Consumidor

Lei obriga operadoras de TV paga a cancelar serviço pela internet

14/05 às 13h10 por

Uma nova lei obriga as operadoras de TV por assinatura — seja IPTV, cabo ou satélite — a oferecer a opção de cancelamento através de telefone ou internet. Isso já era obrigatório desde 2014, inclusive para serviços de internet fixa e telefonia móvel, graças a uma resolução da Anatel. Claro, TIM e Vivo não poderão comprar faixa de 700 MHz no leilão de 5G

Operadoras terão mais regras da Anatel para cumprir a partir desta terça-feira

09/03/2015 às 20h23 por

A partir desta terça-feira (10), as empresas de telecomunicações terão uma série de novas regras para cumprir. As obrigações foram estabelecidas pela Anatel e visam melhorar os canais de atendimento das operadoras, assim como tornar a relação com os consumidores mais transparente. Uma das regras mais importantes diz respeito ao fornecimento de informações pela internet. Por meio de seus sites, as operadoras deverão oferecer ao cliente cópias de contratos e de qualquer documento que descreva os serviços em uso pelo consumidor. Os canais online também deverão disponibilizar

Você poderá cancelar telefone, internet e TV sem passar por atendentes a partir desta terça-feira

07/07/2014 às 13h27 por

Cancelar assinatura de TV paga, acesso à internet ou telefone não deverá mais ser um exercício de paciência: nesta terça-feira (8), entra em vigor aquele regulamento da Anatel que obriga as operadoras a permitirem o cancelamento de serviços de telecomunicações pela internet ou por atendimento telefônico eletrônico. Trata-se da Resolução nº 632, de 7 de março de 2014, que visa melhorar vários

Anatel decide: assinantes podem cancelar banda larga e telefonia sem passar por atendente

21/02/2014 às 08h40 por

Assinantes de telefonia, internet e TV por assinatura poderão cancelar os serviços de maneira automatizada, sem passar por um atendente de carne e osso. A determinação está em uma nova leva de regras estabelecidas pela Anatel com o objetivo de dar mais transparência ao setor. Se a lei pegar, os consumidores terão muito mais facilidade para fazer os cancelamentos. A agência informou que o assinante poderá simplesmente entrar em contato com o SAC por telefone, site ou terminal de autoatendimento. Uma das opções naquele menu interminável de possibilidades – pelo menos no

Governo está prestes a decretar troca imediata de computadores e celulares com defeito

20/08/2013 às 17h53 por

Telefones celulares e computadores estão mais próximos de serem considerados "produtos essenciais" pelo governo brasileiro. Isso significa que, em caso de defeito constatado até 90 dias depois de sua aquisição, o consumidor terá direito à troca imediata do dispositivo. No cenário atual, as empresas têm prazo de 30 dias após a queixa do cliente para solucionar um problema relacionado a defeito. Só depois deste período é que o consumidor pode exigir troca do produto, devolução do montante pago ou abatimento de preço na aquisição de outro item de

Desculpe, sua encomenda foi comida por um jacaré

30/03/2010 às 18h10 por

As empresas de e-commerce utilizam as mais variadas desculpas para justificar o atraso na entrega de um produto. A Amazon, maior empresa de vendas online do mundo, chegou ao cúmulo da loucura ao afirmar para um cliente que a encomenda havia sido comida... por um jacaré.Quem conta a história é um leitor do site Consumerist identificado como Will Collier. Ele escreveu: Eu juro que não estou inventando nada disso. Eu comprei uma peça de computador da Amazon. Nós temos o Amazon Prime, então a peça deveria chegar aqui ontem, mas nunca chegou. Eu li

CoTweet quer transformar o Twitter num grande SAC

09/11/2009 às 17h55 por

Já que o Twitter nunca se dignou a lançar os tais recursos “profissionais” para as empresas que têm perfil no site, como diziam alguns boatos que circularam pela rede tempos atrás, uma startup se cansou de esperar e fez justiça com suas próprias mãos. A CoTweet é uma ferramenta que promete “auxiliar no gerenciamento de contas corporativas” do site de microblog, como aponta o Wall Street Journal, por uma mensalidade de US$ 1.500 (R$ 2.547) que j

Carregar mais posts