É exatamente isso que o Spotify pretende fazer nos próximos meses. Atualmente, o serviço de streaming de músicas reproduz anúncios em áudio regularmente para os que não assinam o Spotify Premium, que custa R$ 14,90 por mês. Até o final do ano, a ideia é passar a exibir anúncios em vídeo, tanto no desktop quanto nos aplicativos móveis.

Pela lista do AdAge, pelo menos sete empresas já fecharam contratos com o Spotify para exibir propagandas em vídeo. Coca-Cola, Ford, McDonald’s e Universal Pictures deverão ter seus anúncios reproduzidos globalmente, enquanto a empresa de alimentos Kraft Foods, a rede de varejo Target e o banco Wells Fargo farão peças específicas para os Estados Unidos.

No desktop, o vídeo publicitário será exibido somente se o aplicativo estiver em primeiro plano e terá duração de 15 ou 30 segundos. O anunciante é cobrado apenas se o vídeo for assistido até o final. Nesse caso, não há nenhuma “recompensa” ao usuário; trata-se apenas de um novo formato de anúncio.

Nos dispositivos móveis é que a coisa parece ficar um pouco mais interessante. Se você estiver mexendo no player do Spotify com uma conta gratuita e passar para a próxima música, o aplicativo eventualmente mostrará uma mensagem perguntando se você deseja assistir a um vídeo publicitário, também de no máximo 30 segundos. Caso aceite, nenhum anúncio em áudio será reproduzido na próxima meia hora.

Vai funcionar assim:

Parece uma boa troca, embora seja estranho visualizar anúncios em vídeo em um serviço de… músicas. Mas o Spotify está confiante: o novo formato foi apresentado em Cannes e parece ter sido bem aceito pelas empresas. É mais uma forma de tentar melhorar as finanças do Spotify, que ainda sobrevive com dinheiro de investidores: apesar de já ter alcançado 10 milhões de usuários pagos, a empresa ainda não dá lucro. Em 2011, o Spotify fechou com prejuízo de US$ 60 milhões; em 2012, as perdas foram ainda maiores, de US$ 77 milhões.

Relacionados