Spotify chega a 400 milhões de usuários, mas previsões assustam investidores

Apesar do crescimento tímido na receita trimestral e no número de usuários ativos, Spotify tem queda de mais de 9% no valor das ações, devido a projeções decepcionantes para 2022

Murilo Tunholi
Por

O Spotify fechou o quarto trimestre de 2021 com resultados financeiros positivos, mas decepcionantes para o mercado. Apesar do número de usuários ativos ter ultrapassado a marca dos 400 milhões, a receita da empresa cresceu apenas 7% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, chegando a US$ 2,83 bilhões. Vale lembrar que a quantia foi registrada antes da polêmica envolvendo o podcaster Joe Rogan, acusado de compartilhar desinformação sobre a COVID-19.

Escritório do Spotify em Estocolmo, na Suécia (Imagem: Divulgação/Spotify)
Escritório do Spotify em Estocolmo, na Suécia (Imagem: Divulgação/Spotify)

Quando comparada aos três últimos meses de 2020, a receita do Spotify registrou alta de 27%. Porém, investidores e acionistas da empresa não ficaram satisfeitos com as projeções para o primeiro trimestre de 2022. Como resultado, as ações da companhia caíram 9%, logo após o anúncio do balanço fiscal, nesta quarta-feira (2).

Apesar de tímido, o crescimento na receita do Spotify foi impulsionado pela alta não só nos números de usuários mensais ativos e assinantes premium, como também no dinheiro gerado por anúncios entre as músicas — que subiu 40%.

Dos US$ 2,83 bilhões registrados pela empresa, US$ 2,59 bilhões vieram das assinaturas premium — 22% a mais que o ano anterior — e US$ 445,3 milhões tiveram como origem as propagandas e os anúncios veiculados no serviço.

De acordo com a plataforma de streaming, a quantidade de usuários premium no quarto trimestre de 2021 aumentou 16%, em relação ao mesmo período de 2020, chegando a 180 milhões de assinantes. Comparando com o terceiro trimestre do ano passado, no entanto, o crescimento foi de apenas 4,4%.

Enquanto isso, o Spotify registrou alta de 18% no número de usuários ativos mensais, em comparação com o último trimestre de 2020, alcançando 406 milhões. Já em relação ao terceiro trimestre de 2021, foram somente 7% a mais de pessoas usando a plataforma mensalmente.

Joe Rogan está afundando as ações do Spotify

Mesmo com resultados positivos, apesar de pequenos, as ações do Spotify estão sofrendo quedas bruscas na Bolsa de Valores de Nova York. O motivo é a projeção decepcionante para o primeiro semestre de 2022. De acordo com a empresa, a meta é passar de 406 milhões para 418 milhões de usuários mensais ativos, e de 180 milhões para 183 milhões de assinantes premium, em três meses.

Segundo informações do SeekingAlpha, os investidores esperavam que a plataforma de streaming buscasse pelo menos 422 milhões de usuários mensais ativos e 185,3 milhões de assinantes premium para o início deste ano. Contudo, o recente êxodo de artistas e assinantes causado pela polêmica de Joe Rogan afetou negativamente os planos da empresa.

O problema começou no momento em que Rogan publicou um episódio de seu podcast — que conta com cerca de 11 milhões de ouvintes — com o cientista Robert Malone. No programa, o apresentador e o convidado divulgaram informações imprecisas a respeito da COVID-19. O Spotify, por sua vez, nem se preocupou em remover o conteúdo da plataforma.

Após esse acontecimento, diversos artistas e usuários começaram a boicotar a plataforma, removendo suas músicas e cancelando suas assinaturas premium, respectivamente. Apesar do CEO do Spotify, Daniel Ek, ter prometido fiscalizar os podcasts a partir de agora, a plataforma ainda está mal vista no mercado — e deve continuar assim por mais algum tempo.

Com informações: Spotify, TechCrunch.

Relacionados

Relacionados