Bateria do DualSense Edge vai durar menos do que a do controle original

Controle vai oferecer um alto nível de customização e recursos empolgantes, mas tudo indica que a bateria será o principal sacrifício do periférico

Ricardo Syozi
Por
DualSense Edge (Imagem: Divulgação / Sony)

As primeiras prévias do DualSense Edge começaram a ser divulgadas. Além de suas capacidades e recursos interessantes, um dos pontos mais importantes é a sua bateria. Se o controle padrão do PS5 já deixa a desejar nesse quesito, tudo indica que sua versão mais cara sofrerá do mesmo problema. Isso porque a própria Sony já admitiu a diminuição do tempo de carga do acessório.

Mesmo com uma bateria interna, o joystick comum de PlayStation 5 leva cerca de 10 horas para se descarregar. Em muitos casos, há relatos de que há a necessidade de recarregar o gadget com pouco mais de 5 horas de jogatina.

Sendo assim, é preocupante que o novo acessório gaste sua energia em um tempo menor. Quem afirmou isso foi a própria empresa japonesa em um comunicado através de seu porta-voz para o The Verge:

O tempo de operação do DualSense Edge é moderadamente menor do que o DualSense original, porque incluímos muito mais recursos dentro do mesmo fator de forma e design ergonômico.

A partir daí, podemos deduzir que mesmo adicionando recursos interessantes como a personalização de botões e gatilhos adaptáveis, a bateria continua sendo a mesma do modelo anterior. O que é uma pena.

Para efeito de comparação, o controle Xbox Series Elite 2 tem um tempo de carga de cerca de 40 horas.

Sony não comenta sobre a bateria

Por enquanto, a dona do PlayStation menciona cada parte do poderoso controle, mas não demonstra interesse algum em falar sobre a duração da energia do objeto. Além de deixar os jogadores com uma pulga atrás da orelha, isso abre portas para questionamentos se o preço do acessório realmente vale a aquisição.

Vale lembrar que o DualSense Edge chegará às lojas no dia 26 de janeiro, custando US$ 199,99 (cerca de R$ 1.050).

Outro ponto discutível é que a própria Sony sugere o uso de cabo na jogatina, mais especificamente para os gamers hardcore:

Queríamos encontrar um bom equilíbrio entre o tempo de operação sem fio e a entrega de recursos robustos e de alto desempenho. Além disso, o cabo trançado USB mais longo também é ótimo para jogadores competitivos que preferem jogar com uma conexão com fio para evitar interferências sem fio – essa opção preserva a vida útil da bateria.

Mesmo destacando que o cabo é uma alternativa interessante para os mais “competitivos”, isso não deixa de ser um alerta para qualquer outro usuário que tenha vontade de experimentar a novidade.

Os novos recursos vão claramente sacrificar a carga do controle. Dessa maneira, questiono se não teria sido válido adicionar uma bateria interna mais potente ao DualSense Edge.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ricardo Syozi

Ricardo Syozi

Ex-autor

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. No Tecnoblog, autor entre 2021 e 2023. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral.

Canal Exclusivo

Relacionados