Trump nega pedido da Apple para isentar tarifas em peças do Mac Pro

Decisão é uma aparente reação ao plano da Apple de produzir o Mac Pro na China

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos e 4 meses
Apple Pro Display XDR, um monitor com painel IPS e profundidade de cor de 10 bits (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

O Mac Pro não é um equipamento barato e, nos próximos meses, pode ficar ainda mais caro: a Apple vinha tentando fazer determinados componentes desse modelo escaparem das tarifas de importação que os Estados Unidos querem aplicar sobre produtos chineses, mas o presidente Donald Trump sinalizou que não permitirá essa manobra.

Não é novidade para ninguém que os Estados Unidos e a China protagonizam uma crescente tensão comercial. Como parte desse embate, a administração Trump propôs aplicar tarifas rígidas sobre importações de determinados produtos chineses.

Essa medida inclui componentes eletrônicos, muitos dos quais são fornecidos à Apple. A estimativa é a de que os custos da companhia com a isenção de tarifas de importação cairiam 25%.

Por conta disso, a Apple entrou com um pedido no Escritório do Representante de Comércio dos EUA (USTR, na sigla em inglês) para que determinados tipos de componentes fossem excluídos do aumento de tarifa.

A documentação não menciona explicitamente o Mac Pro, mas a Bloomberg apurou que as descrições dos componentes correspondem às peças do modelo — a companhia teria decidido recentemente transferir a fabricação do Mac Pro para a China.

Mas Trump não gostou dessa ideia. Via Twitter, o presidente dos Estados Unidos disse que a Apple não receberá benefícios tarifários para as peças do Mac Pro produzidas na China. “Fabrique-as nos Estados Unidos, sem tarifas”, completou:

Determinados produtos, como cabos e carregadores, já estão sujeitos a tarifas de importação, mas o governo americano se dispõe a flexibilizar essa cobrança quando os itens só puderem ser obtidos da China ou não forem estrategicamente importantes para programas industriais chineses.

Com base nisso e no fato de ter conseguido isenção tarifaria para produtos como Apple Watch e AirPods, a companhia teria tentado uma estratégia semelhante para o Mac Pro. Trump deixou claro, porém, que não está disposto a negociar.

Fontes próximas à companhia dizem que o plano — se ele não for cancelado — é repassar a produção do Mac Pro de uma planta no Texas para a Qanta Computer, que tem fábrica nas proximidades de Xangai.

Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o assunto.

Com informações: The Verge, AFP.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados