Um jornalista norte-americano recebe mensagens de um desconhecido que promete uma boa pauta, mas solicita que seu receptor adote algumas medidas de segurança para poderem manter contato. Pouco depois, o mesmo informante, com o mesmo papo, entra em contato com uma cinegrafista especializada em documentários. Algum tempo depois, o desconhecido convence seus dois contatos a pegarem um avião e encontrá-lo em Hong Kong.

Desse encontro sai uma parceria que abala a política internacional ao revelar os bastidores do sistema de inteligência do governo dos Estados Unidos e de outras potências. A partir daí, o trio passa a ser perseguido pelos braços do imperialismo. O jornalista na vida real se chama Gleen Greewnwald, a cineasta Laura Poitras, e o informante Edward Snowden é ex-funcionário da NSA, agência de inteligência que trabalha diretamente com a CIA.

Edward Snowden, delator da espionagem. Esse cara tá ferrado

Edward Snowden, delator da espionagem do governo americano

The Snowden Files é o livro que será usado como base para o longa que contará a história de Snowden

The Snowden Files é o livro que será usado como base para o longa que contará a história de Snowden

Não é difícil imaginar a trama reproduzida no cinema. Histórias sobre espiões frequentemente são adaptadas para as telas. A veracidade da história e o seu gigantesco impacto social tendem a potencializar a produção. O mais famoso filme sobre vazamentos de informações baseado numa história real recebeu oito indicações ao Oscar de 1977 e faturou a metade dessas estatuetas. All the President’s Men retrata o escândalo de Watergate em que uma série de reportagens investigando espionagem e lavagem de dinheiro resultaram na renúncia do presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon.

A história de Edward Snowden também vai para o cinema. O premiado cineasta norte-americano Oliver Stone disse na segunda-feira (2) que vai dirigir um longa baseado no livro The Snowden Files, escrito pelo jornalista Luke Harding, que trabalha no The Guardian. A produção terá apoio do jornal e deve começar a rodar ainda em 2014, mas não tem previsão de data para o lançamento.

Na raia do lado está correndo a Sony Pictures, que comprou os direitos para adaptar outro livro, o Sem lugar para se esconder do próprio Glenn Greenwald. A vantagem da Sony é que seu livro foi escrito pelo homem que encontrou Snowden, recebeu os arquivos secretos e organizou suas publicações. Além de Glenn, apenas Laura Poitras possui todos os documentos disponibilizados por Snowden sobre o esquema de vigilância global. O longa também não tem previsão de lançamento, mas já tem dois nomes acertados para a sua produção: Michael G. Wilson e Barbara Broccoli, os dois responsáveis pela franquia 007.

As constantes novidades do caso, que segue em movimento, trarão o desafio em busca do melhor filme. As equipes não devem ter pressa para lançar os filmes, pois a cada dia que passa a história pode ganhar desfechos fundamentais.

Hoje, Snowden está na Rússia com asilo temporário. Quando chegou, passou mais de um mês no aeroporto, enquanto Sarah Harrison, editora do WikiLeaks e da equipe de defesa de Julian Assange, trabalhava para obter o asilo russo. Assim como Assange, Snowden hoje é um cidadão do mundo. Embora alguns países já tenham oferecido asilo, ele batalha pelo abrigo em algum país em que confia sua segurança. Em entrevista ao Fantástico, o ex-agente disse que gostaria de vir para o Brasil, onde ativistas entregaram 1 milhão de assinaturas favoráveis à concessão de asilo ao Ministério das Relações Exteriores em fevereiro.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Júlio Câmara

Júlio Câmara

Comecei a blogar em 2008 escrevendo sobre tecnologia. No mesmo ano meu blog foi indicado como um dos "80 blogs que você não pode perder" pela revista Época. Hoje, com 21 anos, estudo jornalismo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e me dedico à editoria de tecnologia.

Relacionados