Proteção antipirataria para jogos de PC é quebrada em questão de horas

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 2 meses

É inevitável: todo grande lançamento de jogo para PC é acompanhado por tentativas de quebrar sua proteção contra cópia. Os estúdios tentam conter isso usando soluções de DRM, especialmente da Denuvo — mas isso é cada vez menos eficaz.

Segundo o Ars Technica, a proteção contra cópia de South Park: A Fenda que Abunda Força foi quebrada em menos de 24 horas do seu lançamento no PC. O mesmo ocorreu com Middle Earth: Shadow of War na semana passada.

No mês passado, Total War: Warhammer 2 e FIFA 18 foram crackeados no mesmo dia do lançamento. Enquanto isso, The Evil Within 2 usava a proteção da Denuvo em cópias de teste pré-lançamento, mas chegou ao mercado sem ela.

A Denuvo não se importa quando seu DRM é quebrado em questão de dias — foi o que aconteceu com Sonic Mania, Tekken 7 e Prey. É que, em se tratando de jogos, a maior parte das vendas ocorre nos primeiros dias de disponibilidade. Evitar a pirataria nesse período é crucial.

“Nosso objetivo é manter cada título protegido da pirataria durante a janela inicial de vendas, quando é feita a maioria das vendas”, diz Robert Hernandez, vice-presidente de vendas da Denuvo, em comunicado ao Ars.

No entanto, agora que a Denuvo não consegue proteger jogos por mais de 24 horas, esse argumento não serve. Claro, a empresa está longe de desistir: rumores dizem que ela vai lançar uma “versão 5” de seu DRM em breve.

Um estudo encomendado (e ocultado) pela União Europeia mostra que a pirataria pode estimular as vendas de jogos por meio de downloads. Recentemente, desenvolvedores do Acid Wizard Studio colocaram seu jogo de terror Darkwood no Pirate Bay, sem proteção contra cópia, para quem não pode pagar.

Com informações: Ars Technica.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Ex-editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. No Tecnoblog, atuou entre 2017 e 2023 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados