Início » Computador » Bristlecone é o processador quântico de 72 qubits do Google

Bristlecone é o processador quântico de 72 qubits do Google

Emerson Alecrim Por

Gigantes da tecnologia como IBM, Intel e Microsoft estão conduzindo projetos relacionados à computação quântica há algum tempo. O Google não poderia ficar de fora: engenheiros da companhia estão trabalhando no Bristlecone, protótipo de um processador quântico com capacidade de 72 qubits.

Assim como o chip quântico de 49 qubits da Intel, o processador do Google está sendo desenvolvido com foco na supremacia quântica, expressão que indica o ponto em que os computadores quânticos resolverão problemas complexos que seriam muito mais difíceis ou mesmo impossíveis de serem tratados por máquinas baseadas na tecnologia atual.

Isso significa que os processadores quânticos poderão ser usados para problemas desafiadores até para os supercomputadores mais potentes do mundo, como estudos meteorológicos mais precisos, desenvolvimento de medicações, pesquisas aeroespaciais e por aí vai.

Não é difícil imaginar aplicações para um computador quântico. Difícil é prever quando a tal da supremacia quântica será realidade. Na primeira olhada, parece que o Google está liderando essa corrida, afinal, o Bristlecone trabalha com 72 qubits enquanto o Tangle Lake, da Intel, lida com 49 qubits, por exemplo. Mas o próprio Google adverte que não devemos considerar só o número de qubits.

Google Bristlecone

A computação que usamos hoje tem como base o bit, que assume o valor 0 ou 1. Já um qubit (bit quântico) pode assumir 0, 1 ou uma superposição de ambos os valores. Dois qubits podem conter quatro valores, portanto, e assim por diante (observe que essa é uma explicação simplificada). É por isso que a computação quântica é tão promissora.

Mas há alguns problemas sérios aqui. Um deles é o fato de os qubits serem extremamente sensíveis e, consequentemente, suscetíveis a ruídos ou perturbações, o que pode causar erros de cálculos.

Nos experimentos do Google, a taxa de erro para um único qubit ficou em 0,1% enquanto que, para portas com 2 qubits, alcançou 0,6%. Porém, para a companhia, a supremacia quântica será alcançada quando um computador efetivamente chegar a 49 qubits e tiver taxa de erro inferior a 0,5% em portas de 2 qubits.

O Google só não deu estimativa de quando chegará a esse patamar. Seria mesmo difícil fazê-lo. Há vários outros aspectos a serem considerados, como otimização de componentes e controle da temperatura. Por ora, a preocupação do Google é mostrar que os trabalhos estão em andamento.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marsupial radical

Copiado do meu outro comentário:

"Não não. Computação quantica é baseado em probabilidade. Em resumo tosco, a superposição té dá a probabilidade de tu medir um bit e ele dar 0 ou 1. Tu usa isso pra arranjar os qubits de alguma forma onde quando tu tentar ler (e causar o colapso do estado) ele resulte no resultado que tu procura ter."

Na verdade é só a probabilidade de dar 0 ou 1 após tu ler o qubit.

Tyrbalder

Seria algo tipo: 0 ou 0,∞ ou 1?

SignaPoenae

Na verdade, não precisaria nem minerar. Bastava quebrar a criptografia das moedas e encher as carteiras.

SR 71 Pássaro Preto

Kkkk

Marsupial radical

Me pergunto isso toda vez hahahah

Júlio Vasel

i like turtles

Júlio Vasel

masoque

Davi Islabão

Idiota não, pensei o mesmo...tem uns cientistas russos q pensaram semelhante e estão presos agora! https://canaltech.com.br/cr...

Marsupial radical

Não não. Computação quantica é baseado em probabilidade. Em resumo tosco, a superposição té dá a probabilidade de tu medir um bit e ele dar 0 ou 1. Tu usa isso pra arranjar os qubits de alguma forma onde quando tu tentar ler (e causar o colapso do estado) ele resulte no resultado que tu procura ter.

Batistacoin.net

É bem por aí! A última fração de bitcoins será minerada apenas em 2147, contudo, se esses computadores chegarem ao mercado comum, como você disse, a criptografia seria quebradas em minutos, o que resultaria na queda do valor das moedas que são passiveis de ser mineradas.

Juaum

Seria o equivalente a "verdadeiro, falso e talvez"???

Zé das Covi

nope

ReynerAlternativo

O computador quantico quebraria todos os sistemas de Proof of Work existente
As criptomoedas utilizam desse sistema, o branch de um blockchain que tiver mais computação realizada é validado
Um computador quantico faria milhoes de computacoes mais que um computador normal, no final validando todos seus blockchains, gerando milhoes de criptomoedas

ReynerAlternativo

Kkkkkkk ó o cara

ReynerAlternativo

0

Exibir mais comentários