GitHub: JavaScript, Python e Java foram as linguagens mais usadas em 2022

Desenvolvida no Brasil, Lua se destaca em ranking do GitHub das linguagens de programação que cresceram mais rápido no ano passado

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 9 meses
Exemplo de código JavaScript (imagem: Pankaj Patel/Unsplash)
Exemplo de código JavaScript (imagem: Pankaj Patel/Unsplash)

Com 100 milhões de usuários, o GitHub é um bom termômetro do mercado de desenvolvimento de software. Prova disso é uma lista divulgada pelo serviço que mostra quais foram as linguagens de programação mais usadas em 2022. JavaScript e Python lideram. Mas a brasileira Lua aparece no ranking das linguagens que cresceram mais rapidamente.

Em relação à lista das linguagens mais usadas em 2021, as cinco primeiras posições não mudaram em 2022:

  1. JavaScript
  2. Python
  3. Java
  4. TypeScript
  5. C#

O JavaScript segue na liderança do ranking pelo oitavo ano seguido. O fato de a linguagem ser muito usada em aplicações web explica esse fenômeno, mas não exclusivamente. O GitHub ressalta que o JavaScript encontra muito espaço em aprendizado de máquina e inteligência artificial por sua universalidade.

Também podemos considerar o Python uma fenômeno. Versátil e relativamente fácil de ser aprendida, a linguagem é empregada em numerosas aplicações, que vão de sistemas embarcados a ciência de dados. No GitHub, o uso de Python aumentou 22,5% em 2022 na comparação com 2021.

A terceira posição é ocupada pelo Java. Isso também é digno de nota, afinal, a linguagem é tida por muitos desenvolvedores como pesada ou ultrapassada. Dependendo das circunstâncias, pode ser mesmo. Mas o GitHub destaca que o Java ainda tem muita demanda em aplicações web, móveis e embarcadas.

HCL e Rust: as linguagens que cresceram rápido

O GitHub também elaborou uma lista das linguagens de programação que cresceram mais rapidamente, isto é, que tiveram adesões mais rápidas em dado período de tempo. HCL e Rust lideram. Entre parênteses estão as porcentagens de crescimento das linguagens durante 2022 em relação a 2021:

  1. HCL (56%)
  2. Rust (50%)
  3. TypeScript (37,8%)
  4. Lua (34,2%)
  5. Go (28,3%)

Se o nome HCL (HashiCorp Configuration Language) soa estranho para você, eis uma rápida explicação. Como o nome completo deixa claro, essa é uma linguagem de configuração criada para funcionar com as ferramentas da HashiCorp.

Entre essas ferramentas estão o Terraform, para gerenciamento de infraestrutura de nuvem. Mas o HCL também pode usar usado em outras aplicações, até por ter semelhanças com o JSON (JavaScript Object Notation).

JavaScript lidera lista das linguagens mais usadas desde 2014 (imagem: divulgação/GitHub)
JavaScript lidera lista das linguagens mais usadas desde 2014 (imagem: divulgação/GitHub)

Já o Rust é uma linguagem multiparadigma, que pode resolver problemas de várias formas. Isso o torna interessante para diversos tipos de software, inclusive sistemas operacionais. Ele já vem conquistando a simpatia dos desenvolvedores do kernel Linux (incluindo Linus Torvalds), por exemplo.

Sobre as linguagens TypeScript, Lua e Go, Julio Viana, Gerente Regional do GitHub no Brasil, comenta que a adesão a essas linguagens vem na esteira do aumento de aplicações baseadas nas nuvens:

A Lua, que inclusive foi criada por um brasileiro, é muito utilizada em domínios de aplicação e desenvolvimento de jogos, enquanto a Go viu um grande aumento no uso provavelmente devido a sua facilidade de uso e poderosas funcionalidades no desenvolvimento em nuvem, espaços de scripting e interoperabilidade.

Viana se refere ao fato de a linguagem Lua ter sido desenvolvida no Departamento de Informática da PUC-Rio. Seus criadores são Roberto Ierusalimschy, Luiz Henrique de Figueiredo e Waldemar Celes.

Outros detalhes sobre os rankings estão na página do GitHub Octoverse.

Receba mais sobre Java na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados