Início » Brasil Negócios » A Amazon pode estar preparando um novo armazém para se expandir no Brasil

A Amazon pode estar preparando um novo armazém para se expandir no Brasil

Por
40 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Recentemente, a Amazon passou a vender eletrônicos, videogames, utensílios domésticos, ferramentas de construção e outros itens no Brasil, mas apenas no esquema de marketplace, em que o gerenciamento do estoque e do transporte fica a cargo de lojas e vendedores parceiros. Parece que isso vai mudar em breve.

De acordo com a Reuters, a Amazon planeja alugar um armazém em Cajamar (SP) com área de 50 mil metros quadrados. O investimento representaria quatro vezes a operação de livros físicos da empresa no Brasil, o que pode indicar que a loja aproveitará o novo espaço para estocar outros tipos de produtos — como aqueles que a empresa só vende atualmente por meio de parceiros.

Há alguns sinais de que a Amazon está mesmo prestes a alugar o espaço: a loja de Jeff Bezos teria aberto dezenas de vagas no LinkedIn no país, várias fazendo referência a um centro de distribuição; a Amazon registrou uma operação em Cajamar em outubro de 2017; e a Luft Logistics, que trabalha com a Amazon no negócio de livros, prepara uma operação nas proximidades do município.

A novidade tornaria a operação da Amazon mais parecida com a que vemos em outros países, onde a empresa também possui marketplace, mas complementa o estoque com armazéns próprios — o que permite enviar os produtos rapidamente e testar maluquices bacanas como transporte de mercadorias por drones ou centros de distribuição aéreos.

Sem contar que um armazém próprio deve melhorar a experiência de compra: a agência de notícias comenta que quase 20% das avaliações no marketplace da Amazon Brasil são negativas, especialmente devido a problemas com pedidos cancelados ou atrasados. No México, onde a empresa oferece a possibilidade de armazenar o estoque dos parceiros desde 2015, essa taxa é de 10%; nos Estados Unidos, apenas 4%.

A Amazon, claro, não comentou oficialmente seus planos de expansão no Brasil.

Mais sobre: ,