O que é um hash?

Entenda mais sobre essa função que visa converter qualquer bloco de dados em um comprimento fixo; saiba o que é hash

Ricardo Syozi
Por

Mesmo se tornando muito popular quando o assunto é blockchain, a função hash existe há muito tempo. Ela serve para transformar uma certa quantidade de dados em algo de tamanho fixo, independente da quantidade de informações envolvidas. Nas linhas a seguir, você vai compreender mais sobre o assunto, suas características e funcionalidades.

O que é Hash?

O hash é uma função matemática que converte um arquivo de qualquer tamanho em um código de letras e números de tamanho fixo. Essa representação dos dados acaba sendo um tipo de "impressão digital" do arquivo.
Definição dessa função (Imagem: Tecnoblog)

Fazendo uso de um algoritmo matemático, essa função tem como objetivo pegar um arquivo, chave ou string e transformar em um novo valor numérico e alfabético. Com isso, é possível identificar se o item teve alguma alteração entre o momento de sua criação até a verificação.

Em entrevista para o Tecnoblog, Leonardo Carissimi, diretor de cibersegurança e privacidade da Capgemini no Brasil, explicou:

Ao contrário de uma criptografia baseada em senha que tem como objetivo a confidencialidade da informação e pode ser revertida para seu estado original, a função hash é irreversível. Ela pega um arquivo de qualquer tamanho e o converte para algo bem pequeno, sem oferecer nenhuma senha para que os dados sejam lidos. Assim, se a pessoa não guardou de alguma forma o item, ela o perde assim que passa pelos algoritmos do hash.

Dessa maneira, dá para notar que aqui não há o intuito de proteger e compartilhar a confidencialidade dos dados. Seu objetivo é o de fazer um resumo do arquivo de uma forma que seja a mais única possível.

o que é hash
Há muitos aplicativos para gerar um resultado hash (Imagem: Tecnoblog)

Para que serve o hash?

Há muitas utilidades para o uso dessa função, algumas relacionadas à criptomoedas e outras fora desse escopo. Por ser algo unilateral e irreversível, uma de suas principais finalidades é a de provar que o código em questão é o mesmo, sem mudança alguma.

Mais uma vez, Leonardo Carissimi, clarificou:

Isso é muito usado na área de cibersegurança para fazer verificação de integridade de informações. Por exemplo: eu tenho um arquivo muito importante em meu sistema operacional. Assim, eu faço um hash dele e, de tempos em tempos, faço outro para comparar com o original. Se houver qualquer alteração, o usuário já fica em alerta, pois algo como um malware ou um vírus pode ter alterado o arquivo.

Além disso, outras áreas também se beneficiam do uso dessa função no dia a dia. Abaixo você confere alguns desses usos:

  • Assinatura digital;
  • Índice de grandes tabelas no desenvolvimento de sistemas;
  • Cadeias de hash que servem para dificultar que um hacker descubra um ativo de dados.

Por fim, o especialista, concluiu:

A verificação a partir desta função fica mais eficiente, pois o usuário pode fazê-la com maior velocidade, já que se trata de muitos arquivos menores do que os originais. Com isso, o resultante do hash se torna um bom representante do arquivo como um todo, chegando o mais próximo possível de garantir uma unicidade.

No geral, a função hash é de extrema importância para a segurança de dados. O que mais você quer saber sobre o assunto? Conta pra gente!

Ricardo Syozi

Repórter

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral. Entrou para o Tecnoblog em 2021.

Relacionados

Relacionados