Arquivo Legislação

Disputa sobre marca "Ovi" no Brasil pode prejudicar Nokia

Rafael Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

ouvixoviA loja de aplicativos Ovi da Nokia (bem como qualquer outro site ou programa que leve o nome Ovi) pode não chegar ao Brasil por causa de uma disputa judicial. De acordo com a empresa Ouvi Divulgação e Marketing em Celulares Ltda, a marca Ovi é muito próxima de Ouvi, que é usada pela companhia desde 2004. Até o domínio www.ovi.com.br foi registrado na época, para que o erro de digitação não impedisse que possíveis clientes da Ouvi dessem com a cara numa tela de erro. Detalhe: o domínio foi registrado com um CNPJ errado da empresa, mas o registro.br não parece ter um problema com isso.

O CEO da Ouvi, Tore Haugland, também não está sendo nada razoável. Ele não quer criar um acordo com a Nokia e receber um gordo cheque para permitir o uso da marca pela fabricante no país. Haugland está “certo de que a decisão judicial será em nosso favor” e por isso quer que a empresa filandesa de celulares “remova a marca Ovi de todos os celulares que foram vendidos no Brasil e que pare de usar e mencionar a marca no país”.

A Nokia, no entanto, diz que tentou registrar a marca Ovi no Brasil antes da Ouvi, e até o momento nenhuma das empresas tem o registro da marca no escritório de patentes brasileiro. Esse fato foi confirmado com uma rápida pesquisa na base de marcas do INPI, Instituto Nacional de Propriedade Industrial. A marca “Ouvi” foi requerida pela Auvi Divulgação em 2008, já a marca “Ovi” foi requerida pela Nokia Corporation em 2007. Curiosamente, a marca “Ovi” consta como registrada pela empresa SICPA HOLDING S.A. desde 1994, mas ela está no ramo de tintas de segurança e não de celulares.

pesquisamarcaoviouvi

Tore Haugland está confiante da vitória porque, segundo ele, “nós usamos a marca como parte do nome da empresa, e isso na lei brasileira fala mais alto do que marca registrada”. A decisão o processo, de acordo com Haugland, deve sair nos próximos dias. [Reuters]

Rafael Silva

Rafael Silva tem 27 anos, estudou Tecnologia de Redes de Computadores e mora em São Paulo. Tem uma queda pela Apple na área de dispositivos móveis, mas sempre usou Windows em todos os seus notebooks e desktops. Vez ou outra fala alguma coisa interessante no Twitter: @rafacst. [Envie um email]

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque