New York Times começa a cobrar por conteúdo eletrônico

Thássius Veloso
Por

Amantes do bom Jornalismo terão que, a partir de agora, desembolsar alguns caraminguás para ter acesso ao conteúdo daquele que é considerado o jornal de maior credibilidade no mundo. O New York Times anunciou nessa quinta-feira um modelo de cobrança por conteúdo que engloba os mais variados dispositivos.

Usuários terão direito a acessar 20 páginas do site nytimes.com — o site de jornal mais acessado do mundo — por mês, com exclusão de capas de editorias e a página inicial do site. Já no 21º acesso, o jornal vai convidar o internauta a escolher uma assinatura mensal.

A mais simples, no valor de 15 dólares, dá direito ao acesso irrestrito a todo o conteúdo do site, bem como das notícias por meio do app para smartphone. Com 20 dólares, a assinatura prevê acesso ao site e app para tablet. Já o pacote mais completo dará direito a ler o Times no navegador, no smartphone, no tablet e também em um aplicativo especial para Windows.

Quem é assinante do jornal de papel terá direito a tudo isso, sem desembolsar nada a mais pelo privilégio.

A empresa por trás do New York Times informou ainda que os leitores que chegarem ao nytimes.com por meio de links em resultados de busca, blogs, outros sites, e por aí vai, também terão acesso livre àquele conteúdo específico que foi linkado. “Para alguns buscadores, usuários terão um limite diário” de consumo de artigos, esclarece o jornal, sem dizer quais buscadores terão esse tratamento diferenciado.

O Times é só mais um jornal que decide cobrar de verdade pelo seu conteúdo, a fim de financiar sua manutenção. Se é sustentável ou não, só descobriremos daqui a algum tempo. Ainda não sei se eu estaria disposto a pagar 25 reais por mês para ler um jornal apenas na web e no meu smartphone.

A cobrança por conteúdo começa a valer a partir de agora para leitores do Canadá. Em 28 de março será aberto o cadastro de usuários de outros cantos, inclusive Estados Unidos. O New York Times também vai oferecer assinatura por meio da App Store.

Atualização em 18.03.2011 às 11h00 | Recomendo a leitura dos breves comentários feitos pelo jornalista Tiago Dória, que já escreveu como convidado aqui no TB, acerca da nova cobrança anunciada pelo New York Times.