Novo vazamento expõe 100 milhões de números de celular no Brasil

Números de telefone, endereço, CPF e diversos outros dados pessoais foram expostos; vazamento parece ter origem em base de operadoras de telefonia

Ana Marques
Por
• Atualizado há 8 meses
Celular na mão
Celular na mão (Imagem: Gilles Lambert/Unsplash)

Um novo vazamento de dados foi descoberto no Brasil. Desta vez, 100 milhões de números de celular foram expostos na dark web – incluindo o do presidente da República, Jair Bolsonaro, e dos apresentadores William Bonner e Fátima Bernardes. As informações são da empresa de cibersegurança PSafe e foram reveladas pelo site NeoFeed nesta quarta-feira (10).

A descoberta foi feita pelo  dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital que vem expondo diversas vulnerabilidades em empresas e instituições do governo brasileiro. Ao todo, foram 102.828.814 contas vazadas. Os registros envolvem operadoras de telefonia celular e incluem, além do número, o tempo de duração de ligações, além de outras informações pessoais.

A PSafe planeja enviar um relatório detalhado sobre a investigação à Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANDP).

Vazamento teria origem em base de grandes operadoras

Segundo o hacker que está vendendo as informações na dark web por US$ 1, o vazamento teve origem nas bases de clientes das operadoras Vivo e Claro – no entanto, ainda não há nenhuma comprovação sobre esta alegação.

A ANDP é a principal autoridade neste caso, e apesar de ainda não poder realizar julgamentos, tem autonomia para acionar o Ministério Público ou a Polícia Federal, que por sua vez podem pedir esclarecimentos às empresas.

De acordo com a PSafe, o cibercriminoso afirmou ainda que conseguiu armazenar 57,2 milhões de contas telefônicas da Vivo, tendo acesso ao nome, número de telefone, RG, endereço, informações sobre atraso no pagamento, dívidas e valor de faturas. Já outros 45,6 milhões de registros seriam da operadora Claro, e revelam CPF, CNPJ, endereço, e-mail, número de telefone, entre outros dados. Os números citados não correspondem ao total de clientes cadastrados atualmente em ambas as empresas.

Em nota, a Claro afirma que “não identificou vazamento de dados” e que “como prática de governança, uma investigação também será feita pela operadora”. Por sua vez, a Vivo afirma que “não teve incidente de vazamento de dados” e destacou que “possui os mais rígidos controles nos acessos aos dados dos seus consumidores e no combate a práticas que possam ameaçar a sua privacidade”.

Com informações: NeoFeed

Receba mais sobre Brasil na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados