Android KitKat

Imagine que você é uma pessoa paranóica e desconfia que está sendo espionada pela câmera ou microfone do seu smartphone. O que fazer? Certamente, desligá-lo. O problema é que apenas apertar o botão de desligar o aparelho não seria suficiente: um novo malware para Android tem a peculiar característica de falsificar (!) o desligamento do sistema.

De acordo com a AVG, que descobriu a ameaça, o malware mantém o aparelho ativado para gravar chamadas, enviar mensagens ou até tirar fotos sem que o usuário perceba. Ao pressionar o botão de desligar o dispositivo, o usuário chega a ver a animação de desligamento e a tela se apagando, mas o aparelho continua ligado. Para não levantar suspeitas, o malware pode desativar o acesso à rede.

O Android/PowerOffHijack.A, como foi chamado, funciona em dispositivos com Android 4.4 ou anterior. O malware exige permissão de root para conseguir interferir no desligamento, o que limita bastante sua distribuição. Mas isso não significa que seja impossível: um porta-voz da AVG diz ao Mashable que cerca de 10 mil aparelhos já foram infectados, a maioria na China, por meio de lojas de aplicativos locais.

Da próxima vez que realmente quiser desligar seu celular, talvez seja melhor remover a bateria.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Nina Ferreira

cada notícia, uma supresa diferente hahahha mas enfim, não me preocupo mais com malware pq já instalei o antivirus da psafe e faço verificações diariamente...sugiro o pessoal instalar algum tipo de antivirus tbm

Thiago
Imagina se a MS fosse parar para consertar tudo que é malware/virus... Teria que parar todo o desenvolvimento de qualquer coisa! kkkkkkkk
Gabriel Rezende
Olha essa galera achando que Malware é bug haha.
Antony
É a velha estória do vírus pra linux que precisa de root pra funcionar rs
Lídison Santos
Que coisa não!? rs.
Guilhermo
Malware é bug?
brazlocateli
kkkkkkk
Danilio Costa Silva
A do Moto G, X e do Zenfone 5 também não são removíveis.
ochateador
Eis uma boa questão...
fernandohr
O avast para celular já faz isso http://puuxe.com.br/2015/02/11/localize-seu-smartphone-roubado-utilizando-o-app-da-avast/ Só que de uma forma menos assustadoras kkkkk
Vitor
"blá blá 90 dias, esquece problemas do Windows blá blá blá". Se pelo menos os bugs do Windows fossem por culpa dos usuários... 1) O celular tem que estar rooteado (o que já reduz muito o números de alvos). 2) A pessoa tem que aceitar que o aplicativo que ela instalou VAI FAZER MODIFICAÇÕES E AGIR COMO UM APLICATIVO DO SISTEMA, COM PERMISSÕES DE ADMINISTRADOR. 3) O usuário tem que baixar esse aplicativo da internet ou de uma loja "falsificada", e ele sabe que aquela loja não é a oficial. Então a pessoa obviamente não queria esse vírus, mas fez de tudo pra tê-lo.
SKY
E isso é problema do Google? Assim como temos liberdade no Windows de instalarmos o que quisermos no Android não é diferente. O problema aqui não é o SO e sim o usuário. Dar um aparelho rooteado na mão de um usuário leigo é complicado. Na matéria ainda diz "por meio de lojas de aplicativos locais" deixando meio óbvio que são apps piratas e não apps baixados da Play Store.
gicapp
"O malware exige permissão de root para conseguir interferir no desligamento". Ah tá. Faz root e fica baixando apps de "lojinhas alternativas" ou pegando apk de fontes não confiáveis, muitas vezes links achados em blogs ou coisas que só Deus sabe a confiabilidade e tá reclamando de vírus/spyware/adware? Quem "rooteia" é porque tem motivos, se sabe fazer, deveria ter o mínimo de cuidado com a cadeia toda envolvida. Aí é culpa do Android. OK.
Marcelo
Por favor... quero 90 dias pra solucionar o problema...
Tito Reis
É, quero ver é tirar a bateria do Moto Maxx!
Exibir mais comentários