Anvisa proíbe uso do Zoom entre funcionários devido a falhas

Com Zoom banido, funcionários da Anvisa terão que usar outro serviço para videochamadas

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Zoom (Imagem: Divulgação/Zoom)

Depois dos diversos relatos de problemas de segurança, organizações em várias partes do mundo estão limitando ou proibindo o uso do Zoom para reuniões online. No Brasil, é o caso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): o órgão decidiu impedir o uso interno da ferramenta de videochamadas.

Embora o Zoom tenha sido desenvolvido originalmente com foco em atividades como reuniões corporativas e treinamentos online, o atual cenário de quarentena tornou o serviço muito popular para videochamadas pessoais, transmissões de eventos religiosos e aulas particulares, por exemplo.

O aumento de popularidade acabou levando à revelação de uma série de falhas de segurança e privacidade no Zoom. Os problemas vão de compartilhamento de dados de usuários a invasões de transmissões desprotegidas.

A quantidade de críticas aos problemas de segurança do Zoom foram tão numerosas que Eric S. Yuan, CEO da companhia, chegou a publicar um pedido de desculpas e a prometer soluções.

De fato, desenvolvedores do Zoom passaram a trabalhar na solução de alguns problemas na semana passada. No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito. Para piorar, a quantidade de falhas associadas ao serviço é tão grande que o clima agora é o de que outro problema de segurança poderá ser revelado a qualquer momento.

Essa situação explica a decisão da Anvisa. O órgão decidiu proibir o uso do Zoom por seus funcionários a partir desta segunda-feira (6) após identificar, por meio de sites especializados (sem especificar quais), que o serviço não é seguro.

Zoom

“Nos sites em questão, foram apontadas vulnerabilidades do Zoom Meeting que, quando exploradas por hackers, permitem o acesso não autorizado à câmera e ao microfone, viabilizando o roubo das credenciais dos usuários e de informações trocadas nas reuniões”, explica a Anvisa em nota.

No mesmo comunicado, o órgão destaca que o CEO da Zoom “reconheceu o problema ao admitir que estão sendo aplicadas correções de segurança no software” em nota enviada pela empresa à Gerência Geral de Tecnologia da Informação (GGTIN) da Anvisa.

As correções em curso não foram suficientes para a entidade permitir o uso do Zoom. A partir de agora, os funcionários deverão realizar videoconferências por meio da plataforma corporativa (cujo nome não foi revelado) que é usada pela Anvisa há mais de um ano.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados