Início » Celular » Twitter chega oficialmente - e finalmente - ao Mac

Twitter chega oficialmente - e finalmente - ao Mac

Avatar Por

Essa é uma longa história que começa com um desenvolvedor chamado Loren Brichter, que estava insatisfeito com os clientes de Twitter disponíveis na App Store. Como não havia nada que o agradasse plenamente, ele resolveu criar seu próprio cliente de Twitter para iPhone, o Tweetie.

O aplicativo ficou famoso e rapidamente se tornou um dos mais vendidos da App Store, e assim se manteve por muito tempo. Algumas polêmicas (como por exemplo ter tido uma atualização vetada pela Apple) geraram uma publicidade involuntária que ajudou o Tweetie, mas o grande mérito do app foi, sem dúvida, possuir o que muitos acreditavam ser  uma das melhores experiências e interfaces de usuário da App Store — alguns paradigmas do Tweetie acabaram virando até padrão na plataforma, como o gesto de puxar uma lista para baixo para atualizar.

Dessa forma, quando o próprio Twitter resolveu comprar uma empresa para ter um cliente oficial em plataformas móveis, a compra da Atebits de Loren Brichter (que era formada basicamente por ele mesmo), foi uma escolha bastante natural. Como fruto dessa aquisição, o Tweetie para iPhone foi renomeado Twitter for iPhone, e em pouco tempo já havia também aplicativos oficiais do Twitter para BlackBerry e Android. Mas até ontem o Twitter havia ficado apenas nas plataformas móveis e mantido o site (em versão totalmente renovada) como seu meio de acesso em computadores comuns.

Ontem, com a estreia da Mac App Store, veio também o que Brichter estava devendo havia muito tempo aos usuários do Tweetie para Mac: uma merecida atualização. Mas, sem surpresa alguma, o app não chamava mais Tweetie, e sim Twitter. Para comprovar que esse é mesmo a versão 2.0 do Tweetie que Brichter estava nos devendo há tanto tempo, basta verificar o padrão seguido no versionamento.

Se a primeira versão do Tweetie para Mac nos mostrou um programa muito parecido com sua contra-parte no iPhone, o Twitter para Mac é simplesmente a cara do Twitter para iPad.

Twitter para Mac

Com uma interface bonita e funcional, há muito o que se elogiar no programa. Ele mantém a elegância característica de seus antecessores e atualiza tudo que estava defasado no Tweetie para Mac, trazendo inclusive relativamente recente recurso de live stream (não é necessário atualizar sua timeline, a cada novo tweet ela se atualiza automaticamente) e um excelente uso inteligente dos gestos multi-touch dos trackpads da Apple.

Quem havia comprado o Twettie — e bastante gente o fez, mais de 50 mil pessoas só no MacHeist nanoBundle 2— havia recebido a promessa de que receberia a atualização para o Tweetie 2 gratuitamente, assim que ele fosse lançado, “em breve”. Foi mais ou menos nessa época que a Atebits foi comprada pelo Twitter e as atenções de Brichter mudaram de foco, deixando seus usuários no Mac de lado e seu aplicativo para a plataforma abandonado.

Como um tipo de consolo para aqueles que compraram o aplicativo para depois serem esquecidos pelo desenvolvedor e posteriormente ver a versão atualizada sendo distribuída de graça para todos, o Twitter para Mac oferece algumas funcionalidades escondidas exclusivas para os compradores daquele bundle do MacHeist.

As preferências “secretas” exclusivas para quem comprou o MacHeist bundle.

Não é nada realmente revolucionário, mas há alguns detalhes interessantes, como a bem sacada possibilidade de iniciar um tweet simplesmente começando a digitar. Não precisa colocar o cursor em um campo de texto de um novo tweet, é só começar a digitar “no ar” que a caixa de novo tweet surge sob suas palavras, bem legal.

É preciso também notar que, mais do que um simples programa, o Twitter para Mac representa a entrada do Twitter nos computadores tradicionais através de um cliente nativo oficial. Talvez vejamos em um futuro próximo também o o Twitter para Windows. A disponibilização de aplicativos oficiais gerou um aumento do acesso por plataformas móveis, talvez o twitter tente a mesma estratégia nos computadores. Ou talvez o Twitter prefira retornar o foco ao seu site e esta tenha sido apenas uma exceção, só o tempo dirá.