Nintendo usou o “acordo de usuário” para escapar de processo sobre drift no Joy-Con

Empresa japonesa conseguiu impedir que processo judicial sobre drift no Joy-Con fosse para frente por causa do acordo de usuário nos Estados Unidos

Ricardo Syozi
Por
Joy-Con (Imagem: Unsplash / Magnus Engø)

Um processo judicial por causa de drift de Joy-Con viu uma resposta favorável para a Nintendo em novembro de 2022. O Juiz aceitou o argumento que indicava os dizeres do “Acordo de usuário” e não deu continuidade à ação movida pelas mães de duas crianças. A Big N não é novata nos tribunais quando o assunto é o controle do Switch, tendo enfrentado diversos casos desde o lançamento do console.

O caso teve início em março de 2022, no qual duas mães queriam processar a companhia de Quioto por causa do infame problema de drift do Joy-Con. No entanto, elas não forem permitidas a dar prosseguimento com a ação devido ao “End User License Agreement” (acordo de licença de usuário final). Ele impede ações judiciais contra a marca assim que a pessoa compra o sistema e seus acessórios.

Por causa disso, as mulheres decidiram abrir o processo em nome de seus filhos, pois elas afirmaram que eles eram os verdadeiros donos dos consoles. As mães usaram o argumento de que as crianças não podiam estar conectadas ao acordo de usuário, porque o contrato se refere apenas a pessoas maiores de 18 anos.

Entretanto, o Juiz Federal entendeu que as duas mães eram, de fato, as donas dos Switch, pois foram elas as compradoras dos consoles, além de terem registrado tudo em seus nomes.

Como resultado, a Nintendo “venceu” o caso, já que a ação não poderá mais continuar em nenhuma corte nos Estados Unidos.

Nintendo Switch (Imagem: Alvaro Reyes/Unsplash)
Nintendo Switch (Imagem: Alvaro Reyes/Unsplash)

Nintendo é acostumada a visitar tribunais

Não seria exagero afirmar que os advogados da Big N devem conhecer os nomes de diversos Juízes pelo mundo. A empresa de Quioto vem marcando presença em diversos casos, nem sempre sobre os controles do seu sistema híbrido.

Uma das situações mais notórias ocorreu em 2021, quando o Tribunal da Califórnia decretou que o dono do site RomUniverse pagasse US$ 2,1 milhões (cerca de R$ 11 milhões) em danos à Nintendo. O motivo foi a página distribuir ilegalmente ROMs de jogos da companhia.

Já mais recentemente, em fevereiro de 2022, um hacker do grupo Team-Xecuter foi condenado a três anos e quatro meses de prisão por vender softwares para desbloquear o Switch. A marca japonesa emitiu um comunicado assim que a sentença saiu, exaltando o trabalho dos promotores federais.

Por outro lado, não bastando o drift do Joy-Con, a Nintendo relatou que o Switch pode sofrer problemas devido a um efeito de condensação. É necessário que o usuário preste atenção com a mudança de temperatura no ambiente. Essa situação ainda não levou a Big N para os tribunais, mas nunca se sabe.

Com informações: Nintendo Life.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ricardo Syozi

Ricardo Syozi

Ex-autor

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. No Tecnoblog, autor entre 2021 e 2023. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral.

Canal Exclusivo

Relacionados