Twitter testará recurso que limita quem pode responder aos seus tweets

Com o recurso, é possível permitir respostas de todos, de seguidores, de pessoas mencionadas ou de ninguém

Victor Hugo Silva
Por
• Atualizado há 2 anos e 6 meses
Twitter testa recurso que limita respostas a tweets

O Twitter pretende ajudar usuários a evitarem respostas indesejadas aos seus tweets. Pensando nisso, a rede social passará a testar em breve um recurso que permite definir quem poderá interagir com o que foi publicado em seu perfil.

Em anúncio feito na CES 2020, o Twitter afirmou que a novidade começará a ser testada com um grupo de usuários até março. Eles terão quatro opções de quem poderá enviar uma resposta ao tweet: qualquer usuário, somente seguidores, somente pessoas mencionadas ou ninguém.

O recurso será exibido na tela de criação do tweet e ajudará a restringir respostas diretas. Porém, caso a conta seja pública, a rede social ainda exibirá para outras pessoas a opção de retweetar com comentário, o que também serve como uma resposta.

A novidade do Twitter deve ajudar pessoas que costumam receber muitas respostas agressivas aos seus tweets. Por outro lado, ela também poderá permitir que figuras públicas como políticos espalhem desinformação sem serem contestados.

Esta é uma questão que poderá ser analisada pelo Twitter até o recurso se tornar oficial. Vale lembrar que não é a primeira vez que a plataforma busca saídas para evitar respostas inadequadas e manter o ambiente saudável para os usuários.

Em novembro, a rede social lançou um recurso de ocultar respostas aos tweets. Com ele, é possível fazer com que uma mensagem não seja vista tão facilmente por outras pessoas. A resposta continua existindo, mas os usuários precisam selecionar a opção que mostra os tweets ocultados para vê-la.

Com informações: Mashable, TechCrunch.

Receba mais sobre Twitter na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva

Ex-autor

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi autor, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Canal Exclusivo

Relacionados