Início » Web » Twitter suspende contas que usavam táticas de spam para viralizar tweets

Twitter suspende contas que usavam táticas de spam para viralizar tweets

Por
28 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O Twitter está combatendo uma tática para viralizar tweets chamada “tweetdecking”, em que usuários com milhões de seguidores combinam de retuitar as contas dos outros.

Perfis como @Dory, @GirlPosts e @memeprovider — que acumulavam milhões de seguidores — foram suspensos no último final de semana. Segundo o BuzzFeed News, eles violaram as regras antispam do Twitter.

Foto via Pixabay

Além de roubarem tweets de outros usuários, essas contas praticavam tweetdecking: ou seja, elas usavam o TweetDeck para automatizar curtidas e retweets entre diferentes perfis.

Por terem milhões de seguidores, elas cobravam entre US$ 5 a US$ 10 por retweet. Com essa prática, algumas contas faturavam entre US$ 2 mil e US$ 5 mil por mês.

No entanto, o Twitter diz que é proibido “vender, comprar ou tentar aumentar artificialmente as interações de contas (como seguidores, Retweets, curtidas etc.)”. Quem viola essa regra antispam pode ser bloqueado temporariamente ou suspenso de forma permanente.

Além das contas acima, foram suspensos os perfis @SoDamnTrue, Girl Code/@reiatabie, Common White Girl/@commonwhitegiri, @teenagernotes, @finah e @holyfag.

Para evitar essa prática no futuro, o Twitter mudou o funcionamento do TweetDeck. Não é mais possível selecionar várias contas para realizar a mesma ação, como publicar tweets iguais, retuitar, curtir ou seguir outros perfis.

A partir de 23 de março, isso também valerá para os clientes de terceiros do Twitter. Usuários não poderão “adicionar conteúdo similar ou substancialmente similar usando várias contas”, nem “executar simultaneamente ações como curtidas, retweets ou seguir”.

Além disso, o CEO Jack Dorsey cogita estender a verificação de contas — o selo azul ao lado do nome de usuário — para todos os usuários do Twitter. A ideia é barrar perfis falsos.

Com informações: BuzzFeed News.

Mais sobre: ,