HyperX, marca voltada para gamers, vai para as mãos da HP

O negócio entre a HP e a Kingston deve movimentar US$ 425 milhões, mas ainda requer a aprovação de órgãos regulatórios

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
HyperX Cloud II Wireless (Imagem: divulgação/HyperX)
HyperX Cloud II Wireless (Imagem: divulgação/HyperX)

A Kingston anunciou, nesta quarta-feira (24), a venda da HyperX para a HP – o negócio deve movimentar US$ 425 milhões e ainda depende da aprovação dos órgãos regulatórios para ser concluído. A marca voltada ao público gamer chega para alimentar a estratégia da HP no segmento de periféricos com seus headsets, teclados e microfones.

Em comunicado oficial, Enrique Lores, presidente da e CEO da HP, afirmou que a empresa continua avançando no segmento de Sistemas Pessoais e está “entusiasmada em receber a equipe [da HyperX]”. A aquisição ocorre em meio a um cenário bastante positivo para o mercado de periféricos, que tem previsão de crescimento para US$ 12,2 bilhões até 2024 – com uma parcela significativa destinada ao segmento gamer.

HP amplia portfólio gamer

A HP não é tão nova no segmento de jogos – a empresa já conta com a com notebooks e acessórios para esse público abaixo do guarda-chuva da Omen, além de uma divisão de software, responsável pelo Omen Gaming Hub. No entanto, a marca não é tão popular como as concorrentes Logitech e Razer.

A adição da HyperX deve trazer um fôlego à HP nesse sentido – ao que tudo indica, as marcas serão tratadas de forma independente.

A previsão é de que a transação seja concluída até o final do segundo semestre de 2021. Com a confirmação da venda, a Kingston ainda manterá os produtos DRAM, flash e SSD para jogadores e entusiastas.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados