Downloads de WeChat e Signal crescem nos EUA após ameaças de Trump

Números de downloads do WeChat e do Signal crescem nos Estados Unidos após ameaças de banimento de apps chineses no país

Bruno Gall De Blasi
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
WeChat iPhone (Foto: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

Mais pessoas baixaram o WeChat e o Signal nos Estados Unidos depois que o presidente Donald Trump ameaçou a banir o mensageiro da Tencent do país norte-americano. No caso do aplicativo chinês, o crescimento é de quase 40%.

Os números da Sensor Tower foram divulgados pela Reuters nesta quinta-feira (13). Segundo a consultoria, os downloads dos mensageiros tiveram crescimento após a publicação das ordens executivas que proíbe negociações de empresas norte-americanas com as chinesas ByteDance e Tencent, donas do TikTok e WeChat, respectivamente.

O crescimento do WeChat alcança 41% em uma média de seis dias nos Estados Unidos, já que muitos instalaram o app chinês antes que ele pudesse ser removido das lojas de aplicativos. O destino é o mesmo para o QQ, outro mensageiro da Tencent que registrou o triplo de downloads também em relação à semana anterior ao decreto.

O Signal teve aumento nas lojas de aplicativos tanto dos Estados Unidos (30%) quanto da China (90%). Segundo Stephanie Chan, estrategista da Sensor Tower, “não apenas alternativas como WhatsApp e Telegram estão oficialmente bloqueadas na China, mas o Signal tem uma vantagem inerente por ser conhecido por ser fortemente criptografado”.

Vendas de iPhone podem cair se WeChat for banido

Não só empresas chinesas podem sofrer retrações se o mensageiro chinês for banido dos Estados Unidos. Segundo o analista Ming-Chi Kuo, as vendas anuais de iPhone podem cair até 30% no mundo inteiro caso o WeChat seja forçado a ser removido da App Store em todos os países. No cenário mais otimista, a redução é de até 6%.

Demais empresas se mostram preocupadas com o eventual banimento do aplicativo no país. Assinado na semana passada, os decretos, no entanto, não explicitam que o TikTok e o WeChat estão banidos dos Estados Unidos. O governo norte-americano tem até 20 de setembro para determinar quais transações estarão efetivamente proibidas.

Com informações: Reuters

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi

Ex-autor

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Escreveu para o TechTudo e iHelpBR. No Tecnoblog, atuou como autor entre 2020 e 2023.

Canal Exclusivo

Relacionados