Notícias Negócios

Netflix vai lançar plano mais barato que só funciona no celular

Assinatura mais barata da Netflix já estava sendo testada na Malásia e será expandida para mais países

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Além de revelar os resultados financeiros do segundo trimestre de 2019, a Netflix confirmou na terça-feira (17) que vai lançar um plano mais barato que limita a exibição do conteúdo a dispositivos móveis. A modalidade estava sendo testada desde o final de 2018 em países como a Malásia.

Netflix / Caspar Camille Rubin / Unsplash

O plano da Netflix para celulares será lançado inicialmente na Índia, ainda no terceiro trimestre de 2019. De acordo com a Netflix, o país foi escolhido porque pode trazer muitos consumidores novos em um mercado em que o setor de TV por assinatura fatura pouco: são menos de US$ 5 por usuário. No Brasil, esse valor chega a R$ 99.

A Netflix não deu detalhes de quanto o plano custará, nem as restrições que os usuários terão. Como nota o The Verge, a assinatura básica da Netflix, que dá direito à exibição em uma única tela por vez, limita a reprodução dos conteúdos em 480p, então é provável que a modalidade para smartphones também imponha a mesma resolução.

Nos testes da Malásia, o novo plano para celulares da Netflix custava 17 ringgits (aproximadamente R$ 15,56) e não dava acesso a vídeos em HD. A assinatura básica com reprodução em TVs era vendida por 33 riinggits (R$ 30,20), enquanto a versão com HD chegava a 42 ringgits (R$ 38,44). Lá, a Netflix sofre a concorrência da iflix, que já cobrava preços menores.

No Brasil, a Netflix vende o plano Básico (R$ 21,90, com 480p e uma tela por vez), Padrão (R$ 32,90, com HD e duas telas simultâneas) e Premium (R$ 45,90, com 4K e quatro telas simultâneas). O último reajuste na assinatura, entre 10% e 21%, foi em março.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque