Não foi exatamente com faixa de boas vindas que a comunidade campuseira recebeu a notícia, na semana passada, de que a organização da Campus Party proibiu ações de marketing e de publicidade durante os vários dias de evento. Felizmente o bom senso falou mais alto, e o diretor-geral da CParty veio a público para esclarecer a situação.

Este mesmo escriba durante a CParty 2011

De modo geral, o que temos são patrocinadores da Campus Party (alguém falou em Telefônica?) que querem evitar atividades comerciais que possam lhes afetar na quinta edição da CParty. Nada mais justo, lógico, tendo em vista que são os patrocinadores que garantem a viabilidade econômica do evento. O problema estava na redação da nova cláusula 6.4, adicionada na semana passada, que permite diversas interpretações.

Mario Teza, diretor geral da Futura Networks Brasil, informa que a tal cláusula foi modificada. Confira abaixo a nova redação (ela me parece bem melhor agora).

6.4. É expressamente vedada qualquer atividade comercial, promocional e/ou de marketing realizada por participantes que detenha nítido caráter financeiro e seja contrária aos interesses das empresas patrocinadoras do evento. A não observância desta cláusula poderá ser considerada uma falta grave, conforme cláusula 8.4 deste regulamento, podendo levar o participante a exclusão do evento.

Na mira da Campus Party estão “empresas que se camuflam dentro do evento para fazer negócios e não colaboram com todos através de uma cota de patrocínio”. De acordo com o Mario Teza, os ingressos da Campus Party na casa dos R$ 150 não cobrem 10% dos custos para produzir o megaevento, o que significa que a conta no fim das contas fica para os patrocinadores.

Minha gente, podemos ficar mais tranquilos. Se o TB quiser montar novamente uma bancada para cobrir a CParty no ano que vem (a desse ano foi daora, pode falar!), não seria enquadrado como atividade com caráter financeiro e contrária aos interesses dos patrocinadores — até porque, no nosso caso específico, entramos no evento como membros da imprensa mesmo.

Para não sobrar dúvidas, Mario Teza escreve o seguinte: “ninguém vai ser expulso por usar uma camiseta com uma publicidade ou fazer a promoção do seu blog ou pequeno empreendimento.” Aí sim!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Evaldo Araújo
Espero que a entrada (credenciamento) seja mais organizado que nos outros anos. E que tenha banheiros para todos.
@cariocadomal
Marketing de emboscada, não é exclusivo do brasileiro, não fale besteira.
Marcelo
tem que explicar direitinho pra nao haver confusão na hora né =)
Yangm
Pô, até meu Quenchão quando tava no Android 1.5 tirava foto melhor, mas devia ser muita "emossaum" para quem estava tirando a foto, tanto que até teve tremedeira...
Micael Silva
ôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôôô!
Agronopolos
Levarei minha buzina de gás só para fazer barulho
Paulo Estevão
ôoooôoooooooohoooOOoh! Não podem tirar a melhor parte! hehehe
@tampa_trick
ahh falta uma clausala par proibir a guerra de "avioes de papel" uhashusauhsauhsauhsauhashusa
@leonardo_ace
Câmera de Galaxy 5, fazer o quê!
@EvertonHimself
Tem que pegar pesado na proibição das publicidades, brasileiro tem tendência a querer se aproveitar de todo tipo de situação, tem que proibir algumas coisas senão vira bagunça.
Thássius Veloso
Não dá pra ver nada, mas tudo bem! :P
@leonardo_ace
Daora mesmo! Até fui lá e tirei foto com o Mobilon e o Thássius! kkkkk http://twitpic.com/3rj256
@elzobrito
Wooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
@_deni
Eu toparia uma cláusula para os gamers tomarem banho todos os dias. Sério.
Carlos
Abri a notícia pensando ser algo sobre a falta de respeito com a área de descanso. Ainda na expectativa, pois em 2012 vou arrumar confusão por causa disso.
Exibir mais comentários