Recentemente, a Amazon passou a vender eletrônicos, videogames, utensílios domésticos, ferramentas de construção e outros itens no Brasil, mas apenas no esquema de marketplace, em que o gerenciamento do estoque e do transporte fica a cargo de lojas e vendedores parceiros. Parece que isso vai mudar em breve.

De acordo com a Reuters, a Amazon planeja alugar um armazém em Cajamar (SP) com área de 50 mil metros quadrados. O investimento representaria quatro vezes a operação de livros físicos da empresa no Brasil, o que pode indicar que a loja aproveitará o novo espaço para estocar outros tipos de produtos — como aqueles que a empresa só vende atualmente por meio de parceiros.

Há alguns sinais de que a Amazon está mesmo prestes a alugar o espaço: a loja de Jeff Bezos teria aberto dezenas de vagas no LinkedIn no país, várias fazendo referência a um centro de distribuição; a Amazon registrou uma operação em Cajamar em outubro de 2017; e a Luft Logistics, que trabalha com a Amazon no negócio de livros, prepara uma operação nas proximidades do município.

A novidade tornaria a operação da Amazon mais parecida com a que vemos em outros países, onde a empresa também possui marketplace, mas complementa o estoque com armazéns próprios — o que permite enviar os produtos rapidamente e testar maluquices bacanas como transporte de mercadorias por drones ou centros de distribuição aéreos.

Sem contar que um armazém próprio deve melhorar a experiência de compra: a agência de notícias comenta que quase 20% das avaliações no marketplace da Amazon Brasil são negativas, especialmente devido a problemas com pedidos cancelados ou atrasados. No México, onde a empresa oferece a possibilidade de armazenar o estoque dos parceiros desde 2015, essa taxa é de 10%; nos Estados Unidos, apenas 4%.

A Amazon, claro, não comentou oficialmente seus planos de expansão no Brasil.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jesiel R. Fernandes

Creio que será misto, assim como ocorre aqui nos EUA. De qualquer forma isso não muda em nada para o consumidor. E o FBA é interessante para os vendedores que quiserem embarcar nesse avião que vai alçar vôo de cruzeiro no Brasil.

doorspaulo
Quando vou comprar algo do Norte/Nordeste, o frete também fica obsceno. Não tem mágica, infelizmente.
Jonas Rafael Rossatto
Era só ter trem que ia rápido!
jrrtps
Ebay não morreu nos USA, alias continua muito forte mesmo com amazon...
Caleb Enyawbruce
Que delicia!! Só vem com tudo!!
Charles Almeida
Wallmart daqui só aproveita a disponibilidade de seus produtos, não tem diferencial em nada e ainda quer colocar suas próprias marcas em destaque que por sinal são de qualidade mediana. Acredito que quando uma empresa de grande aportar por aqui já era os demais concorrentes nacionais e seus atendimentos padrão Reclameaqui.
Joseph Arimateias Diniz
Verdade. Segundo o colega meu que trabalha em uma multinacional, a maioria das empresas concentram seus armazém em São Paulo, Minas Gerais e Amazonas, e geralmente ficam orbitando as capitais desses estados. Pouquíssimas tem armazéns fora daí. O que, em um país do tamanho do Brasil, é uma loucura pois acaba ficando dependente e vítima do transporte de longas distâncias para qualquer tipo de entrega. Somado a isso temos as nossas péssimas rodovias, a inexistente malha ferroviária e a quase irrisória rede aeroportuária para cargas (transporte interno), faz com que qualquer transporte de mercadorias alcance um custo difícil de baratear.
O Corno Profeta
Não é bem isso, salvo engano, é a legislação local (estadual e da região) que acaba gerando isso. Lembremos dos problemas fiscais que gerou agora a necessidade de fazer nota com calculos diferentes para cada estado.
O Corno Profeta
Uma curiosidade: o que não falta hoje no Brasil é galpão vazio para alugar. Não duvido que a Amazon pegou barganhado isso aí. E em Cajamar, que é uma região logística, mas também com muitos riscos (Cinturão Cadeeiro). E não duvido também que a Amazon faça estruturas para agilizar e evitar problemas alfandegários. Ou seja, montar (ou fazer uma parceria exclusiva com) uma empresa de transporte, e um outro galpão próximo a algum porto (Santos provavelmente, dado que Cajamar é próxima).
Lucas Macedo ?????????
MercadoLivre, vá tomate cru.
Lucas Macedo ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

MercadoLivre, vá tomate cru.

Paul
Vc ñ sabia? Norte e Nordeste são outro país... Segundo essas lojas. Palhaçada msm. :v
felipecn
O Walmart está num momento bem difícil no Brasil, é um caso bem particular. Como é um galpão muito grande, acho difícil que seja só pro fulfillment. Mas não é impossível.
Rafael™

Mas o caminho pro Brasil tem que ser a expansão de armazéns e depósitos mesmo. Essa 'melhora de serviço de transportadora' e diminuição do valor do frete, só vai ocorrer se isso acontecer. Vivemos em um pais continental, assim como os EUA, e lá, apesar dos serviços serem melhores tbm há a necessidade de expansão de depósitos da Amazon por seu território, para que a qualidade seja mantida.

Rafael
Mas o caminho pro Brasil tem que ser a expansão de armazéns e depósitos mesmo. Essa 'melhora de serviço de transportadora' e diminuição do valor do frete, só vai ocorrer se isso acontecer. Vivemos em um pais continental, assim como os EUA, e lá, apesar dos serviços serem melhores tbm há a necessidade de expansão de depósitos da Amazon por seu território, para que a qualidade seja mantida.
Exibir mais comentários