Foguete da SpaceX vai lançar satélite faxineiro para eliminar lixo espacial

Emerson Alecrim
Por

Estima-se que há mais de 7,6 mil toneladas de lixo espacial vagando em torno da Terra. A missão do RemoveDebris, portanto, é nobre e um tanto urgente: coletar uma quantidade significativa desse lixo. Para isso, o equipamento deverá ser lançado na segunda-feira (2) ou no decorrer da próxima semana a partir do Kennedy Space Center, nos Estados Unidos. Caberá a um foguete Falcon 9, da SpaceX, fazer o transporte.

RemoveDebris

O RemoveDebris (algo como “removedor de detritos”, em tradução livre) é um satélite com cerca de 100 kg de peso e dimensões de 55 x 55 x 76 cm. Mas não se deixe levar pelo tamanho relativamente diminuto: apesar de ainda precisar ser testado, o equipamento é considerado o removedor de lixo espacial mais avançado já projetado.

A maior parte do lixo espacial é composta por componentes ou fragmentos de máquinas que não são muito grandes, mas podem causar problemas sérios a satélites em uso por conta da velocidade elevada com a qual se deslocam — alguns fragmentos chegam a 48 mil km/h. Não por acaso, o principal objetivo do RemoveDebris é proteger a Estação Espacial Internacional (ISS), que já sofreu danos causados por lixo espacial.

YouTube video

Para tanto, o RemoveDebris combina uma rede e uma espécie de arpão para capturar o lixo. Um sistema de navegação baseado em imagens ajudará no trabalho. Por fim, os detritos capturados serão deslocados para a atmosfera da Terra, onde queimarão.

Ainda não está claro por quanto tempo o equipamento será testado, mas, se os resultados forem convincentes, mais unidades deverão ser produzidas. A iniciativa é fruto de uma parceria entre várias organizações, incluindo a Universidade de Surrey e a Airbus. Cerca de US$ 20 milhões foram gastos no desenvolvimento do projeto até agora.

Com informações: Telegraph.

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados

Relacionados