A prática de pornografia de vingança (revenge porn) não para de aumentar, constatação que tem preocupado autoridades do mundo todo. Como a ampla maioria dos casos acontece na internet, o Google decidiu tomar medidas contra o problema: nas próximas semanas, a empresa disponibilizará uma página para receber pedidos de remoção desse tipo de conteúdo das buscas. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (19).

Com um canal específico, ficará mais fácil dificultar o acesso a publicações do tipo. Segundo o Google, as solicitações recebidas serão tratadas com prioridade, de modo semelhante ao que é feito com pedidos de remoção de informações pessoais (endereço, dados bancários, entre outros).

As mulheres são as principais vítimas do revenge porn. A maior parte dos casos acontece após o fim de um relacionamento: inconformado com a separação, o ex-parceiro expõe, sem consentimento, fotos ou vídeos íntimos da mulher tiradas durante relações sexuais.

Os efeitos são devastadores. Há casos de vítimas que perderam o emprego, tiveram que mudar de cidade para evitar os olhares de pessoas conhecidas, desenvolveram quadros de depressão e por aí vai. O pior é que, pelo menos no Brasil, a punição para revenge porn costuma ser branda, dificultando o combate ao problema.

É por isso que a medida do Google é bem-vinda. A companhia reconhece que o atendimento às solicitações não é uma solução definitiva, afinal, a empresa não pode eliminar o conteúdo hospedado em serviços de terceiros. No entanto, se o material exposto não puder ser encontrado facilmente a partir do buscador, os transtornos às vítimas devem diminuir consideravelmente.

O Google destacou que, no Brasil, já vem realizando esse tipo de remoção com base em notificações recebidas de acordo com o Marco Civil da Internet. Essas solicitações continuarão sendo atendidas, mas é de se esperar que o formulário web possibilite remoções mais rápidas.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados