Amazon fecha 2022 com prejuízo de mais de US$ 2 bilhões após desaceleração

Com pior aumento anual de receitas desde sua estreia na bolsa, Amazon perde US$ 2,722 bilhões no ano e fica abaixo do esperado no quarto trimestre

Giovanni Santa Rosa
Por
Ilustração com várias caixas
Amazon (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A Amazon divulgou nesta quinta-feira (2) seus resultados financeiros no trimestre encerrado em 31 de dezembro de 2022, e eles não foram muito animadores. A empresa teve um prejuízo em 2022 de US$ 2,722 bilhões, e o lucro por ação no último período do ano ficou bem abaixo do que o mercado esperava. As ações da companhia chegaram a cair 3% após a publicação.

Nos números anuais, a Amazon teve um crescimento da receita, de US$ 469,822 bilhões em 2021 para US$ 513,983 bilhões em 2022.

O lucro operacional caiu pela metade, praticamente, indo de US$ 24,879 bilhões para US$ 12,248 bilhões.

No fim das contas, a empresa teve um prejuízo líquido de US$ 2,722 bilhões. Em 2021, houve lucro líquido de US$ 33,369 bilhões.

Segundo a CNBC, foi o ano de crescimento mais lento nas receitas desde que a abertura de capital da Amazon.

É o primeiro prejuízo da companhia desde 2014. A empresa, porém, atribui isso ao investimento na empresa de veículos elétricos Rivian, que teve uma queda no seu valor de mercado.

Entre os fatores para os resultados financeiros ruins, estão uma desaceleração nos gastos com publicidade digital, juros altos e inflação alta.

Com cifras desapontantes, as ações da Amazon apresentavam uma queda de 3% após o fechamento das negociações em Nova York (EUA). Ao longo de 2022, os papéis da empresa tiveram uma desvalorização de 47%.

A Amazon está entre as big techs que fizeram demissões em massa para tentar conter os gastos. A empresa anunciou a dispensa de 18 mil funcionários no início de janeiro. Em novembro, 10 mil vagas foram cortadas.

Lucro trimestral fica abaixo do esperado

Nos números referentes ao trimestre encerrado em 31 de dezembro de 2022, a Amazon receitas mais altas que no mesmo intervalo do ano anterior. Já o lucro operacional e o lucro líquido foram menores e desapontaram as expectativas do mercado.

A Amazon teve uma receita de US$ 149,204 bilhões, maior que os US$ 137,412 bilhões do mesmo período de 2021.

Já o lucro operacional caiu de US$ 3,460 bilhões para US$ 2,737 bilhões.

O lucro líquido, descontando despesas financeiras e impostos, despencou de US$ 14,323 bilhões para US$ 278 milhões.

Os números das receitas ficaram bem próximos das projeções dos analistas, de acordo com a Bloomberg, mas o resultado final deixou a desejar.

Os especialistas esperavam que o lucro por ação fosse de US$ 0,17; a cifra foi de apenas US$ 0,03.

AWS desacelera, e vendas no exterior caem

Um grande culpado pelos números ruins foi o desempenho da empresa fora da América do Norte. As vendas das operações internacionais da Amazon caíram 8%.

Mesmo setores mais estáveis da empresa apresentaram resultados abaixo do esperado.

As vendas da Amazon Web Services, setor de computação na nuvem da companhia, ficaram em US$ 21,3 bilhões, contra US$ 21,76 bilhões projetados pelos analistas.

Como lembra o Yahoo! Finance, isso não chega a ser uma surpresa. A Microsoft, na conferência com investidores realizada na quarta-feira passada (25 de janeiro), disse esperar que o crescimento de Azure, sua divisão de nuvem, desacelere nos próximos trimestres.

Com informações: Amazon, Yahoo! Finance, CNBC, The Verge.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados