Nos EUA, resultados de pesquisa do Google ganham rolagem de tela (quase) infinita

Após ser implementada em dispositivos móveis, no ano passado, novidade chega agora também para desktops, com algumas alterações

Paula Alves
Por

Na última segunda-feira (5), o Google anunciou que seus resultados de busca nos desktops dos EUA terão uma rolagem de tela contínua. Diferente, no entanto, da mudança implementada no final do ano passado para os dispositivos móveis do país, seu scroll não será infinito, apenas contando com muito mais resultados antes do surgimento do botão “Ver mais”.

Logotipo do Google
Google (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Ao todo, o Google pretende mostrar seis páginas de resultados de busca para o usuário, antes que ele possa clicar no botão “Ver mais”. Essas páginas aparecerão todas em sequência e de maneira automática, conforme o indivíduo desce a tela em busca de mais respostas para sua pesquisa.

Em outubro de 2021, quando a novidade chegou para aparelhos mobile, a empresa comentou sobre as vantagens dessa atualização. Segundo o Google, seus usuários costumam navegar por até quatro páginas quando usam seu serviço de pesquisa. Busca essa que se torna mais fácil e rápida se o carregamento for automático.

Na visão da companhia, a aparição espontânea de mais respostas ajuda a mostrar opções que o usuário não havia considerado e que talvez perdesse por não se interessar em clicar para avançar.

Mudança no scroll trouxe críticas

Apesar da explicação do Google, nem todos parecem ter gostado da mudança implementada pela empresa.

Na postagem de anúncio, muitas críticas já vinham sendo registradas nos comentários. Em uma delas, um usuário pedia que a atualização fosse, ao menos, opcional e questionava se não seria mais possível enviar um link de uma página de pesquisa específica para outra pessoa.

Outros, no entanto, demonstravam interesse pela ideia, comentando que isso poderia ser uma “vitória para sites menos populares”, que teriam agora mais chance de serem vistos.

Vale lembrar que, atualmente, a atualização dos resultados de pesquisa do Google está restrita apenas a dispositivos em inglês, nos EUA. Apesar disso, é de se imaginar se a novidade também não será implementada em outros mercados e idiomas, tendo em vista os motivos apontados pela empresa para realizar a mudança.

Com informações: The Verge e Google

Relacionados

Relacionados