Não preciso nem beber o café para aumentar minha produtividade

Jean Prado
Por

Direto do Canadá — Cheguei aqui em Victoria algumas semanas antes das aulas começarem para tirar um tempo e conhecer a cidade, além de me adaptar com o clima e com as diferenças em geral. Do tipo: se eu precisasse fazer compras em um mercado junto com a grade de estudos um pouco pesada que peguei aqui, provavelmente morreria de fome. É muito diferente! Sabia que o feijão enlatado aqui é doce?

Mas enfim. A própria universidade recomenda que os alunos cheguem um pouco antes na cidade para não ter muita coisa para lidar ao mesmo tempo. E é uma dica válida. Durante esse tempo, aproveitei para me aventurar por aqui com uma amiga e conhecer vários lugares da cidade que são triviais pra quem mora aqui mas que parecem incríveis para quem visita — eu incluso.

Esse prédio do Parlamento é incrível / The Parliament's building is very beautiful

A photo posted by Jean Prado (@jeangprado) on

Comecei visitando o Parlamento, que fica no centro da cidade, e é tão bonito quanto você vê na imagem acima. Lembra da marina que eu mostrei no último post? Fica bem na frente dele. Infelizmente, nesse dia não peguei um clima ensolarado (como você pode perceber pelo cinza atrás do prédio) e logo resolvi me abrigar quando começou a chover (nessa época do ano as chuvas são bem frequentes).

Para finalizar o dia, entrei em uma cafeteria tradicional, peguei meu Dell Inspiron 13 7000 e comecei a escrever textos como este, além de me preparar para a faculdade. A tela de 13 polegadas tem um tamanho bem legal para carregar por aí e a bateria aguentou bem as duas horas que fiquei por lá. Normalmente consigo ficar 5 horas fora da tomada com o Inspiron, mesmo com uso constante.

img_20160902_123059734-1

Como vocês já sabem, há dois anos e meio o Tecnoblog funciona com todos os escritores em home office — eu não sou exceção. Mas procuro fugir de ambientes já conhecidos, como o meu quarto. Normalmente as cafeterias são um bom lugar, não só pelo cheiro e gosto de café, um estimulante natural, mas pelo nível moderado de ruído. Claro que café e eletrônicos não lidam muito bem, mas dá para ficar com a consciência mais tranquila quando se tem um teclado resistente a respingos.

E não sei você, mas eu não consigo fazer muita coisa em total silêncio, nem ouvindo músicas que eu normalmente dou play quando estou sem fazer nada. Algumas playlists se salvam, mas estudos mostram que o ruído ambiente tem um papel importante na hora de impulsionar sua criatividade e concentração.

Segundo o estudo, um nível moderado de ruído encoraja as pessoas a pensar de maneira mais criativa, sem necessariamente afetar a concentração. Esse efeito dá tão certo que já existem até sites como o Coffitivity que simulam esse barulho de conversas indistinguíveis e louças se mexendo para você se sentir em uma cafeteria de qualquer lugar.

Boa concentração.

Conteúdo oferecido pela Dell. Este post é o segundo de uma série de artigos sobre como a tecnologia pode ser uma grande aliada nos estudos e nas viagens. Leia o primeiro!

Relacionados

Relacionados