Início » Jogos » PlayStation 4 destravado consegue rodar jogos de PS2

PlayStation 4 destravado consegue rodar jogos de PS2

Por
1 ano atrás

Há alguns anos, hackers conseguiram instalar o sistema operacional Linux no PlayStation 4. Agora, um novo exploit divulgado recentemente é capaz de dar acesso completo ao console, permitindo rodar quase que perfeitamente jogos de PlayStation 2 no PS4.

O hack explora o mesmo sistema utilizado pelo próprio emulador de PlayStation 2 embutido no console. Ele exige um pouco mais de trabalho para ser instalado, mas é capaz de rodar jogos como Dragon Ball Z Budokai Tenkaichi 3 e Klonoa 2 (que não funcionava nem no PS3).

Mas antes de sair por aí procurando como rodar seus jogos de PS2 favoritos no console, saiba que o processo é um pouco restrito. O hack explora uma falha no WebKit da versão 4.05 do firmware do Playstation 4, lançado em 2016.

A brecha já foi corrigida nas versões mais novas, e ainda não descobriram uma forma de realizar o downgrade – ou seja, reinstalar um firmware antigo em um console que foi atualizado. Mesmo assim, após a divulgação do exploit, vários grupos hackers criaram novas ferramentas para auxiliar no processo de “desbloqueio” do PlayStation 4.

Nos consoles compatíveis, o hack dá acesso completo ao sistema. Isso permite rodar não apenas jogos de PS2, como também programas não-oficiais (os chamados “homebrew”) e jogos piratas do próprio PS4. Porém, como o firmware é antigo, jogos mais recentes lançados após o início de 2017 podem não funcionar, pois exigem que o sistema esteja atualizado.

Apesar de a Sony justificar a ausência de um suporte mais completo à retrocompatibilidade no Playstation 4 com o “pouco interesse” dos jogadores por jogos antigos, esse novo hack mostra que o console era capaz de oferecer essa opção desde o seu lançamento.

Atualmente, o PS4 conta com alguns jogos clássicos do PS2 à venda na PlayStation Store. Já os títulos de PS3 podem ser jogados pelo serviço de streaming PlayStation Now, mas só por quem mora nos EUA, Europa ou Japão; o serviço ainda não está disponível no Brasil.

Com informações: Ars Technica.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.