Nos últimos tempos, mais pessoas estão notando as desvantagens de uma internet concentrada nas mãos de poucas empresas. Por exemplo, no ano passado, um ataque contra um grande provedor de DNS foi o bastante para impedir acesso a grandes sites. Uma startup chamada Blockstack está usando a tecnologia por trás do bitcoin para criar uma internet descentralizada.

A tecnologia se chama "blockchain" e consiste em um banco de dados que é compartilhado e sincronizado entre vários computadores. No caso do bitcoin, isso permite realizar e verificar transações sem uma entidade central comandando a criptomoeda.

E no caso da Blockstack, isso permite implementar uma rede que não exige uma autoridade central para atribuir e validar endereços de sites ou identidades de usuário. A startup criou uma extensão para Chrome, Firefox e Safari que permite acessar essa rede; você pode baixá-la aqui para Mac e Linux. (A versão para Windows virá em breve.)

Segundo o Motherboard, a Blockstack está tentando resolver três problemas na arquitetura atual da internet:

  • reduzir a dependência do DNS para mapear URLs a seus respectivos endereços IP;
  • reduzir a dependência de servidores centrais, basicamente computadores remotos que podem ter problemas de segurança;
  • reduzir a dependência de grandes empresas que concentram os dados de usuários.

Por exemplo, na internet atual, usar o Facebook significa que seus dados são armazenados pela rede social e pertencem a ela. No Blockstack, os dados de um serviço ficam em um provedor de armazenamento separado (como o Dropbox), divididos em partes e criptografados para que não possam ser lidos sem autorização; e só podem ser acessados quando você usar o serviço.

O projeto é semelhante ao navegador Maelstrom, do Bittorrent, que carrega sites usando uma rede peer-to-peer em vez de servidores, com o objetivo de proteger sua privacidade e segurança. Isso também lembra a MaidSafe, que vem desenvolvendo há anos uma rede descentralizada com criptografia chamada SAFE Network.

Por enquanto, não há muito o que fazer no Blockstack, porque a startup está focada inicialmente em desenvolvedores que criarão experiências nessa rede descentralizada. No entanto, ela planeja lançar uma versão para usuários dentro de seis meses.

Com informações: Engadget, Motherboard.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Araujo

Foi o que eu pensei, hahahaha ... Muito boa a série !

Rodrigo Silva Barretos
Foi impossível não pensar na temporada atual de Sillicon Valley ao ler o título dessa matéria... kkkkkkkk
Johnny Walker

Achei interessante o conceito, privacidade hoje está se tornando cada vez mais raro hoje em dia na grande rede e avanços neste sentido são sempre bem vindos.

Johnny Walker Junior
Achei interessante o conceito, privacidade hoje está se tornando cada vez mais raro hoje em dia na grande rede e avanços neste sentido são sempre bem vindos.
Keaton
No caso, era com relação a conteúdo e etc.
Marcos
Nada.. Já existe a algum tempo. IPFS, ZeroNet que é a mais popular.
Keaton
Devo ser pessimista...
Anayran Pinheiro
Nova deep web?
Trovalds
Infelizmente é o uso que se dá às ferramentas. O protocolo torrent é excelente pra transferir arquivos MAS é automaticamente associado com pirataria. A rede TOR é associada com negócios ilícitos e por aí vai. Não vai ser novidade se essa nova rede vingar e acontecer algo parecido.
Baidu feat MC Brinquedo
Isso é bom e ruim ao mesmo tempo!
Trovalds
A internet por si só é descentralizada (o conceito em si). O problema foi o boom quando ela passou a ser acessível a todos.