Tudo o que uma pirâmide financeira precisa é aliar a promessa de dinheiro fácil com uma temática. Se for da moda, as chances de “sucesso” aumentam: a Polícia Civil desarticulou no Distrito Federal e em Goiânia um esquema envolvendo uma falsa moeda digital chamada Kriptacoin. Nos cálculos das autoridades, os estelionatários conseguiram movimentar mais de R$ 250 milhões.

A Operação Patrik (um anagrama da palavra “kripta”), como foi batizada, resultou em pelo menos 13 mandados de prisão preventiva contra suspeitos de crimes financeiros, todos ligados à empresa Wall Street Corporate e a outras firmas relacionadas a esta criadas em nome de “laranjas”.

Kriptacoin

Os trabalhos de investigação apontam que o esquema ganhou forma no final do ano passado e se consolidou em janeiro de 2017. Para atrair as vítimas, os membros da organização se passavam por executivos de sucesso e usavam a velha estratégia de prometer rendimentos altos em pouco tempo.

Um detalhe que facilitou a fraude é o fato de o Bitcoin ter se valorizado enormemente nos últimos anos. O noticiário aborda o assunto com certa frequência, então, muitas pessoas associam a noção de moeda digital a operações altamente rentáveis, ainda que pouco ou nada saibam sobre a dinâmica das criptomoedas.

O que os integrantes do grupo prometiam, basicamente, era investir o dinheiro dos participantes em uma moeda digital e durante o período de aplicação gerar ganhos diários de 1%. Para completar, a pessoa tinha a promessa de ganhar um bônus de 10% para cada indicado que entrasse no esquema. O mesmo tipo de promessa era feito a cada novo “investidor”.

Estava caracterizada a pirâmide. Para tornar tudo mais real, os integrantes do grupo promoviam reuniões, anunciavam na web e na TV, apareciam em fotos com celebridades (para transmitir um ar de pessoas bem-sucedidas), ostentavam carros luxuosos e assim por diante.

Como toda pirâmide, a Kriptacoin gerava algum rendimento para os primeiros cooptados. Paulo Roberto Binicheski, procurador do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, explica que os estelionatários permitiam saques diários de até R$ 600 na fase inicial.

Esse dinheiro era oriundo dos pagamentos feitos por pessoas que entraram no esquema depois. Tratava-se de uma forma de alimentar a ideia de que o negócio era mesmo lucrativo. Depois, os saques passaram a ser semanais e, mais tarde, não foram mais permitidos com a desculpa de que o sistema havia sido atacado.

(Imagem: Lázaro Aluísio/TV Globo)

Quando as vítimas reclamavam, os estelionatários as bloqueavam sob o argumento de que elas estavam sendo investigadas por suspeita de envolvimento com fraudes. Uma delas, de acordo com a polícia, chegou a investir R$ 200 mil, mas sofreu ameaças dos líderes do grupo quando tentou resgatar o valor aplicado. Estima-se que 40 mil pessoas foram vítimas do esquema.

João Paulo Todde, advogado da Wall Street Corporate, afirma que as informações sobre a empresa são especulações e que, na verdade, o negócio não é uma pirâmide, mas um “sistema de marketing multinível” — uma desculpa frequente em casos do tipo.

Esquemas envolvendo moedas digitais não se limitam à Kriptacoin. Há outros em andamento, muitos deles usando o Bitcoin como tema. Um que se define como um clube de investimentos em Bitcoin promete alta rentabilidade, bônus por indicação e saques ilimitados. Para evitar a desconfiança sobre a validade de uma moeda digital, o tal clube afirma que o Bitcoin já é aceito por grandes instituições financeiras, como Santander, Citibank e Visa.

Com informações: G1, Agência Brasil

Tecnocast 071 – Vale a pena investir em Bitcoin?

O Bitcoin já chegou a valorizar mais de 10.000% em apenas um ano e bateu recordes históricos em 2017: um único bitcoin passou a valer mais de R$ 10 mil.

Será que vale a pena investir? O que é minerar? O Bitcoin será a moeda corrente mundial? Como uma blockchain vive, se alimenta e se reproduz? Dá o play que a gente conta tudo!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcos Guilherme
Típido dos MMMs Brasil da vida, BTC investimentos, mudial bit etc..., tem muita pirâmide aí em criptomoedas, mas dizer que é, vc leva até porrada.
Marcos Guilherme
Doido é quem investe 200 mil nisso, deve nem fazer falta pra essa pessoa, em pirâmides investir pesado é suicídio.
tuneman
Tá certo, é vendido como marketing multinível...
Ligeiro
Mas do jeito que muitos gostam do Bitcoin e fazem divulgação dele, é como se fossem membros de uma piramide financeira.
Samuel Cesar
Brasileiros, peruanos, bolivianos, chineses, alemães, americanos entre outros.
Samuel Cesar
meo deos. Estamos falando de pirâmide, liberais gostam do Bitcoin por ser descentralizado o que não tem nada haver com o que está sendo falado aqui.
Ligeiro
Pessoas procuram empregos por causa do dinheiro. Pessoas procuram coisas para comprar para depois vender com lucro. É por aí a coisa...
Ligeiro
O ponto é que estas aí trabalham com sistema de ágio no produto: o vendedor ganha na venda, mas o produto tem um valor bem menor na verdade. Teoricamente Herbalife poderia entrar também no sistema das empresas descritas por ti, mas o ponto é que a Herbalife dava mais destaque ao sistema de "marketing de rede" do que a venda do produto per si. Por isso que geralmente se vê o Herbalife mais como pirâmide do que como marketing de rede. Lembremos da uma outra também... https://uploads.disquscdn.com/images/cb98ca6672c6957c1094057fada06bd859942d6e24afff8a0e4b587be0a7cfdd.gif
Ligeiro
Mas dog no porta malas também é fiscalizável e tem licença :) Em tempos: mas tem cara que cresce e vira loja: https://vejasp.abril.com.br/cidades/leandro-neves-dono-da-maior-rede-de-cachorros-quentes/
tuneman
dá pra considerar tambem Mary Kay, Jeunesse, Hinode, Avon? afinal de contas é aquele papo descarado de meritocracia: se você não ficou rico é por que não esforçou-se o suficiente.
Fred
Mas dog tem para vender em estabelecimentos fiscalizados também. Agora o MerdaLife só tem no porta malas
tuneman
rapaz, tem gente que cai em golpe do bilhete...., faz umas semanas que prenderam uns golpistas desses aqui na cidade. é a ganancia acima de tudo.
tuneman
é sempre a ilusão de dinheiro fácil.
Ligeiro
Ativos sólidos tipo empresa de reciclagem, estação de tratamento de esgoto, viagra (este aqui especialista em criar ativos sólidos... :op )
Ligeiro
Pô, com este argumento, tu põe a tia do dog da esquina no mesmo pacote :V
Exibir mais comentários