Início / TB Responde / Internet /

O que é live commerce?

Entenda mais sobre o que é live commerce, suas características e exemplos; Será que há vantagens para o vendedor e para o consumidor?

Ricardo Syozi

Por

TB Responde
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Partindo de um conceito que promete maior interação e aproximação com os clientes, o live commerce já faz parte ativa da Internet e das redes sociais. Além de vender mais produtos, sua principal intenção é criar um ambiente de maior exclusividade com os seguidores da loja seja ela virtual ou não. Conheça mais sobre o assunto nas linhas a seguir.

O que é Live Commerce?

É um estilo de venda online que usa o formato de lives (transmissão ao vivo) para interagir com o público. Dessa forma, a marca é reforçada através de um contato mais direto e a sensação de exclusividade.
Definição de live commerce (Imagem: Tecnoblog)

Você se lembra ou já ouviu falar de canais de televisão como o Shoptime?

Boa parte do conceito do live commerce veio de programas de televisão com esse mesmo foco: o de vender produtos a partir de transmissões ao vivo. Esse modelo prioriza o espectador, pois boa parte das ofertas são exclusivas, muitas delas sendo únicas para aquele momento.

Funciona assim: a partir de uma rede social ou canal próprio na internet, a loja faz uma transmissão para seus seguidores. Nisso, produtos diversos recebem o devido destaque, apresentando suas características e preços. O consumidor pode adquirir o item durante a própria live, ou dando lances como em um leilão no chat ou comprando diretamente ao apertar o botão de “Comprar” incluso no bate-papo online.

A partir daí, tudo o que resta é realizar o pagamento (algo que depende do formato da loja) e aguardar a chegada do produto em sua casa.

As vantagens e responsabilidades do live commerce

Por fazer grande uso de redes sociais e sites próprios, esse modelo de vendas pode trazer muitos benefícios para a loja. Conheça alguns abaixo:

  • Maior engajamento: Por tratar diretamente com o seu próprio público, as lives trazem um engajamento de usuários muito maior do que um post comum, aumentando as chances de vendas;
  • Vendas instantâneas: Ao oferecer um grande nível de exposição dos itens em tempo real para os seguidores, a loja garante uma velocidade maior de suas vendas;
  • Reconhecimento da marca: Se a pessoa está em sua transmissão, ela já está reconhecendo automaticamente a cara da empresa. Assim, um relacionamento parassocial pode surgir, criando laços e confiança na marca.

Por outro lado, é importante prestar atenção nas responsabilidade que o modelo exige:

  • Estrutura: Se a loja não tiver uma estrutura competente, todos os negócios feitos podem ser perder. Por isso, é de enorme valia uma organização antes de começar o live commerce;
  • Logística: Ter uma pessoa ou equipe para controlar as negociações e planejar os envios dos itens também é primordial. Caso contrário, a marca pode sofrer com reclamações diversas, o que pode machucar seu nome.
live commerce
Página de lives do Mercado Livre (Imagem: Reprodução)

Exemplos no Brasil

Com o crescimento dessa prática nos últimos anos, é claro que o nosso país não ficaria de fora. Há inúmeras lojas no Facebook e Instagram que realizam transmissões ao vivo para vender seus itens diretamente para seus clientes e seguidores. Além disso, há muitas empresas que fazem uso de seus próprios sites para realizar suas lives.

Um exemplo é o Mercado Livre. O site tem, desde novembro de 2021, uma página focada apenas em seu live commerce. Periodicamente, apresentadores e influenciadores realizam suas transmissões focadas em produtos de videogames a decoração.

Outra gigante que já marcou presença no streaming para suas vendas é a Magalu. De vez em quando, a empresa usa o YouTube para ficar ao vivo e oferecer ofertas, cupons e muita interação com o seu público. Até mesmo shows já ocorreram durante essas lives, como você pode ver abaixo.

Já em relação às redes sociais, o Facebook é uma das plataformas mais usadas por lojas de menor porte. Assim, o vendedor consegue manter um contato com os seguidores enquanto mostra com detalhes o item à venda.

Porém, se faz necessário um moderador muito presente e atento, pois é esse usuário quem prestará atenção nos pedidos e no linguajar dos clientes. De qualquer forma, esse modelo pode ser imensamente satisfatório para uma empresa.

Wellington Taliati, dono da loja de games Player Dois, usa bastante o live commerce a partir do Facebook. Ele afirma que isso o ajudou muito com seu negócio.

As vendas em minha loja através das lives representam cerca de 80% do negócio. É muito mais fácil, já que direciona os itens exatamente para quem os procura. Isso sem contar a amizade que pode surgir com os clientes, algo que é muito difícil de acontecer com lojas físicas comuns.

O que você desse formato de vendas? Já pensou em participar de algum live commerce? Conta pra gente!

Com informações: Giosg.