já ultrapassaram-na em muitas coisas. Só recentemente que ela meio que acordou com o processador M1.

O marketing vende, a marca (ecossistema) fideliza.

Daniel R. Pinheiro (@DiFF7Skyns)

Leia meu comentário novamente, jovem. Dessa vez com mais atenção. Primeiro que em nenhum momento eu disse que os produtos Apple são ruins. Segundo que o que eu afirmei não é nada vazio, em se tratando de experiência com o sistema, são relatos que vc mesmo pode atestar, seja pela internet, seja pessoalmente entre amigos.

E sobre qualidade/inovação, basta comparar os produtos atuais e como eles funcionam. Nem precisa se esforçar pra concluir que há recursos/ tecnologias que são bem melhores e até mesmo presentes em produtos concorrentes, que são ausentes nos da Maçã. O meu ponto não é desmerecer a Apple, mas simplesmente mostrar que não existe mais abismo entre a empresa de Cupertino e a concorrência. Estão todas no mesmo patamar. E faz tempo, já…