Unreal Engine é o motor de mais da metade dos jogos em desenvolvimento

Companhias como CD Projekt Red, Arkane Studios e Square Enix estão trabalhando com o motor gráfico, mas nem todas usam a versão mais recente

Ricardo Syozi
Por
Tech demo do Unreal Engine 5 (Imagem: Divulgação / Epic Games)

A Epic não é apenas a desenvolvedora do sucesso Fortnite, ela também tem uma engine própria para a criação de jogos: a Unreal. Muitos de nós já sabemos disso, mas a empresa afirmou que mais de 50% dos games feitos atualmente estão usando esse motor. Até mesmo a gigante CD Projekt Red já confirmou que trocou sua tecnologia própria pela opção mais recente da companhia americana.

De acordo com Nick Penwarden, VP de engenharia da Epic Games, metade dos títulos que estão sendo desenvolvidos para a geração atual de consoles está usando as ferramentas e os recursos da Unreal Engine.

O executivo relatou isso em uma entrevista para o The Verge, destacando o crescimento da popularidade do motor entre os estúdios. Penwarden não especificou quais versões são as mais empregadas, mas aponta que está “felizmente surpreso” com as empresas que trocaram a versão 4 pela mais atual, a 5:

Quando nos propusemos a construir a Unreal Engine 5, ter essa compatibilidade com versões anteriores para poder trazer jogos do UE4 foi realmente importante para nós, e por isso tem sido muito bom ver os desenvolvedores abraçarem isso.

Na terça-feira (15), a companhia liberou a versão 5.1 do motor gráfico. Algumas das melhorias incluem a possibilidade de os profissionais criarem conteúdo 3D mais rapidamente e a de rodar seus games a 60 quadros por segundo nos consoles e PCs.

Próximos The Witcher e Dragon Quest usam a UE 5

Cada vez mais há estúdios interessados em empregar a Unreal Engine 5 em seus títulos. Por exemplo, a Square Enix confirmou que Dragon Quest XII: The Flames Of Fate está sendo desenvolvido com as ferramentas da Epic Games. Vale lembrar que seu antecessor, DQ XI: Echoes of an Elusive Age usou a versão de número 4 da tecnologia.

Outro nome que assumiu a UE5 foi a CD Projekt Red. A empresa da Polônia confirmou que abriu mão de seu motor REDengine para trabalhar com a opção da Epic no próximo jogo da franquia The Witcher. Essa é uma “parceria estratégica de muitos anos”, segundo a desenvolvedora.

Para algo mais próximo de chegar aos consoles, a obra de multiplayer cooperativo Redfall, da Arkane Studios, também está usando a edição mais recente dessa engine. Ou seja, muito do que vamos jogar em 2023 e adiante tem as mãos da marca.

Jogos, ferramenta e plataforma

Isso tudo representa muito bem a influência atual que a Epic tem na indústria. Nesse sentido, além de ter em seu catálogo um dos títulos mais populares dos últimos anos, a companhia oferece uma ferramenta primordial para a construção do próprio mercado.

Ademais, não podemos esquecer que ela criou uma plataforma para concorrer com a Steam: a Epic Games Store. Sendo assim, dá para perceber que o objetivo da marca é direcionar os jogadores para seu próprio ecossistema.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ricardo Syozi

Ricardo Syozi

Ex-autor

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. No Tecnoblog, autor entre 2021 e 2023. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral.

Canal Exclusivo

Relacionados