O YouTube divulgou hoje (3) que proibirá vídeos manipulados em sua plataforma, além de outros conteúdos que podem levar as pessoas ao engano – vamos chamar de fake news. A nota é uma preparação para as prévias do período eleitoral americano, que começa neste mês com a escolha do candidato democrata que enfrentará Donald Trump nas urnas.

As novas regras não se sobrepõe aos pontos já existentes na política da plataforma de vídeos do Google, mas adiciona alguns detalhes importantes e que focam exclusivamente em conteúdo voltado para política e que leve quem acessa o YouTube ao erro. As três principais regras que serão utilizadas são:

  • Conteúdo alterado ou tecnicamente manipulado
  • Conteúdo sobre os votos e que leva para informações falsas, como a data errada da eleição
  • Conteúdo falso que afirma que um candidato não é tecnicamente apto para a eleição

Além destes pontos, o YouTube também removerá canais e vídeos “tentam se passar por outra pessoa, deturpar seu país de origem, ou ocultar sua associação com um representante do governo”. Este ponto ficou famoso quando em 2008 vídeos foram publicados, levantando a possibilidade da candidatura de Barack Obama ser anulada por sua origem.

Por fim, o Google estará atento para canais e vídeos que “aumentam o número de visualizações, curtidas, comentários ou outra métrica por meio do uso de sistemas automáticos, ou pela veiculação de vídeos para espectadores comuns”.

Com informações: YouTube.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
André Fogaça

André Fogaça

Ex-autor

André Fogaça é jornalista e escreve sobre tecnologia há mais de uma década. Cobriu grandes eventos nacionais e internacionais neste período, como CES, Computex, MWC e WWDC. Foi autor no Tecnoblog entre 2018 e 2021, e editor do Meio Bit, além de colecionar passagens por outros veículos especializados.

Relacionados