Projeto de internet descentralizada lança navegador que usa tecnologia do bitcoin

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 3 meses

Nos últimos tempos, mais pessoas estão notando as desvantagens de uma internet concentrada nas mãos de poucas empresas. Por exemplo, no ano passado, um ataque contra um grande provedor de DNS foi o bastante para impedir acesso a grandes sites. Uma startup chamada Blockstack está usando a tecnologia por trás do bitcoin para criar uma internet descentralizada.

A tecnologia se chama “blockchain” e consiste em um banco de dados que é compartilhado e sincronizado entre vários computadores. No caso do bitcoin, isso permite realizar e verificar transações sem uma entidade central comandando a criptomoeda.

E no caso da Blockstack, isso permite implementar uma rede que não exige uma autoridade central para atribuir e validar endereços de sites ou identidades de usuário. A startup criou uma extensão para Chrome, Firefox e Safari que permite acessar essa rede; você pode baixá-la aqui para Mac e Linux. (A versão para Windows virá em breve.)

Segundo o Motherboard, a Blockstack está tentando resolver três problemas na arquitetura atual da internet:

  • reduzir a dependência do DNS para mapear URLs a seus respectivos endereços IP;
  • reduzir a dependência de servidores centrais, basicamente computadores remotos que podem ter problemas de segurança;
  • reduzir a dependência de grandes empresas que concentram os dados de usuários.

Por exemplo, na internet atual, usar o Facebook significa que seus dados são armazenados pela rede social e pertencem a ela. No Blockstack, os dados de um serviço ficam em um provedor de armazenamento separado (como o Dropbox), divididos em partes e criptografados para que não possam ser lidos sem autorização; e só podem ser acessados quando você usar o serviço.

O projeto é semelhante ao navegador Maelstrom, do Bittorrent, que carrega sites usando uma rede peer-to-peer em vez de servidores, com o objetivo de proteger sua privacidade e segurança. Isso também lembra a MaidSafe, que vem desenvolvendo há anos uma rede descentralizada com criptografia chamada SAFE Network.

Por enquanto, não há muito o que fazer no Blockstack, porque a startup está focada inicialmente em desenvolvedores que criarão experiências nessa rede descentralizada. No entanto, ela planeja lançar uma versão para usuários dentro de seis meses.

Com informações: Engadget, Motherboard.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados